A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
INERVAÇÃO E TÉCNICAS ANESTESICAS

Pré-visualização|Página 1 de 13

INERVAÇÃO
MAXILA:
MANDIBULA:

TÉCNICA DE ANESTESIA MAXILAR
1- INJEÇÃO SUPRAPERIOSTEAL (Infiltração local ou infiltrativa)
Áreas anestesiadas: Ramos terminais
Polpa e área da raiz do dente
Periósteo vestibular
Tecido conjuntivo
Mucosa
Indicação: 1 a 2 dentes/ tecidos moles circunscrito.
Contra indicação: Infecção ou inflamação aguda na área da injeção.
Desvantagem: Infecção local
TECNICA:
Área de introdução: altura da prega muco gengival acima do ápice do dente a ser anestesiado.
2- BLOQUEIO DO NERVO ALVEOLAR SUPERIOR POSTERIOR
Áreas anestesiadas: Nervo alveolar superior posterior e seus ramos
1º, 2º e 3º molar
Tecido periodontal e ossos destes dentes.

Indicação: Tratamento de 2 ou mais molares superiores, qu ando a injeção supra perioste al estiver
contraindicada, ou quando a injeção supra periosteal foi ineficaz.
Contra indicação: Quando o risco de hemorragia for grande (como em pacientes hemofílicos).
Desvantagem: risco de hematoma.
TECNICA:
Área de introdução: altura da prega muco gengival acima do segundo molar superior
Área alvo: Nervo ASP (posterior, superior e médio a borda posterior da maxila
Ponto de referência: prega muco gengival
3- BLOQUEIO DO NERVO ALVEOLAR SUPERIOR MÉDIO
Nervo anestesiado: Nervo alveolar superior médio e seus ramos
Área anestesiada:
1ª e 2º Pré molar superior
Tecidos periodontais
Indicações: Procedimentos dentários nos pré-molares superiores ou quando o bloqueio infraorbitário não
produzir anestesia ao canino superior.