A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
aula 4-operacoes farmacêuticas

Pré-visualização | Página 1 de 2

Operações farmacêuticas 
Profa. Francoise Carmignan 
Operações farmacêuticas 
 
 
 As operações farmacêuticas podem ser 
definidas como aquelas que tem como objetivo a 
transformação de um fármaco em uma forma 
farmacêutica. 
 
 
Operações gerais 
Pesagem 
 
Na maioria dos países vigora o 
sistema métrico decimal cuja unidade 
é o kg, com os múltiplos e 
submúltiplos 
1. Precisas – destinam-se à pesagem rigorosa de subst. Prescritas em 
pequena quantidade e possuem uma sensibilidade média de 0,1 mg. 
 Ex: Balanças analíticas 
 OBS: diferença entre veneno e medicamento está na dose 
2. Grosseiras ou aproximadas – destinam-se à pesagem de quantidades 
de subst. que podem oscilar em unidades maiores de 1g , sem colocar em 
risco a saúde do paciente. A sensibilidade varia na ordem de 0,1 a 0,2g. 
 Ex. Balança de Roberval (antiga), balança comum. 
 
Operações gerais 
Medição do volume de líquidos 
Têm gravada uma escala cuja unidade 
fundamental é o mL 
Exatos – sempre que seja necessário uma medição rigorosa, podemos utilizar 
medições: 
Inteiras – Balão volumétrico, pipeta volumétrica, bureta volumétrica. 
Fracionadas – Bureta graduada, pipeta graduada. 
Aproximados – são destinados a medir volume de líquidos que 
não necessitam de rigor extremo. Ex.: Provetas, Copos graduados (Cálice), 
Operações gerais 
Medidas Caseiras: 
Colher de sopa...........................................................15 mL 
Colher de sobremesa................................................10 mL 
Colher de chá...............................................................5 mL 
Colher de café..............................................................2 mL 
Cálice..........................................................................30 mL 
Copo.........................................................................150 mL 
Medição de doses de medicamentos: 
Um medicamento líquido para uso interno, como um xarope, raramente 
é prescrito para ser administrado de uma só vez. Destina-se a ser 
ingerido em doses fracionadas, as quais são sempre indicadas na 
respectiva prescrição. Como não é de se esperar que o doente possua 
em casa os instrumentos de medida usados em laboratórios, é bastante 
comum utilizarmos certos utensílios caseiros na medição das doses das 
preparações farmacêuticas. 
Operações gerais 
Conta gota: forma de uma pequena 
pipeta de vidro, cuja parte inferior é um 
tubo capilar. Este tubo, por onde escorre 
o líquido em queda livre, deve ter um 
diâmetro externo de 2 mm e um diâmetro 
interno de 0,6 mm. 
 
 Devido a vários fatores que influenciam na medida do peso de uma gota 
(Densidade, capilaridade, temperatura)), devemos sempre calibrar um conta-
gotas, ou um utilizar um conta-gotas normal, que possui as seguintes 
características: Diametro externo = 2mm; diâmetro interno = 0,6 mm e deve ceder 
à temp de 15ºC, 20 gotas de água destilada cujo peso deve ser de 1 g. Desse 
modo evitamos que uma prescrição feita em duas farmácias diferentes, 
apresentem atividades terapêuticas diferentes. 
Operações especiais 
 São consideradas operações farmacêuticas 
propriamente dita, todas aquelas que se 
praticam com o objetivo de transformar um 
fármaco em uma forma farmacêutica 
 
 
 
 
 
Operações especiais 
 
As operações farmacêuticas podem ser resultantes: 
1- operações de ação mecânica 
1.1. operação de separação 
1.2. operação de divisão 
 
2- operações físicas 
2.1. com alteração de temperatura 
2.2. com intervenção de líquidos 
 
 
 
1- Operações mecânicas 
• Modificam o aspecto exterior da droga ou 
do fármaco, sem no entanto alterarem o 
seu estado físico ou constituição química 
 
• Podem ser: 
1.1.Operações de separação: 
1.1.1. sólidos 
1.1.2. sólidos em líquidos/ líquidos imiscíveis 
 
1.2.Operações de divisão: 
1.2.1. de sólidos 
1.2.2. de líquidos 
 
1.1.Operações mecânicas 
de separação 
• SEPARAÇÃO DE CORPOS SÓLIDOS: 
• Triagem ou monda 
• Tamisação 
 
• SEPARAÇÃO DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS OU DE 
LÍQUIDOS IMISCÍVEIS: 
• Decantação 
• Expressão 
• Centrifugação 
• Clarificação 
• Filtração 
 
 
1.1.Operações mecânicas 
de separação 
SEPARAÇÃO DE CORPOS SÓLIDOS 
 
 TRIAGEM OU MONDA 
 
• Operação mecânica que se pratica para separar as 
partes inertes ou alteradas que acompanham por 
vezes, as drogas vegetais, ou ainda para eliminar 
as substâncias estranhas fraudulentamente ou não 
adicionadas àquelas. 
 
