pratica de ensino trajetoria e praxis 2
6 pág.

pratica de ensino trajetoria e praxis 2


Disciplina<strong>pratica de Ensino</strong>: Iec13 materiais6 seguidores
Pré-visualização6 páginas
1
LICENCIAT URA EM HIST ÓRIA
PR Á TICA DE EN S IN O: RE FL E ES (PE :Re fl)
AT IVIDA DE 2 POS T AG EM 2
RE L AT Ó RIO D E E ST Á GIO SU PE R VISIONA DO (O U R EL A RIO
SOBRE A DIMENSÃO PRÁTICA DO CURSO)
Pol o
São Felix do Araguaia
2019
2
A Esco l a E stadua l So l N ascente está si tuada no assentamen to C onfresa
R oncado r Ag rovi l a Lumi ar, Km 45 , Á rea R ural , Mun icípi o de C onfresa - MT, tendo
como via de ace sso a MT 430 até o K m 1 8 no senti do C onfresa – São José do X in gu
segui nd o a direi ta por estrad a vi cin al . C ria da pel o decreto 2174 29 /10/2009 com
C redenciamento 164/2010 sua Autori zação 305/2010 CN P J 08. 952.668/0001 -40
C EP 7 8.652 -000. Esta oferece: ensi no n as modal i dades de: E duca ção Infa nti l ,
En si no Fu ndamental , E nsi no Méd io R egul ar, EJA Fu ndament al e Médio .
A esco la funci ona nos períodos Matutino e N oturno. Tendo sal as a nexa na
al deia i ndígena Ap ῦkanu, com di stância aproxi mada de 120 km da sede, atendendo
al unos do Ensino Fundamental e Ensino Médio regular e da modali dade EJA
Po ssui um total d e 25 0 al unos matri cul ado s, send o 205 p roven ie ntes de
vários setores próxi mo da se de, e os demai s o p rove ni ente s da co muni da de
i ndígena A p ῦkan u, a e scol a tem como fi nal i dade , a formação i nteg ral do i ndi duo
procuran do trabal ha r os a spectos cu ltura is, pol íti c os e so ci ai s, bem como aspecto s
profi ssi onai s e h uma sti cos.
P ro curan do trabal har de forma con textu al iza da, busca ndo sempre possível
faze r a i nterdi sci pl i nari dade dos mesmos, e formar i ndi du os capaze s de sobre ssai r
nesta soci edade competi ti va que vi ve mos atualmente.
A escol a está em e xcel entes co ndi ções u so, 16 sal as send o 13 na sede e 3
na comuni dade i ndígena onde atende al unos em sala comparti l hada, ainda possui
uma sal a de p rofessores, cozi n ha, banh ei ros mascul in os e femi ni no s, se cretari a,
di retori a, coordenação e uma quadra coberta recém i naugurada, essa quadra é
usada no período de aul a pel os alunos e fora do período pel os membros da
comuni dade local , fazendo um el o de li gação entre a escola e a comuni dade .
A proposta pedagógi ca se adequ a as n eces sidades edu cacion ai s da
comu n i dade .
. A s sal as são d evi damen te organ i zada s com estru tu ra adeq u ada, ou seja,
bem ven ti la das e i l u min adas, o in tervalo é col etivo, e com a su p ervi são dos
prof essores, os alu n os se i n tera gem, u n s com os ou tros.
A escol a em seu espaço f ísi co a in da con ta com u m l abo ratóri o de i n f ormá ti ca
qu e mu i to con tri bu i para o de sen vol vi men to p edagó gi co , po is as n o vas te cn ol ogi as
sozi n h a s n ão são cap azes de en ri qu ecer o en si n o e a a pren di zagem, mas se u sa da
de f orma peda gógi ca são bem e f ic azes, são f erramen tas qu e preci sam ser bem
u sad as di daticamen te pel o prof essor, para qu e possa m tran sf orma r seu s al u n os em
3
pesqu isa dores e con stru tores de seu s próprios con h e cimen tos, assi m a tecn o l ogi a
pode ser u ma al ia da in di spen sáve l para u ma apren di zag em sign if i cati va, qu e
u l trapasse os mu ros da escol a.
Po rtan to, pode mos perceber qu e a tecn ol ogi a u sada a f avor d a edu ca ção,
pode torn ar a soci ed ade mai s i n cl u si va, mai s ju sta, sol id ári a e democrática,
val orizan do o po ten ci al e a l i mi ta ções de ca da pesso a, assi m todos terão a ch an ce
de ser i n cl u ído n o processo edu cacio n al .
Te m ai n d a u ma pequ en a bi bl i oteca escol ar com ri os exe mpl ares de l i vro,
qu e ta mbém con tribu i com o desen vol vimen to edu caci on al a bi bl i oteca tem como
f u n çã o primordial , em si de armazen ado ra d e i n f ormaçõe s e ate mais rece n te n a su a
f u n çã o como u m e spaço de exercíci os cu ltu ral n ão sen do tã o excl u si vo de ace sso a
i n f ormaçõe s.
A técn ica bi bl i otecári a vem con sci en tizan do os prof i ssi on ai s da escol a e o s
al u n o s e tod a a po pu l ação qu e a mesma f u n ci on a como e spaço de l azer, en co n tro
para reu n i ões e ativi dad es prof i ssio n ai s.
A bi bl i oteca trabal h a com projetos vol tad os p ara con sci en ti zação e
desen vol vimen to da l ei tu ra e ain da con ta com a sal a de de o.
A elaboração da proposta pedagógi ca e regimen to escolar acon tecem n o
i n íci o d o an o co m pa rtici paçã o de f u n ci on ário s, prof essores, ge stor, coorden ad or e
re prese n tan tes do s pai s.
N a escol a exi ste con sel h o e scol ar qu e pa rti ci pa da def i n içã o da proposta
pedagógi ca e regi men to escolar, co mo represen tan te do s pai s. O con sel h o também
é con voca do p ara as reu n i ões especi a is para d eci di r o mel h or proced i men to em
casos mai s compl exos a mesma f u n ci on a em do is tu rn os para a ten d er a esse
al u n ado .
M anhã
Das 08:00 as 12:00
Da Ed. Infantil ao
ano E. M édio
N oite
D as 19:00 as 23:00
EJ A