A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
AULA 03 - GESTAÇÃO E PRÉ-NATAL

Pré-visualização | Página 1 de 3

SAÚDE DA MULHER
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
Prof. Leila de Paula
Almenara 
GESTAÇÃO
	A gravidez é um fenômeno reprodutivo que acontece em decorrência de uma relação sexual durante o período fértil da mulher.
	Tal fenômeno traz diversas modificações no organismo e na vida da mulher. 
DIAGNOSTICANDO A GRAVIDEZ
	
	O diagnóstico de gravidez baseia-se na história, no exame físico e nos testes laboratoriais, além dos exames específicos como Ultrasonografia.
	Testes de gravidez - inicialmente, o hormônio gonadotrofina coriônica é produzido durante a implantação do embrião no endométrio; posteriormente, passa a ser produzido pela placenta. Esse hormônio aparece na urina ou no sangue 10 a 12 dias após a fecundação, podendo ser identificado mediante exame específico. 
	São possíveis resultados tanto falso-negativos quanto falso-positivos.
	
SINAIS E SINTOMAS SUGESTIVOS DE GRAVIDEZ
Amenorreia;
Náuseas com ou s/ vômitos;
Alterações mamárias;
Polaciúria;
Vibração e tremor abdominal.
SINAIS DE PROBABILIDADE
Aumento uterino
Mudança da coloração da região vulvar
Colo amolecido
Testes de gravidez
Sinais positivos de gravidez
São aqueles que efetivamente confirmam a gestação:
Batimento cardíaco fetal (BCF) - utilizando-se o estetoscópio de Pinard, é audível a partir da 18ª e 20ª semana de gestação.
Percepção de partes do feto e de seus movimentos ativos: pela palpação abdominal após o quinto mês de gestação
Visualização do embrião ou feto pelo US.
Período gestacional 
A gestação normal tem duração aproximada de 280 dias ou 9 meses ou 40 semanas, podendo variar de 38 a 42 semanas gestacionais.
Pode ser subdividido em três trimestres. Cada trimestre, por sua vez, é formado por 12 a 14 semanas de gestação.
Gravidez pré-termo ou prematura - Menos de 37 semanas e 22 semanas ou mais.
Gravidez a termo - Entre 37 semanas e 42 semanas incompletas. 
Gravidez pós-termo/prolongada - 42 semanas completas e mais. 
Período de abortamento - Concepto com menos de 500g ou gravidez com menos de 22 semanas.
MODIFICAÇÕES DO ORGANISMO MATERNO
Tal fenômeno traz diversas modificações no organismo e na vida da mulher. Assim ela pode vivenciar situações das mais simples às mais complexas, que repercutem tanto no seu bem-estar como no de seu concepto, podendo gerar até o risco gestacional.
MODIFICAÇÕES SISTÊMICAS
Postura e deambulação: lordose da coluna lombar e modificações na deambulação (marcha Anserina).
Sistema cardiovascular: diminuição da pressão arterial com tendência à hipotensão e à lipotimia (perda momentânea da consciência).
Volume sanguíneo: acréscimo de 1 a 1,5L, sendo maior o aumento do volume de plasma do que o volume de glóbulos vermelhos (hemácias). O sangue da gestante apresenta-se “diluído”, determinando a chamada “anemia fisiológica da gestação”.
Aumento na produção de hemácias, daí a necessidade de suplementação de ferro;
Aumento na produção dos fatores de coagulação para conter hemorragias na ocasião do parto.
Sistema Urinário: alterações anatômicas e funcionais predispõem a gestante à alta incidência de infecção urinária.
Sistema Respiratório: Há um valor de sangue sendo oxigenado nos pulmões para suprir as necessidades do feto. O aumento nas taxas hormonais, próprio da gestação, causa dispneia na gestante.
Sistema Digestivo: Mais de 50% das gestantes relatam o aumento do apetite e da sede. Náuseas e vômitos são comuns. A gestante apresenta tendência ao sangramento gengival e a cáries dentárias.
Ossos e Articulações: poderá ocorrer insuficiência de cálcio por deficiência na ingestão desse nutriente. As articulações aumentam sua mobilidade, especialmente da região pélvica, para favorecer o parto.
Sistema Nervoso: manifestações como hiperêmese, enxaqueca, depressão, modificações de personalidade, reações maníacas.
Pele: aumento na pigmentação da pele: face (cloasmas gravídicos) e pigmentação geral (vulva, períneo, nariz e linha nigra, aréola mamária); 
Estrias: aparecem após o sexto mês no abdome, nas mamas, nos flancos e na região sacral e lombar;
Aumento do crescimento dos cabelos, das unhas, da sudorese e do calor.
Ganho de peso: Normal em média – 12 kg
Feto: 3.400gramas;
Placenta: 650 gramas;
Útero: 900 gramas;
Líquido: 800 a 1.000 gramas;
Mamas: 400 a 500 gramas:
Volume sanguíneo: 1.300 a 1.500 gramas;
Líquido extracelular: 1.500 gramas;
Excedente: 2.300 a 3.300 gramas de gordura.
	Pode-se relacionar esse ganho de peso com as perdas no pós-parto:
Parto: 5kg= feto+placenta+líquido amniótico;
Puerpério imediato: 2 a 2,5 kg= líquido extracelular+involução uterina;
Três meses após o parto, ocorrerá a perda de peso excedente, especialmente naquelas que amamentam.
	