• Conforme a natureza da droga vegetal a monda 
faz-se por vários processos: à mão, por crivo, por 
ventilação, por lavagem. 
 
1.1.Operações mecânicas 
de separação 
SEPARAÇÃO DE CORPOS SÓLIDOS 
 
TAMISAÇÃO 
 
• Separar mecanicamente, através de malhas de 
um tecido apropriado, partículas sólidas com 
diferentes dimensões. 
• Estabelecer as dimensões das partículas que 
constituem os pós. 
• Sendo praticada no campo farmacêutico com 
esta dupla finalidade. 
• Os instrumentos utilizados por um aro de 
diâmetro variável, tendo geralmente 15cm de 
altura e apresentando uma das extremidades 
fechadas por um tecido aplicado de modo a ficar 
bem tenso. 
 
1.1.Operações mecânicas 
de separação 
SEPARAÇÃO DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS OU DE 
LÍQUIDOS IMISCÍVEIS 
 
FILTRAÇÃO 
 
• É a separação das partículas sólidas em 
suspensão num líquido por efeito de uma 
pressão sobre a superfície porosa ficando o 
sólido retido e passando o líquido através das 
aberturas do septo filtrante. 
• Os materiais filtrantes ou filtros podem ser 
constituídos pelas mais variadas substâncias 
que no entanto, devem obedecer a certas 
condições. Os principais materiais filtrantes 
utilizados em laboratório quimico-farmacêuticos 
são: papel de filtro, polpa de papel ou celulose, 
tecidos, materiais fibrosos (gaze), vidro poroso, 
membrana Millipore 
 
 
1.1.Operações mecânicas 
de separação 
SEPARAÇÃO DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS OU DE 
LÍQUIDOS IMISCÍVEIS 
 
DECANTAÇÃO 
 
• Trata-se de uma operação mecânica que tem 
por fim separar um líquido sobrenadante de um 
sólido ou de um outro líquido imiscível e de 
densidades diferentes. 
• Faz-se: por escoamento, por pipeta, por funil de 
separação ou ampolas de decantação, 
centrifugação. 
 
1.1.Operações mecânicas 
de separação 
SEPARAÇÃO DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS OU DE LÍQUIDOS 
IMISCÍVEIS 
 
CENTRIFUGAÇÃO 
 
• É uma operação destinada a separar sólidos e líquidos ou 
líquidos não miscíveis. Efetua-se utilizando aparelhos 
especiais, as centrífugas, que fazem a separação, por 
meio da força centrífuga de duas ou mais substâncias de 
densidades diferentes devendo uma delas ser 
necessariamente um líquido. 
• É utilizada para avaliar a estabilidade de emulsões e 
supensões 
 
1.1.Operações mecânicas 
de separação 
SEPARAÇÃO DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS OU DE 
LÍQUIDOS IMISCÍVEIS 
 
CLARIFICAÇÃO 
 
• Tem por objetivo separar dos líquidos partículas 
sólidas finamente divididas ou substâncias de 
natureza coloidal neles existentes que 
provoquem a sua turvação. 
 
• Ex.: filtração através de carvão ativado, talco, 
caulin que absorvem as impurezas 
 
1.1.Operações mecânicas 
de separação 
SEPARAÇÃO DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS OU DE LÍQUIDOS 
IMISCÍVEIS 
 
EXPRESSÃO 
 
• É uma operação destinada a separar de um corpo sólido ou 
de consistência mole os líquidos nele existentes. 
• É, em regra, praticada a frio, devendo em casos especiais, 
ser feita em aparelhos aquecidos e além disso, pode ser 
executada manualmente ou por meio de prensas. 
• Ex.: óleo de girassol 
 
1.2. Operações mecânicas 
de divisão 
• DIVISÀO DE SÓLIDOS - REDUCAO DO 
TAMANHO DAS PARTÍCULAS (COMINUICAO): 
• Contusão 
• Trituração 
• Levigação 
• Micronização 
• Pulverização por intervenção 
 
• DIVISAO DE LÍQUIDOS OU EMULSIFICACAO 
 
1.2. Operações mecânicas 
de divisão 
COMINUICAO 
 
• Operação de redução dos fármacos e excipientes a 
pó, para que