A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Aula 14

Pré-visualização | Página 4 de 6

mesmice inovação
cegueira curiosidade
temor coragem
derrota perseverança
desistência experimentação
Para Bennis, o líder eficaz é aquele que tem abertura para novas 
idéias, receptividade para propostas de mudança, cultiva a inovação, 
apresenta curiosidade pelas coisas, possui coragem para mudar e 
enfrentar adversidades, é perseverante na busca de seus ideais e dos 
objetivos e cultiva a experimentação, sempre testando novas opções, 
alternativas e caminhos.
Elementos-chave Tipos de líder
Ambição/drive Líder realizador
Conhecimento/especialização Líder competente
Elementos-chave Tipos de líder
Ambição/drive Líder realizador
Conhecimento/especialização Líder competente
Integridade Líder ético
178 C E D E R J
História do Pensamento Administrativo | As teorias sobre liderança: de Weber a Welch
C E D E R J 179
A
U
LA
 
1
4
 
Howard Gardner, com esta 
frase, evidencia o grande desafio 
dos líderes políticos, empresariais, culturais 
e de todos os tipos: mudar a mente das pessoas, 
persuadindo-as de forma correta:
“Poucas metas são tão difíceis de ser alcançadas 
quanto mudar significativamente um ser 
humano adulto”.
Finalmente, Bennis estabelece as diferenças entre chefe e líder:
Em seu livro mais recente, Co-líderes: o poder das grandes parcerias, 
em co-autoria com David A. Heenan, Bennis desenvolve o conceito de 
co-líderes, que são os subordinados importantes que ajudam o líder em 
seu desempenho e as equipes do líder que trabalham para o alcance de 
um objetivo comum.
Elementos-chave Tipos de líder
Ambição/drive Líder realizador
Conhecimento/especialização Líder competente
Integridade Líder ético
Chefes Líderes 
Empurram
Comandam
São mestres
São comandantes
São donos da voz mais alta
Administram
São cópias
Mantêm
Focalizam os sistemas e a estrutura
Perguntam como e quando
Convivem melhor no status quo
São bons soldados
Obtêm resultados por meio ou apesar das 
pessoas
Querem segurança e estabilidade
São obedientes
São fazedores
Vestem a camisa da empresa
Buscam status de vida
Puxam
Comunicam
São maestros
São treinados
São donos dos ouvidos mais acurados
Inovam
São originais
Desenvolvem
Inspiram confiança
Perguntam o quê e por quê
Desafiam, mudam
São eles mesmos
Desenvolvem pessoas e grupos 
 
 Querem desafios
São contestadores
São criativos
Participam dos negócios da empresa
Privilegiam qualidade
!!
180 C E D E R J
História do Pensamento Administrativo | As teorias sobre liderança: de Weber a Welch
C E D E R J 181
A
U
LA
 
1
4
 
O desafio de mudar 
as mentes das pessoas
Howard Gardner, autor da teoria das 
inteligências múltiplas, analisa o processo de 
persuasão, fundamental no exercício da liderança 
(texto adaptado de artigo publicado pela revista Exame 
– www.exame.com.br).
Em seu livro, Changing minds, Gardner enumera sete alavancas que 
ajudam os líderes a persuadir pessoas: 
razão (apresentação lógica das idéias);
pesquisa (utilização de informações relevantes na argumentação);
ressonância (a idéia deve parecer certa para o público); 
redescrições representacionais (termo técnico que significa contar boas 
histórias); 
recursos e prêmios (apresentação de perspectivas de recompensas);
acontecimentos do mundo (relato de crises, guerras, catástrofes, para facilitar a 
mudança de pensamento);
resistências (capacidade de administrar as resistências das pessoas).
Analise uma situação de fracasso de um líder empresarial devido ao seu mau 
desempenho no campo da persuasão.
Robert Shapiro, ex-presidente da Monsanto, tinha um grande desafio a vencer: 
transformar a Monsanto numa empresa de biotecnologia.
Seu objetivo era criar uma linha de produtos transgênicos de grande 
rentabilidade para a sua empresa. Falhou em convencer o público de que 
os transgênicos eram uma boa idéia.
Foi alvo de uma manifestação em São Francisco (Califórnia, 
EUA), quando um ativista atirou-lhe um pedaço de torta. 
Ao se demitir da empresa, fez um mea-culpa ao afirmar: 
“Nós provavelmente irritamos mais pessoas do que 
persuadimos.”
A questão é a seguinte: o que mais poderia ser 
feito pelo líder da empresa para persuadir 
o público em geral de que produtos 
transgênicos eram uma boa 
idéia?
?
Figura 14.5: O consumidor ainda tem dúvidas 
em relação à soja transgênica.
Lu
iz
 B
al
ta
r
(s
xc
.h
u
_4
89
80
3_
36
50
85
75
)
180 C E D E R J
História do Pensamento Administrativo | As teorias sobre liderança: de Weber a Welch
C E D E R J 181
A
U
LA
 
