Exame de Recorrencia de epidemiologia I-correccao
2 pág.

Exame de Recorrencia de epidemiologia I-correccao


DisciplinaEpidemiologia7.836 materiais40.370 seguidores
Pré-visualização1 página
Elaborado por: Samuel Tacuana 
INSTITUTO TÉCNICO DE MOÇAMBIQUE 
Exame de Recorrência de Epidemiologia - I: Curso de Medicina Preventiva: 2019 
Nome: _______GUIAO DE CORRECCAO ______. Variante A. 
1. Imagine que estás numa comunidade do distrito de Manjacaze, dada a situação local lhe parece estar 
diante de uma epidemia. Que medida usaria para tentar descrever a gravidade dessa epidemia. 
A). Infectividade. B). Patogenicidade. C). Virulência. D). Letalidade. E). Prevalência. 
 
2. São vários factores que condicionam o hospedeiro a ser susceptíveis as doenças. São afirmações de como o 
estado nutricional pode se tornar um factor de susceptibilidade das doenças no individuo, EXCEPTO: 
A). A desnutrição grave provoca uma deterioração na resposta imune e isto leva ao aumento da susceptibilidade 
às doenças bacterianas; 
B). Quando uma criança sofre de desnutrição, aumenta a probabilidade de que algumas doenças surjam na sua 
forma mais grave; 
C). Os problemas nutricionais como a obesidade são considerados factores do hospedeiro que o tornam mais 
susceptível às doenças crónicas como a hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e diabetes; 
D). A infecção e subsequente doença atacam predominantemente as crianças pequenas, as que têm maior 
risco devido a sua alta susceptibilidade (pela ausência de memória imunológica) e alto grau de exposição; 
E). Nenhuma das alternativas. 
 
3. Sobre a história natural das doenças, analise as afirmações. É correcto afirmar que: 
I. O processo se inicia com a exposição de um hospedeiro susceptível a um agente causal e termina 
com a recuperação, deficiência ou óbito. 
II. O período patogênico mostra as mudanças que se apresentam no hospedeiro uma vez realizado um 
estímulo efetivo. 
III. O horizonte clínico marca o momento em que a doença é aparentemente clínica. 
a). Somente I. b). Somente I e II. C). Somente II e III. D). Somente I e III. E). Todas as alternativas (I, II e III). 
 
4. São os estágios no período patogénico da história natural da doença, Excepto: 
A). Interacção estímulo susceptível. B). Alterações bioquímicas, histológicas e fisiológicas. C). Sinais e 
sintomas. D). Defeitos permanentes /cronicidades. E). Desenlace. 
 
5. Quaisquer actos destinados a diminuir a incidência de uma doença numa população, reduzindo o risco de 
surgimento de casos novos é uma medida de prevenção: 
a). Primaria. B). Secundaria. C). Terciaria. D). Diagnóstico precoce. E). Limitação do dano. 
 
6. A cadeia epidemiológica mostra as relações entre os diferentes elementos que levam ao aparecimento de 
uma doença transmissível. Todos são os elementos da cadeia epidemiológica, EXCEPTO: 
a). Meio de transmissão do agente. b). Reservatório. c). Susceptibilidade do hospedeiro. 
d). Agente causal Específico. e). Porta de saída do agente. 
 
7. Os principais factores que determinam a taxa de prevalência são: 
a). A severidade da doença (se muitas pessoas que desenvolvem a doença morrem, a prevalência aumenta); 
b). A duração da doença (se uma doença é de curta duração, sua taxa prevalência é menor do que a de 
uma doença com longa duração); 
c). O número de novos casos (se muitas pessoas contraírem a doença, sua taxa de prevalência será menor do que 
se poucas pessoas a contraírem). 
d). Todas as afirmações anteriores 
e). Nenhuma das afirmações anteriores. 
 
8. Imagine que pretende ter uma idéia do risco médio que existe nos indivíduos da população de Inhaca de 
sofrer a Malaria, de modo a avaliar a eficácia das acções de controle, que medida de morbidade correcta 
usaria. 
a). Prevalência. B). Incidência. C). Letalidade. D). Taxa de ataque. E). Mortalidade específica. 
 
