A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Regências Nominal e Verbal

Pré-visualização|Página 1 de 1


REGÊNCIAS NOMINAL E VERBAL

Regência é a parte da gramática que estuda as relações existente entre os termos dentro de uma oração ou entre as orações dentro de um período. Os termos que exigem a presença de outros termos para terem sentido completo são denominados regentes. Os termos que dão sentido aos termos regentes são os termos regidos.

A regência pode ser nominal ou verbal.

Tem-se a regência nominal quando o termo regente é um substantivo, adjetivo ou advérbio. Já na regência verbal, trata-se de um verbo.


Regência Nominal

Conforme mencionado acima, o termo que necessita complemento para ter sentido completo é um nome, e o termo regido é sempre acompanhado por preposição.



HTML image 0
Regência nominal: exemplo de termo regente e termo regido.

Alguns exemplos de Regência:

Alheio a

Análogo a

Anterior a

Apto a

Ávido de

Benéfico a

Capaz de, para

Compatível com

Constante de, em

Contente com, de, em, por

Contíguo a

Cuidadoso com

Desatento a

Desejoso de

Devoto a, de

Doutor em

Duro de

Dúvida acerca de, em, sobre

Erudito em

Exato em

Feliz com, de, em por

Fiel a

Grato a

Horror a

Imbuído de, em

Imune a, de

Incompatível com

Inerente a

Liberal com

Morador em

Nobre de, em, por

Objeção a

Parco em, de

Poderoso para, com

Posterior a

Residente em

Rico de, em

Seguro de, em

Solícito com, para com

Temível a, para

Útil a, para

Visível a


Regência Verbal

Na regência verbal, o termo regente é um verbo, e o termo regido pode ou não estar acompanhado por uma preposição.



HTML image 1
Regência verbal: exemplo de termo regente e termo regido.

A mudança de regência de um verbo pode, em alguns casos, mudar o sentido do mesmo e, consequentemente, da frase.

Exemplos:

Nós assistimos ao filme ontem. (assistir ao = ver)

O médico assistiu o paciente durante todo o procedimento. (assistir = dar assistência)

Esse é o candidato que aspira à vaga de gerente. (aspirar = almejar)

O aparelho aspira pó e água. (aspirar = sugar)

Alguns verbos costumam levantar dúvidas com relação à regência. Algumas situações serão tratadas abaixo:

  • Verbos que indicam deslocamento ou estaticidade: quando o verbo indica deslocamento, preposiciona-se com a; quando indica estaticidade, preposiciona-se com em:

Chegarei a São Paulo pela manhã.

Estarei em casa todo o final de semana.

    • Verbo abraçar: transitivo direto, exceto se aplicado como pronominal, sendo preposicionado com a:


O marido abraçou a esposa.

A criança de patins abraçava-se ao pai, com medo de cair.

    • Verbo agradar: no sentido de acariciar, fazer agrados, é transitivo direto. No sentido de satisfazer, transitivo indireto.


A avó agradava o neto cozinhando seus pratos favoritos.

O ator não agradou ao público.

    • Verbo aludir: verbo transitivo indireto, sempre acompanhado da preposição a.


Eu não aludi a ele durante minha fala.

    • Verbo ansiar: no sentido de angustiar, é transitivo direto. No sentido de desejar, transitivo indireto, acompanhado pela preposição por.


A falta de notícias ansiava todos na sala de espera do hospital.

Meu irmão anseia por um novo emprego.

    • Verbo aspirar: transitivo direto no sentido de respirar, sorver. No sentido de almejar, transitivo indireto.


Todos desejamos aspirar um ar mais puro.

O estagiário aspira a um cargo efetivo na empresa.

    • Verbo assistir: no sentido de dar assistência, pode ser transitivo direto ou indireto. No sentido de ver, é transitivo indireto, embora haja, no Brasil, uma tendência a não utilização da preposição.


Os médicos assistiram o paciente/assistiram ao paciente.

Todos nós assistimos à novela das nove.

    • Verbo chamar: é transitivo direto no sentido de mandar vir. No sentido de caracterizar algo ou alguém, pode ser transitivo direto ou indireto.


A mãe chamou o filho para irem embora.

A mulher chamou-o burro./A mulher chamou-o de burro.

    • Verbo custar: no sentido de difícil, é transitivo indireto. No sentido de ter consequências, é transitivo direto e indireto, e é intransitivo no sentido de valor.


Custa muito a trabalhar com pessoas despreparadas.

O erro custou a ele dias de trabalho.

O automóvel custa mais de 40 mil reais.

    • Verbos informar, avisar, certificar, notificar, prevenir: transitivo direto e indireto.


Informaram ao pai o estado de saúde da criança.

    • Verbos pagar, agradecer, perdoar: transitivo direto em relação a coisas e indireto em relação a pessoas.


Paguei a fatura do cartão.

Paguei ao dono do mercado ontem.

    • Verbo preferir: no sentido de dar preferência, é transitivo direto. No sentido de escolha, é transitivo direto e indireto.


Eu prefiro o caminho mais curto.

Eu prefiro filmes de terror a filmes românticos.

    • Verbo proceder: intransitivo quando empregado no sentido de “ter sentido”. No sentido de realizar e originar-se, transitivo indireto.


Os argumentos da acusação não procedem.

O juiz procedeu à cerimônia imediatamente.

    • Verbo querer: quando indica uma intenção, é transitivo direto. É indireto no sentido de gostar.


Os professores querem férias.

Quero muito aos meus filhos.

    • Verbo ser: na norma culta, esse verbo não admite o uso da preposição em.


No meu departamento, somos doze funcionários.