A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
acidentes_e_incidentes

Pré-visualização | Página 1 de 4

SEGURANÇA DO
TRABALHO
Acidentes 
e incidentes
2 3
Analisando com mais atenção essa lei, é possível concluir que, na legislação brasileira, para que seja consi-
derado acidente do trabalho, é necessário que tenha ocorrido uma lesão em pelo menos uma pessoa. Essa 
pessoa machucada deve estar a serviço da empresa, dentro ou fora das suas instalações, e em exercício 
do trabalho normal e típico da sua função.
Outro ponto importante a ser destacado nesse conceito, é o de que a lesão pode ocasionar afastamento do 
trabalho para a sua recuperação, de forma temporária ou definitiva, e, em última possibilidade, morte do 
acidentado. Porém, o efeito do acidente pode ocasionar pequenas lesões, e o acidentado não precisa se 
afastar do trabalho para a sua recuperação.
Neste material veremos diversos conceitos necessários para o 
entendimento do assunto relativo a acidentes, incidentes, teorias 
para registro e análise dos acidentes no trabalho, metodologias de 
análise e investigação de acidentes, plano de ação e acompanha-
mento das ações implantadas, todas oriundas dessas análises.
No desempenho das funções do técnico de segurança no traba-
lho, essas atividades fazem parte da rotina diária das atividades, 
porque todo esse procedimento a respeito dos acidentes, é uma 
ferramenta de prevenção de acidentes. A partir do momento que 
é estabelecida uma gestão do assunto, estaremos prevenindo e, 
principalmente, evitando novas ocorrências. Quando bem analisa-
dos e bem controlados com ações corretas, os acidentes podem 
ser minimizados.
Conforme a Lei n.º 8.213, de 24 de julho de 1991, no seu artigo 19, acidente do 
trabalho é conceituado da seguinte forma:
Art. 19. Acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço 
de empresa ou de empregador doméstico ou pelo exercício do trabalho dos 
segurados referidos no inciso VII do art. 11 desta Lei, provocando lesão corporal 
ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente 
ou temporária, da capacidade para o trabalho.
Introdução
Conceitos
4 5
Continuando a analisar a mesma lei, no artigo 20, também são considerados 
acidentes do trabalho os seguintes casos:
I - doença profissional, assim entendida a produzida ou desencadeada pelo 
exercício do trabalho peculiar a determinada atividade e constante da respectiva 
relação elaborada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social;
II - doença do trabalho, assim entendida a adquirida ou desencadeada em 
função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relacione 
diretamente, constante da relação mencionada no item anterior.
Nos dois casos, cabe ressaltar que para ser considerada uma 
doença do trabalho ou doença profissional obrigatoriamente 
ela deve fazer parte da lista de doenças reconhecidas como 
tal. Esta lista é elaborada pelo ministério do trabalho e da 
previdência social.
I - o acidente ligado ao trabalho que, embora não tenha sido a causa única, haja 
contribuído diretamente para a morte do segurado, para redução ou perda da sua 
capacidade para o trabalho, ou produzido lesão que exija atenção médica para a 
sua recuperação;
II - o acidente sofrido pelo segurado no local e no horário do trabalho, em conse-
quência de:
a) ato de agressão, sabotagem ou terrorismo praticado por terceiro ou compa-
nheiro de trabalho;
b) ofensa física intencional, inclusive de terceiro, por motivo de disputa relacio-
nada ao trabalho;
c) ato de imprudência, de negligência ou de imperícia de terceiro ou de compa-
nheiro de trabalho;
d) ato de pessoa privada do uso da razão;
e) desabamento, inundação, incêndio e outros casos fortuitos ou decorrentes de 
força maior;
III - a doença proveniente de contaminação acidental do empregado no exercício 
de sua atividade;
IV - o acidente sofrido pelo segurado ainda que fora do local e horário de trabalho:
a) na execução de ordem ou na realização de serviço sob a autoridade da em-
presa;
b) na prestação espontânea de qualquer serviço à empresa para lhe evitar preju-
ízo ou proporcionar proveito;
c) em viagem a serviço da empresa, inclusive para estudo quando financiada por 
esta dentro de seus planos para melhor capacitação da mão de obra, indepen-
dentemente do meio de locomoção utilizado, inclusive veículo de propriedade do 
segurado;
d) no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela, qual-
quer que seja o meio de locomoção, inclusive veículo de propriedade do segurado.
§ 1º Nos períodos destinados a refeição ou descanso, ou por ocasião da satisfa-
ção de outras necessidades fisiológicas, no local do trabalho ou durante este, o 
empregado é considerado no exercício do trabalho.
§ 2º Não é considerada agravação ou complicação de acidente do trabalho a 
lesão que, resultante de acidente de outra origem, se associe ou se superponha 
às consequências do anterior.
Em seu artigo 21, a mesma lei, equipara acidente do trabalho com os seguintes eventos:
6 7
Além desse conceito legal de acidente do trabalho que possui um cunho único para atender 
a legislação previdenciária, a NBR 14280:2001 mostra um conceito prevencionista, voltado 
única e exclusivamente para alavancar as atitudes de prevenção de acidentes do trabalho. 
Esse conceito estabelece o seguinte:
A característica principal desse conceito é a de considerar como acidente do trabalho qualquer 
evento com potencial de causar lesões, mesmo que essas não ocorram, bastando apenas o potencial 
de ocorrer. Esse é um conceito bem amplo para a segurança no trabalho, pois esses eventos serão 
analisados e investigados na sua essência, de forma a descobrir as causas e eliminá-las, fazendo 
com que não voltem a ocorrer.
 
