ciencias Sistema digestório
12 pág.

ciencias Sistema digestório

Pré-visualização12 páginas
Sistema digestóri o apresenta ór g ãos es pec ializa d o s
na quebra dos al i ment os em part íc ulas menor es e no aproveit amento do s
nut r i ent es neles pr es entes . Es s e s is t ema é também r es ponsável por eli mina r
o mat er ial que não foi di g er ido.
O s is tema di g es t ór io humano é f or mado por uma es c i e
de canal alimentar, o q ual s e c omuni c a c om vári as g ndulas ac ess órias q ue
li beram dentr o del e subs tânc ias es s enci ai s para o proc es s o de di g es t ão. A
s eg uir c onhec eremos mai s s obre es s e i mpor tant e pr oc ess o.
Dicas par a uma ali mentação saudável
Órgã os do sistema d ig estório
O sistema digestóri o humano é formado pel o t rato gastr oi ntest inal , q ue é
c ompos t o pela boc a, f ari nge, ef ago, es t ômag o, intesti no del gado e
intes t ino g r os s o. As s oci adas a ess es ór g ãos, t emos as glândulas acessóri a s ,
também c hamadas de g lândulas as s oc iadas , q ue s ão as gl ândulas sali vare s ,
o f í gado e o ncr eas.
Bo c a
O process o de dig es tão i nic i a- s e na boc a. Nes s a c av idade o ali mento s of r er á
a ação dos dentes, que at uam g arant indo q ue os ali mentos s ej am c ortados ,
tr it ur ados e amas s ados. Es s a etapa da dig es t ão é c hamada de digest ã o
menica, por o env olv er s ubs t ânci as q uímic as q ue atuam no aliment o. Na
di g es t ão mec âni c a r eali zada pelos dent es , o al imento s ó s e tornará menor ,
g ar ant indo uma melhor ação das enz imas e também auxil iando na
deglutição. N ão pare ago ra... T em mais d epo is da pu blicidad e ;)
N a bo ca ta mb ém atu am as glâ ndu las s alivares, qu e são u ma das g n d ulas
acessóri as de sse i mportan te si ste ma. E ssas gl ân du l as são respon vei s pela
secreção d a saliva , a qu a l atu a n a dig estão q uímica. N a sal i va é en con trada
a amilase s alivar ou ptia lina, u ma en zi ma q u e atu a qu e bran do ca rb oi dra tos. O
al i me n to, tritu rado e mistu rado à sal i va, f orma u m agl omera do ch a ma do bo lo
alimen ta r.
A ng ua também é u ma e stru tu ra i mporta n te presen te n a b oca, sen do el a a
respon sável por aju dar o ali men to a mi stu rar-se com a sali va e também a mover o
bol o al i men tar pa ra o f u n d o da cavida de oral p ara qu e seja d egl u ti do. A pós sa ir da
cavi dade oral , o al i men to segu e para a f a ri n ge .
Leia também: 6 dicas para cu id ados co m os dentes
F a rin g e
A farin ge é u ma estru tu ra comu m en tre os si stemas d ig estó ri o e respi ratório , sen do
u ma á rea de tra nsição . Esse órgão a bre -se n a traqu ei a e também n o e sôf ago, e o
al i me n to segu e po r e sse ú l timo órgão.
E s ôfago
Ilustr ação dos pr incipais ó rg ão s do siste ma d igestó rio.
O esôfago é um ór g ão mus c ul ar q ue garante q ue o bolo alimentar s ej a levado ,
por
mei o
de contr ações da musculat ur a l isa, at é o es t ômag o. O es ôfag o apr es ent a
c er c a de 25 c en met ros de c ompriment o, e o bol o al imentar leva c erc a de 5 a
10 s eg undos para pas s ar por todo o ór g ão e c heg ar ao es tômag o.
Es tôma g o
O est ômago é um órg ão q ue s e c ar ac teri za por s er uma por ção dil at ada do
tr ato digestivo e est á l oc al izado i nf er iormente ao diagr ama. Es se órg ão po d e
s er di v idido em: cárdia, f undo, cor po e por ção pil ór i ca. A cárdia es
localizada na t rans i ção ent re es ôf ag o e es mag o; o fundo é a por ç ão s uperi o r
em for ma de c úpula; o c or po é a por ç ão c entral q ue ocupa maior par te do
es t ômag o; e a po ão pilóri ca é uma área es tr ei tada na r eg i ão terminal .
No es mag o obs erv a- s e a li ber ação de uma s ubst ânci a denominad a suc o
gástr ico. O s uc o g ás t ric o apr es enta dois c omponent es pri nc ipai s: o ác ido
c lo dr ic o e a peps ina. O ácido clorí dr ico ajuda a des dobr ar as proteínas do
al imento, faci lit ando a aç ão das enzimas . A pepsina, por s ua v ez, at u a
q uebr ando as pr ot eí nas em pol ipept ídeos menores .
Val e s alient ar q ue a peps i na func iona melhor em ambientes ác i dos,
di ferent ement e da maioria das enzimas. O bolo ali ment ar mis turado ao s uc o