A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
4-Eriophidae

Pré-visualização | Página 1 de 3

07/09/2019
1
Gustavo Antonio Xavier Gerlach
Família EriophyoidaeFamília Eriophyoidae
1
Ilha Solteira, SP, 13 de Agosto de 2018
SUPERFAMÍLIA ERIOPHYOIDEA
SuperFamília com Ácaros estritamente fitófagos.
Conhecidos como “microácaros”, São os menores artrópodos .
Amrine (2003) → Relatou 3.441 espécies em 301 gêneros.
Yaniek & Moraes (1991) 18 espécies → pragas de diferentes
culturas
Este número espécies permite alto grau de especialização
morfológica e biológica se adaptando aos mais variados
hospedeiros
MORAES; FLECHTMANN, 2008
ERIOPHYOIDEA 
 TRÊS FAMÍLIAS
 3442 ESPÉCIES DE 301 GÊNEROS:
78% ERIOPHYIDAE
16% DIPTILOMIOPIDAE 
6% PHYTOPTIDAE 
Amrine et al. (2003) Revised keys to world genera of Eriophyoidea (Acari: Prostigmata)
DIPTILOMIOPIDAE - no Brasil
Vimola globosus – folhas de cajueiro
Catarhinus brachiariae e 
C. tricholaenae – braquiária, milho, grama Natal 
PHYTOPTIDAE
Retracrus johnstoni
Coqueiro e palmeiras ornamentais
No Brasil as espécies 
mais importantes são da 
Família Eriophyidae
FAMÍLIA ERIOPHYIDEA
 Aspectos Morfológicos
 f São os menores ácaros fitófagos: fêmea adulta com 100 -300 micrometros de comprimento.
Corpo alongado com anelações transversais pelo corpo,
forma fusiforme ou vermiforme.
Coloração pode variar do amarelado, cinza, marrom-claro.
FAMÍLIA ERIOPHYIDEA
 Morfologia Taxonômica
Palpo
Quelícera
Pernas
Corpo Anelado
FAMÍLIA ERIOPHYIDEA
 Morfologia Taxonômica
Palpo
Rostro
Quelíceras com estiletes Família 
Tetranychidae
Quelíceras
transformadas em:
*2 estiletes
*1 estrutura de
suporte chamada
estilóforo
Gnatossoma
07/09/2019
2
COM OS ESTILETES PERFURAM AS CÉLULAS
VEGETAIS
Tarsonemidae e Eriophyoidea: as células
epidérmicas
Tetranychidae e Tenuipalpidae: as células
epidérmicas e do mesófilo
SUPERFAMÍLIA ERIOPHYIOIDEA
 GNATOSSOMA COM SETE A NOVE 
ESTILETES 
 INJETAM GRANDE QUANTIDADE DE 
SECREÇÕES SALIVARES NO TECIDO 
VEGETAL 
Moraes & Flechtmann (2008)
NÃO INGEREM O CONTEÚDO CELULAR 
NORMAL
NECESSITAM REALIZAR UMA DIGESTÃO 
PRÉ-ORAL DO ALIMENTO COM A INJEÇÃO 
DE ENZIMAS SALIVARES
SINTOMAS 
E DANOS DE
ERIOPHYOIDEA
Superfamília Eriophyoidea
Perfuram apenas as células epidérmicas
O dano resulta da intensa transpiração 
através da epiderme destruída.
Esse dano pode levar também à 
dessecação das células do mesófilo.
Uma camada endurecida, rica em lignina forma- se
sobre o parênquima nas regiões onde as células
epidérmicas foram destruídas.
McCoy (1996)
Perfurações realizadas pelos estiletes dos ácaros
Royalty e Perring (1996) Nature of 
damage and its assessment
A dessecação e
morte da planta,
causadas por pesadas
infestações, resultam
da perda de água
através da epiderme
destruída.
A perda de água leva
ao fechamento dos
estômatos com a consequente
redução das trocas gasosas e
da fotossíntese.
Royalty e Perring (1989) Reduction in photosynthesis of tomato
leaflets caused by
tomato russet mite (Acari: Eriophyidae).
BRONZEAMENTO 
DE FOLHAS, 
RAMOS E FRUTOS
07/09/2019
3
Sintomas do ataque de Phyllocoptruta oleivora em frutos 
próximos da maturação
FAMÍLIA ERIOPHYIDEA
 Biologia
Ovo → Esférico, Elíptico ou lentiforme → Traslúcido
 Larva → Apenas dois pares de pernas, os demais são
transformados em fio
 Ninfa 1 e Ninfa 2 → Dois pares de Pernas indistintas exceto pelo
tamanho
 Adulto → Alongados, vermiformes, fusiformes, e com tegumento
anelado, transversalmente a Cor Depende da espécie
OVO
LARVA
NINFA
ERIOPHYIDEA
FÊMEA MACHO
EQ
EQ
ovos
ácaro
exúvia
forma 
jovem
Calacarus heveae
Foto: Helder Adriano de Souza da Silva
FAMÍLIA ERIOPHYOIDEA
 Biologia
Ovo → Adulto → 20 – 25 dias
→ Ovo → 5 dias
→ 2 dia para cada fase larval
→ Um dia para cada forma quiescente
