presunção
32 pág.

presunção


DisciplinaDireito do Trabalho I30.544 materiais491.049 seguidores
Pré-visualização9 páginas
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ 
ESCOLA DE DIREITO 
CURSO DE DIREITO 
 
 
CARLA GIOVANNA GIACOMINI 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DA INOCÊNCIA E EXECUÇÃO ANTECIPADA DA 
PENA \u2013 UMA CONSTRUÇÃO JURISPRUDENCIAL OU MIDIÁTICA? 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
TOLEDO 
2018
 
 
 
CARLA GIOVANNA GIACOMINI 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DA INOCÊNCIA E EXECUÇÃO ANTECIPADA DA 
PENA \u2013 UMA CONSTRUÇÃO JURISPRUDENCIAL OU MIDIÁTICA? 
 
Artigo de Conclusão de Curso 
apresentado ao Curso de Direito da 
Pontifícia Universidade Católica do 
Paraná, como requisito parcial à obtenção 
do título de Bacharel em Direito. 
 
Orientador: Prof. Michael Hiromi 
Zampronio Miyazaki 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
TOLEDO 
2018
 
 
 
CARLA GIOVANNA GIACOMINI 
 
 
PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DA INOCÊNCIA E EXECUÇÃO ANTECIPADA DA 
PENA \u2013 UMA CONSTRUÇÃO JURISPRUDENCIAL OU MIDIÁTICA? 
 
Trabalho de Conclusão de Curso 
apresentado ao Curso de Direito da 
Pontifícia Universidade Católica do 
Paraná, como requisito parcial à obtenção 
do título de Bacharel em Direito. 
 
 
BANCA EXAMINADORA 
 
 
_____________________________________ 
Professor 1(Titulação e nome completo) 
Instituição 1 
 
 
_____________________________________ 
Professor 2 (Titulação e nome completo) 
Instituição 2 
 
 
_____________________________________ 
Professor 3 (Titulação e nome completo) 
Instituição 3 
 
 
 
 
 
Toledo, 16 de outubro de 2018. 
 
 
 
PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DA INOCÊNCIA E EXECUÇÃO ANTECIPADA DA 
PENA \u2013 UMA CONSTRUÇÃO JURISPRUDENCIAL OU MIDIÁTICA? 
 
PRINCIPLE OF PRESUMPTION OF INNOCENCE AND EARLY EXECUTION OF 
THE SENTENCE \u2013 A JUDICIAL CONSTRUCTION OR MEDIA? 
 
Autor: Carla Giovanna Giacomini1 
Orientador: Prof. Michael Hiromi Zampronio 
Miyazaki 2 
 
RESUMO 
Este artigo trata sobre a temática do princípio da presunção da inocência e a 
execução provisória da pena no âmbito do Direito Penal Brasileiro. Em análise das 
decisões jurisprudenciais e do entendimento doutrinário, é perceptível a dicotomia 
entre doutrina e jurisprudência, porquanto a primeira busca preservar uma garantia 
constitucional, e a segunda pauta-se nas necessidades da sociedade em prender a 
todo custo. Assim, busca-se compreender o papel da mídia no judiciário, e se há 
influência dos canais de comunicação e da sociedade como um todo, para o 
direcionamento atual da jurisprudência pátria. Para tanto, foi utilizada pesquisa 
dogmática, pautada no tripé doutrina, jurisprudência e legislação, e a comparação 
entre os julgados analisados e a influência praticada pela mídia, verificando-se a 
interferência do clamor social nas decisões proferidas pelo Supremo Tribunal 
Federal. 
 
Palavras-chave: Presunção de Inocência. Execução Provisória da Pena. Influência 
da Mídia. 
 
 
 
 
 
 
 
 
_______________ 
 
1 Graduanda do Curso de Direito do Curso da Pontifícia Universidade Católica do Paraná 
 
2 Graduado em Direito pela UNIVALI (Universidade do Vale do Itajaí \u2013 SC) (1998), Pós-Graduado em 
Direito Penal e Processual Penal pela FURB (Fundação Universidade Regional de Blumenau \u2013 SC) 
(2000), Professor de Direito Processual Penal e Estágio Simulado de Prática Jurídica Simulada da 
PUCPC, Campus Toledo \u2013 PR, Advogado Criminalista em Cascavel \u2013 Pr. 
 