9. Os casos graves e fatais de uma doença em relação ao total de casos clínicos caracteriza: 
a).Infectividade b). Virulência. c) Patogenicidade. d) Infecção clínica. e) Letalidade. 
10. Factores responsáveis pela emergência e reemergência das doenças transmissíveis. A deterioração urbana 
e fome, correspondem respectivamente: 
a) Atenção à saúde e factores sociais b) Factores sociais e mudanças ambientais 
 c) Infra \u2013 estrutura e adaptações d). Factores sociais e saúde pública e).Nenhuma 
 
11. O hábitat natural no qual um agente infeccioso vive, cresce e se multiplica, denomina-se: 
 a) Veículo. b) Reservatório. c) Hospedeiro. d) Fonte de infecção. e) Vector. 
 
12. O gráfico mostra o canal endémico de casos de malaria notificadas num Hospital rural de Gaza. Quantos 
casos esperaria em Julho para que seja considerada uma situação de alerta é: 
 
a). 20 Casos. B). 60 Casos. C). 70 Casos. D). 80 Casos. E) 120 Casos. 
 
13. Olhando para o gráfico do n.9, estaríamos diante duma epidemia no mês de dezembro se: 
a). A doença estivesse acima do normal 
b). O número de casos fosse superior a 40 notificações 
c). O número de casos de todos meses estivesse acima da linha epidémica 
d). O número de casos fosse superior a 120 notificações 
e). Nenhuma. 
14. No terceiro domingo de Fevereiro de 2001, comemorou-se, em uma comunidade de 462 habitantes, um 
baile de carnaval ao qual assistiram 287 pessoas. Nas duas últimas semanas de Março, o centro de saúde 
local atendeu a 79 pessoas que foram atendidas por prurido intenso e erupção cutânea papulovesicular. 
Setenta e seis delas tinham assistido ao baile. Dos 161 homens participantes desse evento social, 53 
adoeceram. A maioria (68,3%) dos participantes do baile tinha entre 20 e 39 anos de idade; nesse grupo 
encontrava-se o 82,9% dos doentes. A taxa de ataque no grupo de 20 a 39 anos de idade é: 
A. 18.3%. B. 26.5%. C. 28.4%. D. 32.1%. E. 38.7%. 
15. Foram diagnosticados 26 casos de óbitos entre menores de um ano por tuberculose num pequeno bairro 
de Maputo entre 1° de Janeiro e 30 de Dezembro de 2000. A taxa de mortalidade infantil em 30 de Junho 
era de 40 crianças por cada 100 crianças nascidas. Qual é o número de crianças nascidas vivas no ano. 
A. 40 Crianças. B. 26 crianças. C. 650 crianças. D. 65 Crianças. E. Nenhuma. 
16. Em uma ilha do Caribe a letalidade por febre tifóide é de 50%. Durante o ano 2000 ocorreram 40 óbitos 
devido a essa doença. Quantos casos de tifóide ocorreram nessa comunidade insular no ano mencionado? 
a). 800 Casos de febre tifóide. b). 80 Casos por 100 pessoas. c). 40 Casos de febre tifóides. 
d). 5 Casos de febre tifóides. e). Nenhuma das afirmações. 
17. Qual das seguintes proposições indica quando uma infecção é clínica ou subclínica? 
A) Aumento ou redução dos títulos de anticorpos. B). Presença ou ausência de sinais e sintomas clínicos. C). 
Grau de infectividade. D). Sinais e sintomas moderados ou graves. E). Isolamento e identificação de um agente 
infeccioso. 
 
18. Quais informações devem-se utilizar para calcular a incidência de uma determinada doença na população? 
A. Os casos novos e antigos de uma determinada doença e número da população exposta ao risco. 
B. O número de casos antigos de uma determinada doença e número da população exposta ao risco. 
C. Número de casos que já existem em determinado local e número da população exposta ao risco. 
D. O número de casos novos de uma determinada doença e número da população exposta ao risco. 
E. O número de óbitos em determinada população. 
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 
D D E E A A B B B B B C B D D B B D 
 Elaborado por: Samuel Tacuana