→ Longevidade + ou – 20 dias
→ 10 a 20 ovos por fêmea dependendo do tipo de
alimentação
FAMÍLIA ERIOPHYOIDEA
 Biologia
Sexuada * Assexuada
N N
2N
Macho Fêmea
N
N
Fêmea
Descendente:
Fêmea Diplóide
Descendente:
Macho haplóide
(sem cópula)
gametas
gametas
Família Eriophyidea – Reprodução
Partenogênese telítoca ainda não tem sido
constatada nesses ácaros (NORTON et al., 1993).
Partenogênese Arrenótoca
07/09/2019
4
Photograph by Eric Erbe; digital colorization by Chris Pooley. Published in 
Agricultural Research Magazine. Identification by Ronald Ochoa, Research 
Associate, SEL. 
espermatóforo
Oldfield, Hobza e Wilson (1970) Discovery and characterization of spermatophores in the Eriophyoidea
(Acari).
Tetranychidae T. urticae Algodoeiro 25,0 58,0 10,7 85,5 21,4
Mamoeiro 25,7 75,4 8,0 179,0 21,4
Tenuipalpidae B. phoenicis Citros 30,0 60 14,4 39,2 21,5
T. heveae Seringueira 28/25 70 30,3 34,0 28,5
Tarsonemidae P. latus Algodoeiro 27,2 72,0 2,9 50,3 12,6
Limoeiro 27,1 68 3,7 58,9 13,4
Eriophyidae C. heveae Seringueira 28/23 90,0 9,7 16,2 8,4
Família Espécie Hospedeiro
Condições 
climáticas
Ovo a 
adulto 
(dias)
Ovos por 
fêmea
Fêmea 
adulta 
(dias)T°C UR%
Superfamília Eriophyoidea
TEMPO SECO
Aculops lycopersici – tomateiro
TEMPO ÚMIDO
Calacarus heveae – seringueira
Phyllocoptruta oleivora – citros
Aceria guerreronis – coqueiro
EFEITO DA UMIDADE DO AR
A dispersão a curtas distâncias, em uma
mesma planta, ocorre por caminhamento
Longas distâncias ocorre principalmente
pela ação do vento, sendo este o principal
agente para a colonização de novas áreas
(PONTEIROS).
Podem ser dispersados pelo homem ou
tratos culturais
(MORAES; FLECHTMANN, 2008;). 
DISPERSÃO
Vento
Infestação em
Crescimento
Início da Infestação
Legenda
Ovos
Jovens
Adultos
Final da Infestação
DISPERSÃO Superfamília Eriophyoidea
NA PRESENÇA DE VENTO OS ÁCAROS LEVANTAM A
PARTE ANTERIOR DO CORPO APOIANDO-SE NO
LOBO ANAL, PARA FACILITAR A DISPERSÃO PELO
VENTO.
LOBO ANAL
DIAPAUSA É
UM MECANISMO DESENVOLVIDO POR INSETOS E
ÁCAROS PARA SOBREVIVER ÀS CONDIÇÕES ADVERSAS.
FAMÍLIA ERIOPHYIDEA
Superfamília Eriophyoidea:
Podem apresentar fêmeas de diapausa
em locais com invernos rigorosos
07/09/2019
5
Principais Ácaros da 
Família Eriophyoidae
FAMÍLIA ERIOPHYOIDEA
Caracterização do Gênero Aceria
Sertas verticais ausentes
Escudo prodorsal com o par posterior de setas escapulares
presentes, inseridas na ou bem proximas da margem posterior e 
dirigidas para trás
Corpo vermiforme
Anelação opistossomal subigual dorsoventralmente
Tibia da perna I sempre distinta do respectivo tarso
Seta da tibia e do femur presente
Necroses em frutos
Aceria guerreronis em côco
http://www.pestnet.org/SummariesofMessa
ges/Crops/Plantationcrops/Coconutoilpalm/
Mites/Aceria,Tahiti.aspx
Joana Ferreira, Embrapa, 2011 Joana Ferreira, Embrapa, 2011
07/09/2019
6
442:42
http://hawaiiplantdisease.net/cpg/displayim 
age.php?pid=224
Deformação de frutos
Aceria sheldoni em citros
Deformação de frutos
Aceria sheldoni em citros
MUITAS ESPÉCIES 
DE ERIOPHYIDAE
PODEM INDUZIR 
A PLANTA A 
PRODUZIR
GALHAS
Formação de galhas em folhas
Galhas em folhas de mutambo
07/09/2019
7
Fevereiro-2003Setembro-2002
Galhas em
folhas de
mutambo
Galhas em folhas 
de mutambo Galhas em folhas de mutambo 43Ácaro da lichia - Aceria litchii2:42
Sintomas e prejuízos de
Aceria litchii em lichieira
Foto: Pedro F.Picoli Foto: Pedro F.Picoli
07/09/2019
8
Foto: Pedro F.Picoli
Foto: Pedro F.Picoli Foto: Pedro F.Picoli
Eríneos em folhas de lichieira
Foto: Pedro F. Picoli
Eríneos em folhas de lichieira
Foto: Pedro F. 
Picoli
Foto: Pedro F.Picoli Foto: Pedro F.Picoli
07/09/2019
9
Foto: Pedro F.Picoli Roberto Lomba Nicastro

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.