PROTOCOLO DE AVALIAÇÃO GERIÁTRICA AMPLA AGA
15 pág.

PROTOCOLO DE AVALIAÇÃO GERIÁTRICA AMPLA AGA


DisciplinaGeriatria1.390 materiais5.407 seguidores
Pré-visualização15 páginas
1
PROTOCOLO DE AVALIAÇÃO GERIÁTRICA AMPLA AGA
Nome Aluno: _______________________________________Data: _____/_____/_______
I. IDENTIFICAÇÃO
Nome:
Sexo:
Profissão:
Aposentado:
( ) Sim
( ) Não
Idade: Data de Nascimento:
Naturalidade:
Estado Civil:
( ) Solteiro
( ) Viúvo
( ) Separado
( ) Outros
Escolaridade:
Endereço:
Telefone:
Informante (se for o caso):
Parentesco:
Cuidador:
II. QUEIXA PRINCIPAL – QP
III. HISTÓRIA DA DOENÇA ATUAL - HDA
IV. REVISÃO DOS PRINCIPAIS SISTEMAS
1. Geral
Febre:
( ) Sim ____°C
( ) Não
Astenia
( ) Sim
( ) Não
Mal-estar:
( ) Sim
( ) Não
Aparência bem cuidada
( ) Sim
( ) Não
2. Órgãos dos Sentidos:
Deficiência visual:
( ) Sim
( ) Não
Uso de lentes corretivas
( ) Sim
( ) Não
Teste Snellen
( ) < 0,3
( ) > 0,3
Data da última visita ao Oftalmologista: ________/_________/________
Teste do Sussurro: O examinador deve ficar fora do campo visual da pessoa idosa, a uma distância de aproximadamente 60cm e
“sussurrar”, em cada ouvido, um conjunto de três letras/ números (“5, B, 6”), selecionados aleatoriamente. Cada ouvido é testado
individualm ente e com combinaç ões diferentes .
Avaliações dos resultados: o teste é considerado positivo caso o paciente não consiga repetir corretamente o conjunto de três
letras/ núme ros. Se a pess oa idosa não responder, de ve-se examinar seu conduto auditivo para afastar a possibilidade de cerume
ser a causa da diminuição da acuidade auditiva.
Providências com os achados/resultados: não sendo identificado obstáculo nos condutos auditivos externos, deve-se solicitar
audiometria em ambulatório especializado.
Deficiência auditiva:
( ) Sim
( ) Não
Uso de prótese auditiva
( ) Sim
( ) Não
Teste do sussurro (60cm d e cada ouvido)
( ) Positivo
( ) Negativo
Dificuldades para conversação com 3 ou mais pessoas
( ) Sim
( ) Não
Data da última visita ao Otorrinolaringologista: ______/_______/________
2
3. Pele e Anexos:
Ceratose actínica
( ) Sim
( ) Não
Ceratose Seborréica
( ) Sim
( ) Não
Xerodermia
( ) Sim
( ) Não
Uso regular de creme hidratante
( ) Sim
( ) Não
Uso regular de protetor solar
( ) Sim
( ) Não
Neoplasia cutânea
( ) Sim
( ) Não
Úlcera de membros inferiores
( ) Sim
( ) Não
Outras lesões:
7. Aparelho Respiratório:
9. Sistema Músculo-Esquelético:
10. Avaliação da Cavidade Oral
Mini-Avaliação da Saúde bucal
Observar a presença de:
Sim
Não
Diminuição da quantidade de alimentos ou mudança no tipo de alimentação por causa dos dentes?
Problemas de mastigação
Sensibilidade exagerada a alimentos ou líquidos nos dentes ou gengivas?