A legislação brasileira não define e não reconhece o termo incidente. Porém, é uma boa prática 
adotada pela maioria das empresas, chamar de incidente ou quase acidente, o evento ocorrido com 
potencial de causar lesão, mas que não tenha ocorrido efetivamente. Para fins de realizar uma exce-
lente gestão da segurança, é necessário e muito importante estabelecer a mesma rotina de análise 
entre os dois tipos de eventos: acidentes com lesão e incidentes.
 
Porém, a norma certificadora em segurança e saúde no trabalho, OHSAS 18001:2007, define como 
incidente todo e qualquer evento danoso para as pessoas ou para o patrimônio, independentemente 
de ter ocorrido lesão ou não. Diferentemente do que consta na legislação brasileira.
A seguir, vamos trazer diversas definições necessárias para o entendimento do assunto. Essas 
definições estão de acordo com a NBR 14280:2001, da associação brasileira de normas técnicas.
O acidente do trabalho pode ser definido 
como uma ocorrência não programada, 
inesperada ou não, que interrompe ou 
interfere no processo normal de uma 
atividade, ocasionando perda de 
tempo útil ou lesões aos trabalhadores 
e/ou danos materiais. Portanto, mesmo 
ocorrências que não resultem lesões ou 
danos materiais, devem ser encaradas 
como acidente do trabalho.
Acidente sem lesão
Acidente que não causa lesão pessoal.
Acidente de trajeto
Acidente sofrido pelo empregado no percurso da residência para o local de trabalho ou deste 
para aquela, qualquer que seja o meio de locomoção, inclusive veículo de propriedade do em-
pregado, desde que não haja interrupção ou alteração de percurso por motivo alheio ao trabalho.
Agente do acidente
Coisa, substância ou ambiente que, sendo inerente a condição ambiente de insegurança, 
tenha provocado o acidente.
Fonte da lesão
Coisa, substância, energia ou movimento do corpo que diretamente provocou a lesão.
Fator pessoal de insegurança
Causa de acidente relativo ao comportamento humano, que pode levar a ocorrência do acidente 
ou a prática de um ato inadequado.
Ato inadequado
É a causa do acidente que por ação ou omissão que, contrariando preceito de segurança, pode 
causar ou favorecer a ocorrência de acidente.
Condição ambiente de insegurança
Condição do meio que causou o acidente ou contribuiu para a sua ocorrência.
Lesão pessoal