Demanda por moeda em Keynes; armadilha da liquidez e a curva LM
3 pág.

Demanda por moeda em Keynes; armadilha da liquidez e a curva LM


DisciplinaMacroeconomia I7.710 materiais113.817 seguidores
Pré-visualização1 página
Resumo parte 1, Macroeconomia 
A. Motivos para reter moeda; 
B. A armadilha da liquidez; 
C. Modelo IS-LM; 
D. A Curva LM; 
E. Deslocamento da LM; 
F. A inclinação da LM. 
 
A demanda por moeda em Keynes 
1. Demanda transacional: 
A demanda transacional trata a moeda como meio para trocas e transações. Para maximizar satisfação ou 
arcar com despesas diárias os agentes demandam moeda para transações e trocas. Ao reter moeda para 
transações há um custo de oportunidade, visto que quando demando moeda perco rentabilidade de fazer um 
investimento em títulos, ou perco a rentabilidade de poupar e receber uma taxa de juros a ele associado. A 
demanda por moeda depende positivamente da renda e negativamente da taxa de juros. 
2. Demanda precaucional: 
Neste caso, os agentes como forma de se prevenir a futuros imprevistos optam por reter moeda. A moeda 
neste cenário é tratada como um meio de proteção frente as incertezas econômicas. A demanda precaucional 
depende positivamente da renda e negativamente da taxa de juros. 
3. Demanda especulativa: 
Cada agente idealiza sua expectativa sobre a futura taxa de juros dos títulos. Quando a expectativa é que a 
taxa de juros vigente esteja acima do normal, os agentes esperam a taxa se reduzir, por conseguinte o preço 
dos títulos se eleva. Dessa forma, os agentes demandam títulos. Por outro lado, quando a taxa de juros está 
abaixo do normal os agentes esperam a taxa se elevar, pois consequentemente os títulos perderão valor. 
Neste caso, os agentes demandam moeda. Assim, a demanda especulativa reage a expectativa sobre a 
evolução da taxa de juros dos títulos. A demanda por moeda tem caráter especulativo. 
 
A armadilha da liquidez: 
Quando a taxa de juros está abaixo do normal, há consenso entre os agentes que ela subirá no futuro 
(demanda especulativa). Dessa forma, a demanda por moeda tende ao infinito \u2013 infinitamente elástica a taxa 
de juros corrente \u2013 alterações na taxa de juros fazem a moeda reagir muito. A variação da moeda nesse caso, 
tem impacto nulo ou quase nulo sobre a taxa de juros, visto que toda nova moeda em circulação é 
imediatamente demandada pelos mercados. 
 
Modelo IS-LM: o modelo envolve o mercado de bens (IS) e o mercado monetário (LM). Quando em 
equilíbrio, quando a curva IS cruza a curva LM, ocorre o equilíbrio macroeconômico. 
 
Mercado Monetário LM: 
Oferta de moeda = demanda por moeda 
notação: Ms=Md 
 
OBS: a demanda por moeda depende da renda e taxa de juros corrente. 
Quando maior a oferta de moeda, menor será a taxa de juros. O crescimento da renda eleva a 
demanda (precaucional e transacional) por moeda. Ou seja, há um deslocamento paralelo da Curva 
Md. 
 
 
A curva LM representa os pontos de equilíbrio do mercado monetário para diversas combinações de 
renda e taxa de juros. 
 
 
A curva LM se desloca sempre que a Ms é alterada pela autoridade monetária. 
 
A inclinação da LM depende da elasticidade da demanda por moeda em relação a renda e a taxa de 
juros corrente. 
Baixa elasticidade: (C2 baixo): muita variação da taxa de juros (i) e pouca variação da demanda por 
moeda (Md). Neste caso, teremos uma LM quase de pé, muito inclinada. 
 
Alta elasticidade (C2 alto): pouca variação de i e muita variação da Md. Teremos uma LM muito 
inclinada, quase deitada. 
 
Caso clássico: há somente um nível de produto (y) que equilibra o Mercado Monetário. Assim, um 
aumento na taxa de juros não contrai demanda por moeda. A LM neste caso é vertical. 
 
Armadilha da liquidez: a taxa de juros está tão, tão baixa que há consenso de que ela subirá no 
futuro. A Md tende ao infinito à taxa de juros corrente.