DERMATOFITOSE
2 pág.

DERMATOFITOSE


Disciplina<strong>doenças Infecciosas</strong>40 materiais44 seguidores
Pré-visualização1 página
Tonalidade 
esbranquiçada/amarelada
\uf0a7
Hifas\uf0a7
Franjas\uf0a7
Estrutura sexuada\u25a1
Formato de pêra\u25a1
Macronídeos\uf0a7
Meio sabouraud\u25cb
gypseum\u25cb
Microsporum canis\u2022
Tonalidade 
esbranquiçada/amarelada
\u25cb
Hifas\u25cb
Franjas\u25cb
Estrutura assexuada\uf0a7
Macronídeos\u25cb
Tricopytum mentagrophytes\u2022
Epidermopyton antropofílico\u2022
Zoonose\u2022
Tropismo por tecidos\u2022
Infecção tegumentar mais comum em 
felinos
\u2022
Etiologia
Acrósporos - forma infectante\u2022
Doenças cutâneas inflamatórias\u25cb
Ectoparasitas - microtraumas\u25cb
Subnutrição\u25cb
Doenças imunossupressoras\u25cb
Comum em animais menores de 1 
ano e mais velhos
\u25cb
Fatores pré-disponentes\u2022
82% cães\u25cb
97,5% gatos\u25cb
Aniamais irrestritos\u25cb
Principal dermatofitose\u2022
Identificação não prediz a presença da 
doença
\u2022
Potenciais fontes de infecção\u25cb
Alta % de animais assintomáticos\u2022
Se lesão demora para evoluir para cura 
dermatológica -> pode estar associada 
a doença de causa basica
\u2022
Fungo é mais agressivo\u2022
Epidemiologia
Ex. máquinas de tosa, escovas, 
dispersão pelo ar ou poeira 
\u25cb
Contato direto com @s doentes, 
ambiente contaminado e fômites 
\u2022
Transmissao
Patogenia
A partir da liberação de enzimas liberadas 
pelo fungo e pelo ato de se coçar do animal, 
há o início da resposta inflamatória gerada 
pela dematofitose.
\u2022
Infecção inicial\u2022
Quando fungo é fagocitado pelo 
macrófago, o PAMP é reconhecido pelo TLR, 
o que dá início da resposta imune inata e a 
célula sinaliza a presença do patógeno 
através de citocinas para que haja a 
chegada de neutrófilos e linfócitos atraves 
da quimiotaxia, que envolve proteínas como 
integrina e selectina.
\u2022
\u2022 Macrófagos liberam IL-23 que recruta 
linfócitos Th17, que é ativado em casos de 
infecção por fungos e que estimula 
diapedese através de IL-17. 
Além da resposta imune inata, há também a 
ativação do sistema complemento, que atrai 
neutrófilos e através da deposição de C3b 
nas células patogênicas e formação do 
complexo de ataque à membrana, auxiliam 
no combate ao patógeno. 
\u2022
O fungo também é capaz de produzir 
reações de hipersensibilidade do tipo 1, que 
são mediadas por linfócitos Th2, que liberam 
IL-4 e recrutam células inflamatórias como 
mastócitos, basófilos e eosinófilos e 
estimulam(Th2) a produção de IgE.
\u2022
Infecção estabelecida\u2022
O macrófago apresenta o antígeno atraves 
de MHC2 e libera IL-12, então há presença 
de resposta imune adaptativa e presença de 
Th1 com liberação de citocinas (IL-2, IL-6 e 
IFN gama,que transforma o macrófago em 
um macrófago mais forte), ativação de 
macrófagos e recrutamento de linfócitos 
TCD8. Th1 atrai macrófagos causando 
resposta imune exagerbada e gerando 
hipersensibilidade do tipo 4(tardias), que são 
mediadas por linfócitos TCD4 e TCD8 e 
liberam citocinas inflamatórias(IFNgama, IL-1, 
IL-2, IL-6) e aumentam a permeabilidade 
vascular levando ao processo de inflamação 
local; 
\u2022
Ação direta nos folículos pilosos\u2022
 Página 1 de DIP 
Eritema\u2022
Alopecia\u2022
Mimetizam doenças dermatológicas no 
início
\u2022
Placas papulosas\u25cb
Eritema\u25cb
Prurido variável\u25cb
Lesão de quérion\uf0a7
Crostas hematopurulentas\u25cb
M. canis ou M. gypseum\u2022
Onicodistrofia ou onicogrifose\u25cb
M. Gypseum\u2022
Foliculite\u25cb
Piodermite\u25cb
T. Mentagrophytes\u2022
Sinais clinicos
Anamnese\u2022
Exame clínico\u2022
Demonstração fúngica - lâmpada de wood 
(fluorescente na presença de qualquer 
fungo - não fecha diagnostico)
\u2022
Exame direto\u2022
Ágar sabouraud + cloranfenicol\u25cb
Diagnóstico definitivo\u25cb
Coleta: avulsão de pelos/raspado\u25cb
Cultura fúngica \u2022
Suspeita no wood\u25cb
Confirmação de hifas e astrósporos\u25cb
Tricografia\u2022
Diagnostico
Doença autolimitante\u2022
Terapia tópica +sistêmica\u2022
Tratamento
Fungo permanece por anos no ambiente\u2022
Controle: hipoclorito de sódio, aspirador de 
pó, não manter o animal em ambiente 
fechado
\u2022
Profilaxia e controle
Cães e gatos são reservatório\u2022
M. canis principal fungo dermatológico em 
humanos
\u2022
3ª doença dermatológica mais prevalente 
em crianças com menos de 12 anos
\u2022
Saude publica
 Página 2 de DIP