A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Apresentação TCC KATIA

Pré-visualização | Página 1 de 2

1
A INDISCIPLINA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: APRENDENDO A CONVIVER
2
A INDISCIPLINA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: APRENDENDO A CONVIVER
Nome do aluno: Kátia Juliana Ribeiro Santos
 
Polo de apoio: Bocaiúva MG
Instituição de ensino: UNOPAR
Data: 21/11/2019
3
INTRODUÇÃO
Este trabalho ressalta a importância de buscar alternativas corretas para combater a indisciplina na educação infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Além de transformar-se em desordem, a indisciplina dificulta a relação com o professor, aluno e aprendizagem e pode apresentar sérias complicações no desenvolvimento cognitivo, moral e social.
O que me instigou a escolher o tema “ Indisciplina Escolar” foi perceber que algumas escolas não possuem planos e estratégias para resolver essa questão da indisciplina que tem sido uma preocupação e tema de conversas entre professores e todos os envolvidos no processo de ensino.
O tema desenvolvido neste projeto de ensino voltado à docência escolar, diz respeito a indisciplina na escola, confrontando as teorias relacionadas à causa, ao combate e as sérias consequências geradas por este problema.
Este trabalho foi elaborado embasando-se em autores como AQUINO (1996), CARITA & FERNANDES (1997) , TARDIF (2002) entre outros, que contribuíram bastante com seus estudos.
4
Objetivos Gerais
Buscar alternativas corretas para combater a indisciplina na educação infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental.
Objetivos Específicos 
•	Promover momentos em que todos os docentes reflitam sua própria prática pedagógica, discutindo com toda a comunidade escolar a importância de vivenciarem relações interpessoais e construir coletivamente o contato didático.
•	Refletir sobre as causas que levam os alunos a tornarem-se indisciplinados na sala de aula; analisar os malefícios que a indisciplina produz na sala de aula; verificar o processo ensino-aprendizagem dentro de uma perspectiva disciplinar do aluno.
•	Propor atividades que os alunos aprendam a noção de limite e perceba a existência de direitos e deveres para todos.
5
Desenvolvimento
A disciplina é um conjunto de regras que servem para o bom andamento da aprendizagem escolar, é uma questão de qualidade nos relacionamentos humanos, principalmente entre professor e aluno. 
As causas para a indisciplina, ou o comportamento inadequado são inúmeras. Porém, antes de qualquer julgamento é preciso avaliar todo contexto em que a criança ou adolescente vive. Qual a realidade que a escola apresenta para esse estudante? Como é o ambiente familiar? De que forma lidar com suas emoções? Qual o contexto social? Todos esses aspectos podem influenciar direta e indiretamente no comportamento dos filhos e alunos.
Quando se fala em aluno indisciplinado, a maioria dos professores, funcionários, coordenadores e diretores associam esse tipo de comportamento a práticas de repressão, em uma espécie de castigo ou punição.
No entanto, estudos recentes mostraram que a ação punitiva tende a piorar a situação, uma vez que os alunos acabam se sentindo revoltados e incentivados a desobedecer ainda mais. 
Muitas vezes, a metodologia utilizada pelo professor em sala de aula baseia-se em um modelo ultrapassado e mecânico de ensino onde predominam aulas mal planejadas nas quais o professor se coloca como detentor do conhecimento, conservando assim uma postura inadequada frente aos alunos tirando-lhes a autonomia e pouco auxiliando em sua formação crítica.
ADICIONAR UM RODAPÉ
6
7
Amado (2001), por sua vez, salienta que o sucesso escolar está associado a uma boa organização e gestão da aula, é preciso que o professor tenha o cuidado de colocar- se no lugar do aluno no momento em que está preparando uma aula e perguntar-se se aquela aula seria interessante, este é um bom passo para que se possa realmente preparar uma aula mais interessante para o educando.