Edentulismo
Prótese dentária
Xerostomia
Feridas ou lesões na mucosa oral ou língua
Sangramento gengival
Tosse.....................................( ) s im ( ) não
( )> 4 semanas ( ) < 4 sem anas
( ) Seca ( ) Produtiva
Sibilância (Chieira).. .................( ) sim ( ) não
Expectoração purulenta........( ) sim ( ) não
Hemop tise.............................( ) sim ( ) n ão
Artralgia .................................................... ( ) sim ( )não
Características:
Pés
( ) Joanete ( )Ceratose planta r ( )Úlceras ( ) Unha encravad a
( ) calcaneoalgia ( ) Onicom icose ( )Calçados inad equados
4. Aparelho Cardiovascular:
Dispnéia
( ) Sim
( ) Não
Dor torácica
( ) Sim
( ) Não
Palpitação
( ) Sim
( ) Não
Claudicação mmii
( ) Sim
( ) Não
Especificar característica
de sintoma positivo:
5. Aparelho Digestivo:
Disfagia.................................( ) sim ( ) não
Engasgo ................................( )sim ( ) não
Dispepsia .............................( ) sim ( ) não
Náuseas/Vômitos ................ ( ) sim ( ) não
Constipação intestinal......... ( ) sim ( ) não
Diarréia .............................. ( ) sim ( ) não
Hemorragia digestiva........... ( ) sim ( ) não
( ) alta ( ) baixa
Incontinência fecal .................( ) sim ( ) não
Dor abdominal ................... ( ) sim ( ) não
Doença Hemorroidária .......... ( ) sim ( ) não
Flatulência .......................... ( ) sim ( ) não
6. Aparelho Genito-urinário:
Incontinência Urin ária ..................................( )sim ( )não
( ) recente <30 dias ( ) crônica > 30 dias
( )Limitante ( )Não limitan te
Urgência ...............................................................( )sim ( )não
Noctúria ........................................................ .....( )sim ( )não
Data da Menopausa __________
Reposição estrogênica: ( )Sim ( )não
História obstétrica: G___P____A____
Data da última visita ao Ginecologista: __
Cefaléia ………………… ……………… .( ) Sim ( ) Não
Tremor es ..........................................( ) Sim ( ) N ão
( ) repouso ( ) cinético ( ) indeterm inado ( ) misto
Tonturas ..........................................................( ) sim ( ) não
Zumbid o no ouvido ............................( ) Sim ( ) Não
Distúrbio d e marcha............................( ) Sim ( ) Nã o
Convulsão ..........................................( ) Sim ( ) Nã o
( ) Recorrente ( ) Isolada
( ) Controlada com medicação
Disturbios da fala ........................... .( ) Sim ( ) Não
Especificar:
8. Sistema Nervoso:
3
V. AVALIAÇÃO DA FUNCIONALIDADE GLOBAL
ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIA BÁSICAS (AVD’s Básicas segundo Katz (1963) e Likert modificados)
O Index de Independência nas Atividades Básicas de Vida Diária de Sidney Katz é um dos instrumentos mais utilizados para
avaliar as AVD. Avalia a independência no desempenho de seis funções (banho, vestir-se, ir ao banheiro, transferênc ia,
continência e alimentação) classificando as pessoas idosas como independentes ou dependentes.
Avaliações dos resultados: as pessoas idosas são classificadas com o independentes ou dependentes no desempenho de seis
funções a partir da utilização de um questionário padrão.
FUNÇÃO
INDEPE NDÊNC IA
Faz sozinho,
totalmente ,
habitualmente e
corretamente atividade
considerada
DEPENDÊNCIA
PARCIAL
COMPLETA
Faz parcialmente ou não corretamente
a atividade ou com pouca dificuldade
O idoso não faz a
atividade
considerada
Ajuda não humana
Ajuda humana
BANHAR-SE
Usa adequadamente
chuveiro, sabão e/ou esponja
Independen te para entrar
e sair do banheiro.
Necessidade de
ajuda através do
uso de órtese ou
algum apoio
material para o
banho.
Necessidade de
ajuda humana
para lavar
algumas partes do
corpo (costas ou
pernas) ou
supervisão
Recebe
assistência no
banho para mais
de uma parte do
corpo (ou não se
banha)
VESTIR-SE
Apanha a roupa do armário
ou gaveta, veste-se e
consegue despir-se. Exclui-se
calçados.
Independen te para
pegar a roupa e se
vestir
Necessidade de
apoio de algum
objeto para se
vestir.
Necessidade de
ajuda humana para
pegar a roupa.
Dependência total
para vestir-se.
USO DO BANHEIRO
Locomove-se até o banheiro,
despe-se e limpa-se e arrum a
a roupa.
Independen te para ir ao
banheiro e se limpar.
Necessidade de
ajuda através do
uso de órtese ou
marreco,
comadre e urinol
para a higiene
Necessidade de
ajuda humana
para ir ao
banheiro ou se
limpar.
Não vai ao
banheiro para o
processo de
eliminação
TRANSFERIR-SE
Locomove-se da cama para a
cadeira e vice-versa
Independen te para
entrar ou sair do leito,
sentar e levantar da
cadeira.
Necessidade de
ajuda através do
uso de órtese ou
de algum apoio
material para
realizar a
transferênc ia
Necessidade de
ajuda humana
parcial para entrar
e sair do leito,
sentar e levantar
da cadeira.
Não sai da cama.
Restrito ao leito
CONTROLE
ESFINCTE-
RIANO
Micção
Independên cia para
controlar a micção
Necessidade de
ajuda através do
uso regular de
urinol, comadre
ou marreco para
controle da
micção e
defecação.
Necessidade de
ajuda humana para
controle da micção
ou usa fralda
noturna somente
(supervisão)
Dependência total
através do uso
constante de
cateteres ou fraldas
Evacuação
Independên cia para
controlar os
movimentos
intestinais
Necessidade de
ajuda através do
uso regular de
urinol, comadre
ou marreco para
controle da
defecação.
Necessidade de
ajuda humana para
controle da
defecação
(supervisão) ou
usa fralda noturna
somente.
Dependência total
através do uso
constante de
fraldas
ALIMENTAR-SE
Consegue apanhar a comida
do prato ou equivalente e
levar à boc a
Independen te para
pegar o alimento e levá-
lo até a boc a.
Necessidade de
ajuda através do
uso de
adaptadores para
a alimentação
Alimenta-se
sozinho exceto
pela assistência
para cortar a carne
e passar manteiga
no pão.
Dependência total
para a
alimentação.