A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
70 pág.
Amadeu Russo Saxofone

Pré-visualização|Página 1 de 70

A
Am
ma
ad
de
eu
u
R
Ru
us
ss
so
o
M É T O D O C O M P L E T O
d e
S A X O F O N E
Inicie os seus estudos sempre com o acompanhamento de um professor de saxofone.
Saxofone Soprano
Saxofone Alto
Saxofone Tenor

Introdução ao Estudo de Saxofone
Saxofone erudito
O saxofone é um instrumento de sopro, também conhecido simplesm ente com o sax inventado em 1840
pelo belga Ado lphe Sax, um respeitado fabrican te de instrum entos, que viveu na França no sécu lo XIX.
PORQUE SAXOFONE ERUDIT O? Este estudo acende a atençã o do leitor e é f ocado na orientação dirigid a
à execução da m úsica erudita, com elementos que destacam a riqueza da interpretação de m úsica sacr a.
Desenvolva seu est udo co m peças clássicas. Por isto o term o: saxof one erudito.
O Inventor do Saxofone - Adolphe Sax
Antoine Joseph S ax (6 de Novembr o de 1814 - 4 de Fevere iro de 1894),
mais c onhecido como Adolphe f oi um construtor de ins trumentos belga,
conhecido por ter inventado o saxof one.
Adolphe Sax nasce u em Dinant, Bé lgica. O pai, Ch arles-J oseph Sax,
também era construtor de ins trumentos. Ado lphe cedo c omeç ou a construir
os seus instrum entos..
Quando deixou a es cola, S ax com eçou as experiências para descobrir
novos instrum entos, a sua prim eira invenção im portante foi um
melhoram ento no clarinete baixo, que patenteo u apenas c om 20 anos de
idade. Em 1841, Sax mudou-s e para Paris, onde c ontinuou a tra balhar na
construção e in venção de instrum entos.
A sua invenção m ais fam osa foi o saxofone, dest inada a ser usado nas
bandas m ilitares. O instrumento tem o corpo m etálico, com uma palheta de
madeira, sem elhante ao clarinete.
Construção
O Saxofone é um instrum ento fabricado em m etal, geralmente latão , com uma
mecânica sem elhante à do c larinete e à da flau ta. É com posto basicam ente por
um tubo cônico com 26 orif ícios que têm as aberturas c ontroladas por 23 ch aves
vedadas com sapatilhas ger almente de couro ( nas vers ões mais m odernas) e
uma boquilha on de se aco pla uma palheta geralm ente de bambu (instrum ento
de palheta sim ples).
A fam ília dos saxofones é bem extensa, m as o desenho é sem elhate a todos ,
sendo de form a similar a um cachim bo ou ainda reto, depende ndo do tam anho.
O saxofone propri amente dito é compos to por duas partes disti ntas.
O corpo e o cac himbo, tam bém conhecido com o T odel.
A "boca" do sax onde sai o s om recebe o nom e de: cam pana.
É no Todel é que s e encaixa a b oquilha.
Feito isso, encaixa-s e o T odel no orifício corres pondente e ap erte a presilha.
Pronto.

A boquilha
A boquilha é a p eça que se encaixa na ponta d o saxofone e na qual é fixada a palheta.
Seu funcionam ento é sem elhante ao de um apito, que gera as vibrações q ue irão
percorrer o corpo do instrum ento e as quais se t ornarão o som típico do saxof one. As
boquilhas podem ser f abricadas dos m ais diversos m ateriais: m assa plástica, metais,
acrílico, madeira , vidro e até m esmo oss o, contudo as de m assa plásticas e de m etais
são as m ais utilizadas.
O form ato das boquilhas ta mbém pode variar bastante , tanto externam ente quanto
internam ente. Alterações nos formatos im plicam em alterações s ignificativas do som
produzido, e dev ido à este fato a escolha da b oquilha é um a decisão m uito pessoal
para cada saxof onista. Não existe um padrão entre as f ábricas.
A grosso m odo, duas m edidas internas são defin idas: a altura d a abertura e a sua
profundidade. Qua nto maior for a abertura e m enor a prof undidade, m ais estridente
será o som produzido, já o c ontrário resulta num som abafado e pequeno.
A palheta simples
A palheta está p ara o saxof one assim como a corda está para o violão.
A palheta sim ples do saxofone é a responsá vel pela em issão do som do instrumento. Ao so prarm os
a boquilha é gerad a uma colu na de ar que fa z vibrar a pal heta, produzi ndo o som.
As palhetas são f abricadas com m adeira, geralmente cana o u bambu, exist indo porém palhetas
sintéticas criad as pela engenhar ia moderna. Exis tem num erações para determ inar o nível d e dureza
de uma palheta, m as esta num eração não é p adronizada, varia d e fabricante par a fabricante .
Quanto m ais dura é a palheta m aior é o esf orço para a em issão da nota, contu do m enor é o esforço
para manter o con trole da afinação.
A família
Os saxof ones são instrum entos transpositores, ou seja, a nota escrita não é a m esm a nota que ouvim os
(som real ou not a de efeito). Ass im, para poderm os ouvir um a nota equivale nte ao dó de um piano é
necessário esc rever notas dif erentes depend endo em qua l tonalidade o sax ofone é arm ado. A fam ília dos
saxofones m ais utilizada at ualmente é com posta por:
Soprano, afinado em Sib
Alto ou contralto, em Mib
Tenor, em Sib
Barítono, em Mib
Baixo, em Sib
Há porém outros m odelos m ais raros , ou que foram caindo em desuso, por exe m plo
Sopranino, em Fá e Mib
Soprano, em Dó (não transpositor)
Mezzo-Soprano, em Fá
"Melody", em Dó (transposi tor à oitava)
Contra-Baixo, em Mib
SubContra-Ba ixo(Tubax), em Mib e Sib