Dessa forma, é preciso apostar por práticas mais concretas, durante toda a jornada escolar, de modo a fazer com que, aos poucos, as crianças e jovens sintam-se mais motivados pelo processo de aprendizagem.
1ª Etapa:
•	Reunião professor/família afim de buscar informações sobre os alunos como: ambiente familiar como agem em casa, se sofrem bullying, se fazem acompanhamento psicológico, se os alunos reclamam da escola dos professores ou dos colegas, se sofrem ou já sofreram abusos psicológicos e físicos.
•	Conscientizar a família da importância das regras em casa e na escola, enfatizando a necessidade desta, ser feita sem violência física ou psicológica e enfatizar a importância do brincar na vida das crianças.
•	Abertura do projeto para os alunos com palestra e vídeo educativo sobre as consequências da indisciplina na escola, e vantagens de ser um aluno disciplinado.
8
Atividade de Interação 
Permitir que os alunos expressem suas opiniões sobre o tema, expressem sentimentos, e deem sugestões de como a indisciplina pode ser combatida e de como gostariam de ser tratados em casa e na escola.
Criar regras de boa convivência com as turmas (boa convivência em casa, na escola, na comunidade).
2ª Etapa:
• Em sala de aula fazer um rodízio de ajudantes do dia, as crianças devem ajudar o professor em suas atividades do dia como: buscar livros, apagar o quadro, ajudar os colegas que estão com dificuldades, promovendo a socialização e trabalho em grupo.
•	O professor irá realizar dinâmicas lúdicas e dinâmicas para que a criança compreenda os conceitos de gentileza, trabalho em equipe, disciplina, obediência. Exemplo: brincadeira seu rei mandou dizer, o professor pede aos alunos que corram, pulem ou peguem algum objeto, todos devem fazer o que seu rei pede.
•	Atividades em grupos como teatros, jograis, musicalização.
9
3ª Etapa:
Dar cargos aos alunos mais indisciplinados, como chefe da segurança, chefe da limpeza, chefe da amizade. Os alunos deverão fiscalizar os colegas, para que brinquem sem se machucar, mantenham a organização e limpeza da sala e da escola, não briguem uns com os outros e nem com os funcionários da escola. Cada infração perdem um ponto, e aos que pontuarem ou seja, cumprirem todas as regras recebem gratificação no final da semana. Essa atividade ajuda as crianças indisciplinadas a se sentirem úteis e responsáveis, ocupando o tempo com atividades produtivas.
Atividades de boa convivência em sala, pedindo aos alunos que recortem de revistas e jornais atitudes de boa convivência e respeito ao próximo.
Confecção de cartazes com pinturas e desenhos dos alunos de atitudes certas e erradas quanto a boa convivência. 
	Roda de conversa com os alunos sobre como são tratados em casa e como tratam os familiares e amigos.
10
4ª Etapa:
Buscar atividades que trabalhem com a cooperação entre os alunos, textos que façam refletir sobre o assunto e que trate de problemas de indisciplina e relacionamentos em geral.
História em quadrinhos que falam sobre valores e amizade como: Cascão e Cebolinha, valor da amizade.
Finalização do projeto com a culminância do tema “Boa Convivência” com exposição dos trabalhos realizados, apresentações e palestras.
11
Considerações Finais
Ao concluirmos esse projeto de ensino, percebemos que o problema da indisciplina escolar, não pode ser vista como responsabilidade apenas das escolas. A família, os professores, a escola e a comunidade precisam estarem atentos, aos alunos e as causas geradoras da indisciplina, e juntamente com a gestão escolar buscar meios de romper com esses atos.
A sociedade atual caminha para o descaso, e a educação das crianças é o principal meio de tentarmos minimizar os impactos causados pela violência. O cuidado com as novas gerações, um olhar mais atento para as suas necessidades se faz necessário na busca de um futuro melhor.
Atitudes de expulsão, suspensão, gritos e xingamentos não contribuem em nada no combate a essa realidade, pois, lugar de criança é na escola. E quando este direito lhe é negado, a criança