ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO PDF
11 pág.

ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO PDF


DisciplinaEstruturas de Concreto Armado II453 materiais4.141 seguidores
Pré-visualização3 páginas
ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO
1.1 O concreto é composto por: I \u2013 Areia II - Água III - CimentoIV - Agregados
Pode-se afirmar que:
R:Todas as alternativas estão corretas
1.2Norma técnica brasileira fundamental para o dimensionamento de estruturas de 
concreto:
R;NBR 6118:2003
1.3São peças que compõem uma estrutura geralmente com uma ou duas dimensões 
preponderantes. A afirmativa é referente:
R:Elementos estruturais
1.4Conceito ligado basicamente à maneira de efetuar o seu adensamento (facilidade ou 
dificuldade). A afirmativa é referente:
R:Trabalhabilidade
1.5Consiste, em um primeiro momento, na separação dos diversos compostos do concreto 
para depois misturá-los adequadamente, evitando formação de bolhas de ar, vazios e 
segregação dos materiais. A afirmativa é referente:
R;Adensamento
1.6Principal característica do concreto determinada pelo ensaio de corpos de prova. A 
afirmativa refere-se a:
R:Resistência à compressão
1.7A norma NBR 7480:1996 define os tipos, as características e outros itens sobre as 
barras e os fios de aço destinados a armadura de concreto armado. Todo materual de 
barras, caso do CA-25 e do CA-50, deve ser obrigatoriamente fabricado por _________, e 
que todos os fios, característicos do CA-60, devem ser fabricados por trefilação ou 
processo equivalente, como estiramento ou _________. 
R:laminação a quente / laminação a frio
1.8Um engenheiro especificou em seu projeto estrutural um fck de 25 MPa. Foram 
extraídos durante a obra 100 corpos de prova para a verificação da resistência do 
concreto. O engenheiro deve dar como aprovado o concreto quando:
R:No máximo 5 corpos de prova apresentarem resistência inferior a 25 MPa.
1.9Corresponde a maior ou menor capacidade que o concreto fresco tem de se deformar. 
A afirmativa é referente:
R :Consistência
1.10Período entre o inicio do endurecimento até ele atingir uma situação que possa ser 
desenformado. A afirmativa é referente:
R:Pega do concreto
1.11onjunto de medidas necessárias para evitar a evaporação precoce da água existente 
na mistura, de modo a conservar a umidade necessária para as reações de hidratação. A 
afirmativa é referente:
R;Cura do concreto
1.12Mostra as relações entre tensões e deformações específicas do concreto na 
compressão. É obtido por ensaios dos corpos de prova à compressão centrada, apresenta 
uma parte final parabólica e outra inicial sensivelmente retilínea.
R:Diagrama tensão-deformação
1.13No sistema SI, a unidade de força, denominada Newton (N), produz na massa de um 
quilograma, a aceleração de 1m/seg². Sabe-se que, pela 2ª Lei de Newton: F = m x a. 
Determine a força.
R:F = 1,0 N
2.1\u201cProjetar a estrutura de uma edificação consiste em conceber um sistema cujos 
elementos com finalidade resistente se combinam, de forma ordenada, para cumprir uma 
determinada função, que podem ser: vencer um vão, como nas pontes; definir um espaço, 
como nos diversos tipos de edifícios; ou conter um empuxo, como nas paredes de 
contenção, tanques e silos\u201d A afirmativa está:
R: CORRETO
2.2Conjunto de partes consideradas resistentes de uma edificação. Para ter sua capacidade 
assegurada, é necessário conhecer o comportamento das peças ou elementos estruturais. 