1
4
 
O ESTUDO DOS HÁBITOS DAS PESSOAS EFICAZES: UMA 
ANÁLISE DA OBRA DE COVEY 
Stephen Covey, em Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes 
(2005), definiu o perfil das pessoas eficazes identificando os seus 
principais hábitos: 
• ser proativo; 
• ter em mente o objetivo final; 
• primeiro o primeiro; 
• pensamento ganha-ganha; 
• primeiro compreender, depois ser compreendido; 
 sinergia; 
• promover a renovação.
Em seguida, identificou um oitavo hábito, o qual denominou de 
voz interior – “encontre sua voz interior e inspire os outros a encontrar 
a deles”. Seu conceito de voz interior é o seguinte: “Voz é significado 
pessoal e único. Significado que se revela quando nos deparamos com 
nossos maiores desafios e que nos coloca à altura deles”.
Para Covey, há quatro 
necessidades e motivações básicas 
das pessoas:
 • aprender (mente); 
 • viver (corpo); 
 • amar (coração); e 
 • espírito (busca do sentido, significado e 
contribuição do trabalho).
!!
Segundo o pensamento desse autor, compete ao líder criar 
condições de trabalho que ajudem as pessoas a satisfazer suas necessidades 
e motivações básicas:
• fazê-las aprender coisas novas (desenvolvimento da mente);
• ajudá-las a sobreviver (desenvolvimento do corpo);
• promover relacionamentos e relacionar-se bem com elas 
(desenvolvimento do coração); e 
• dar-lhes um significado para o seu trabalho (identificação e 
desenvolvimento da voz interior).
182 C E D E R J
História do Pensamento Administrativo | As teorias sobre liderança: de Weber a Welch
C E D E R J 183
A
U
LA
 
1
4
 
Ao agir dessa forma, o líder contribui para:
• o aprimoramento do talento das pessoas (dons, habilidades 
e pontos fortes); 
• a satisfação de suas necessidades (mente, corpo, coração 
e espírito); 
• o fomento de sua paixão (energizando-as, motivando-as 
e inspirando-as); e 
• o desenvolvimento de sua consciência (despertando-as 
e ensinando o que é certo).
A ABORDAGEM ESPIRITUALISTA DA LIDERANÇA: 
O DIÁLOGO DO MONGE COM O EXECUTIVO
Em seu livro O monge e o executivo, James Hunter desenvolve um 
novo modelo de liderança, baseado nos valores da disciplina, servidão, 
paciência, confiança e amor. Para tal, o autor estabelece uma diferença 
entre gerência e liderança:
“Gerência não é algo que você faça para os outros. Você gerencia 
seu inventário, seu talão de cheques, seus recursos. Você pode até gerenciar 
a si mesmo. Mas você não gerencia seres humanos. Você gerencia coisas 
e lidera pessoas” (HUNTER, 2005, p. 25).
Em seguida, apresenta o seu conceito de liderança: “É a habilidade 
de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente visando atingir 
os objetivos identificados como sendo para o bem comum” (idem).
Segundo seu modelo, a liderança baseia-se no exercício da 
autoridade, que se constrói sobre serviço, sacrifício (pôr de lado suas 
vontades e necessidades) e amor (caridade e serviço) e tem início com a 
vontade de atender as necessidades dos seguidores.