 
 
ABSTRACT 
This article has the thematic of the principle of presumption of innocence and the 
execution of the provisory sentence under the Brazilian Criminal Rights laws. 
Analyzing the jurisprudential decisions and the doutrinary understanding, it is 
perceptible the dichotomy between teaching and jurisprudence, while the first tries to 
preserve a constitutional guarantee, the second is based on the society\u2019s needs of 
arresting at all costs. Thus, it seeks to understanding the role of the media in the 
judiciary, and if there is influence of the channels of communication and of society for 
the current targeting of the jurisprudence homeland. For both, dogmatic research 
was used, based on the tripod doctrine, case law and legislation, and the comparison 
between the judged analyzed and the influence exercised by the media, verifying the 
interference of social outcry in decisions handed down by the Federal Supreme 
Court. 
 
Key-words: Presumption of Innocence. Execution of the provisory sentence. 
Influence of the media. 
 
 
4 
1 INTRODUÇÃO 
 
Este artigo pauta-se na importância em estudar a temática do Princípio da 
Presunção da Inocência e sua aplicabilidade no Direito Brasileiro, e para tanto, 
busca-se compreendê-lo dentro dos limites impostos pela Constituição Federal de 
1988, e como deve ser interpretado, se de fato é uma garantia fundamental do 
cidadão, para preservar a liberdade do ser humano, proibindo qualquer violação 
antes que se esgotem as vias legais e judiciais, ou se em verdade poderia ser 
relativizado. 
Ainda, levando em consideração que a Constituição Federal de 1988 trouxe 
importantes inovações para o cenário jurídico do país, estabelecendo regras e 
princípios que devem reger as demais leis, o tema a ser abordado neste projeto, 
mostra-se totalmente atual, ao passo de que trata de uma garantia positivada em 
nossa Lei Maior, mas que, atualmente, tem sua interpretação relativizada pelo 
Supremo Tribunal Federal. Por outro lado, a doutrina age como grande defensora da 
Constituição, e entende que o texto constitucional deve ser interpretado em sua 
finalidade. 
O princípio da presunção de inocência, ou da não culpabilidade é uma 
garantia fundamental, expressamente prevista pelo texto constitucional, e como tal, 
deve ser preservada. Das diversas interpretações que este princípio pode gerar, é 
notório que a falta de consenso sobre sua real finalidade, causa insegurança 
jurídica, tanto para aqueles que estudam o direito e o usam diariamente em seus 
trabalhos, quanto para aqueles que sofrem as consequências da mudança de 
interpretação quando altera a composição dos Ministros do STF. 
Superada esta dicotomia, não no sentido de resolução da problemática, mas 
sim quanto a um ponto de equilibro necessário para dirimir a controvérsia de 
pensamentos entre estudiosos e aplicadores da lei, busca-se entender como se deu 
o processo de alteração do entendimento jurisprudencial acerca da execução 
provisória da pena, levando em consideração que, o acesso aos meios de 
comunicação elevou-se de maneira desenfreada, o que possibilitou que uma nação 
abrisse os olhos para o cenário político brasileiro. 
A mídia, como canal direto de acesso à informação, e principal percussora da 
exposição do trabalho realizado pelo judiciário, possui um monopólio das notícias, 
decidindo o que irá ser publicado ou não, sendo que tal afirmativa será estudada sob 
 
 
5 
o viés da influência no modo que a população cria sua opinião sobre assuntos que 
são decididos pelos aplicadores da lei. O poder dos canais de comunicação, aliado à 
explosão de escândalos envolvendo ministros, políticos e empresários, aumentou a 
sensação de impunidade, expondo todos os dias as falhas do poder judiciário e sua 
falta de efetividade. Todos esses fatores encorajaram a pressão midiática por 
respostas \u2018efetivas\u2019, mas nem sempre inteligentes, para que haja a sensação de 
justiça feita, ainda que instantânea, podendo causar prejuízos imensuráveis no 
futuro. Neste ponto, o presente artigo busca compreender, através de uma análise 
dos votos proferidos pelos ministros nos HCs 126.292 e 152.752 e nas ADCs 43 e 
44, qual o papel que a mídia exerceu no direcionamento do entendimento dos 
eminentes ministros. 
 
2 PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DA