Esta afirmativa refere-se:
R; ESTRUTURAS
2.3Elementos lineares de eixo reto, usualmente dispostos na vertical, em que as forças 
normais de compressão são preponderantes. Esta afirmativa refere-se:
R; PILARES
2.4Elementos lineares de eixo reto em que as forças normais de tração são 
preponderantes. Esta afirmativa refere-se:
R; TIRANTES
2.5Elementos lineares curvos em que as forças normais de compressão são 
preponderantes, agindo ou não simultaneamente com esforços solicitantes de flexão, cujas 
ações estão contidas em seu plano. Esta afirmativa refere-se:
R: ARCOS
2.6Elementos de superfície plana sujeitos principalmente a ações normais a seu plano. São 
usualmente denominadas lajes. Esta afirmativa refere-se:
R;PLACAS
2.7A estrutura é efetivamente dividida em partes, por meio de "juntas de separação" que, 
além de simplificar o cálculo, contribuem na diminuição da intensidade dos esforços 
decorrentes dos estados de coação da estrutura, isto é, aqueles estados cujos esforços 
decorrem de deformações impostas à estrutura. Em particular, como as juntas de 
separação atenuam os efeitos decorrentes das variações de temperatura, essas juntas são 
usualmente chamadas de \u201cjuntas de dilatação\u201d. Esta afirmativa refere-se:
R; DECOMPASIÇÃO REAL
2.8I - Uma viga pode ser calculada como contínua, admitindo-se apoios simples nos 
pilares. Posteriormente, deve-se considerar a ação de pórtico nas ligações viga-pilar, cujos 
momentos vão induzir a solicitação de flexão composta nos pilares extremos;
II - A massa específica do concreto armado é suposta constante e uniforme, 
independentemente da resistência do concreto, da natureza e da taxa de armadura da 
peça estrutural;
III - O peso próprio de uma laje é tomado como uma carga uniformemente distribuída, 
atuando na superfície da laje, e de uma viga, como uma carga distribuída em linha;
Pode-se afirmar que:
R:TODAS ESTAO CORRETAS
2.9Devem ser resistidas preferencialmente por barras (vigas, pilares, tirantes, arcos). 
Podem ocorrer situações em que a laje se apoia diretamente sobre os pilares, sendo 
chamada de laje plana ou cogumelo. Esta afirmativa refere-se:
R; CARGA CONCENTRADA
2.10Tem a finalidade de suportar a aplicação direta das cargas distribuídas em superfície, 
sendo usualmente composta pelas lajes. 
R; ESTRTURA TERCIARIA
2.11Com relação à diretrizes práticas para o lançamento estrutural de vigas e pilares: 
I - Os arranjos das vigas e dos pilares devem ser tratados simultaneamente, pois são 
interdependentes: a disposição dos pilares condiciona o arranjo das vigas e vice-versa;
II - A escolha da estrutura de um edifício de vários andares começa, em geral, pelo 
pavimento tipo, repetido várias vezes no projeto de um edifício de múltiplos andares; 
III - É conveniente que a posição dos pilares seja mantida nos demais pavimentos além do 
pavimento tipo, mesmo em pavimentos com arranjo estrutural de lajes e vigas diferente do 
tipo, com vistas à economia de formas, continuidade de barras dos pilares e fluxo de 
cargas;
IV - Quando nenhuma das soluções encontradas para a posição dos pilares nos pavimentos 
superiores satisfazem ao andar térreo (pilotis, lojas, etc.), sendo necessário mudar sua 
posição, o vigamento do teto do andar térreo deverá fornecer apoio conveniente aos 
pilares superiores, funcionando como estrutura de transição;
RTODAS ESTAO CORRETA
2.12Tem como base um critério geométrico, que define na peça três comprimentos 
característicos: L1, L2 e L3. O critério adota o seguinte princípio: dois comprimentos 
característicos que estão dentro da relação 1:10 são considerados com a mesma ordem de 
grandeza. Esta afirmativa refere-se:
R TEORIA DAS ESTRUTURAS
2.13Elementos em que uma dimensão, usualmente chamada espessura, é relativamente 
pequena em face das demais. Esta afirmativa refere-se:
R;Elementos de superfície
2.14Elementos de superfície plana sujeitos principalmente a ações contidas em seu plano. 
Elementos em que o vão for menor que três vezes a maior dimensão da seção transversal 
são usualmente denominadas vigas parede. Esta afirmativa refere-se:
R: CHAPAS
2.15Elementos de superfície plana ou casca cilíndrica, usualmente dispostos na vertical e 
submetidos preponderantemente à compressão. Em alguma dessas superfícies, a menor 
dimensão deve ser menor que 1/5 da maior, ambas consideradas na seção transversal da 
peça. Esta afirmativa refere-se:
R:PILARES E PAREDES
3.1Sobre a síntese cadastral:
I - Etapa do projeto em que se efetua a superposição dos esforços determinados no 
cálculo dos elementos estruturais isolados. A estrutura retoma o caráter tridimensional, 
pela justaposição dos elementos