	Cada vez mais cresce o número de meninas que ficam grávidas muito cedo.
	 No Brasil, milhares de meninas adolescentes morrem em consequência de aborto, gravidez, parto e pós-parto.
	
	A gravidez prejudica o corpo imaturo das meninas e ainda atrapalha seu crescimento. Além de deixar a escola ou o trabalho para cuidar do filho.
O que fazer para evitar a gravidez na adolescência:
- Orientar os jovens sobre os riscos da gravidez;
- Alertar, esclarecer, orientar sobre a educação sexual;
Assegurar aos jovens (mulheres e homens) informações e acesso aos 
métodos anticoncepcionais;
O que fazer em caso de gravidez na adolescência:
- Oferecer todo o apoio necessário para que a jovem não abandone os 
estudos;
- Procurar imediatamente um médico;
- Garantir o acesso ao pré-natal;
- Ficar atento para qualquer sintoma de doença (inchaço, pressão alta, 
mudanças de cor e quantidade na urina);
- Garantir uma alimentação com carnes, ovos, fígado e beterraba para 
evitar a anemia;
Gravidez Gemelar
Bivitelinos
Xifópagos/Siameses
Univitelinos
EMBRIÃO X FETO
Embrião: É o conceito de quando se está em sua fase de diferenciação orgânica, da 2ª à 8ª semana depois da fecundação, etapa conhecida como período embrionário. 
	O período embrionário termina na 8ª semana depois da fecundação, quando o concepto passa a ser denominado de feto.
Feto: Chama-se de feto o estágio de desenvolvimento intra-uterino que tem início após 8 semanas de vida embrionária, quando já se podem ser observados braços, pernas, olhos, nariz e boca, e vai até o fim da gestação. Após o parto, o feto passa então a ser considerado um recém-nascido (RN) – bebê com até 28 dias de vida.
ESTAPAS DA GESTAÇÃO
1º e 2º Meses ( 4 e 8 semanas): 
Da 5ª à 6ª semana – o embrião tem cérebro, espinha e um sistema nervoso simples. Na cabeça, cavidades rasas antecedem a presença, mais tarde, de olhos e ouvidos. Estômago e tórax se desenvolvem, mas o coração é apenas uma saliência. Despontam quatro brotos de braços e pernas. Mede aproximadamente 6mm.
7ª semana – O coração já pulsa, e faz o sangue circular pelo corpo. No rosto estão se formando os olhos. Os braços e as pernas, bem visíveis, mostram que os dedos logo começarão a se formar. Pulmões, rins, fígado e órgãos sexuais internos se aprimoram. Mede aproximadamente 1,3cm.
8ª semana – O rosto vai ganhando formato humano: o nariz se arredonda, as narinas se formam, as orelhas e ouvidos se desenvolvem, os dois lados do maxilar se unem para desenhar a boca. As mãozinhas parecem nadadeiras, pois os dedos se mantêm ligados por delicadas membranas. Ele se movimenta muito. Mede aproximadamente 2,5cm.
3º Mês (12 semanas):
No terceiro mês já foi afastado quase todos os riscos de um aborto espontâneo. É uma fase de adaptação do organismo materno à nova condição. Agora você já percebe um ligeiro aumento de barriga. Já abre e fecha a boca e as mãos. As estruturas ósseas começam a ficar mais consistentes. A cabeça, bem maior que o corpo, permanece assim até a 12ª semana. Seus batimentos cardíacos já são audíveis, atingem a média de 140 pulsações por minuto. Mede aproximadamente 9 cm.
4º Mês (16 semanas):
Os dedinhos já têm unhas. Alguns órgãos internos, como os rins,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.