A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Pré-visualização | Página 1 de 3

TECNOLOGIA
O papel do professor, diante da tecnologia, é estar devidamente capacitado e promover o uso da ferramenta como apoio pedagógico. NOVA PRÁTICA PEDAGÓGICA
Revolução tecnológica com a utilização dos microcomputadores em grande escala – 1990. (surgem contradições sociais)
E o que a tecnologia tem a ver com o conceito pedagógico?
- Grande mudança nas formas de se comunicar.
- Mudanças nas formas de ensinar se fazem necessárias.
- Tecno como apoio para o ensino e a aprendizagem
O que é tecnologia?
O termo “tecnologia” se refere a tudo que se inventou, facilitando e simplificando o seu trabalho, enriquecendo suas relações interpessoais, ou simplesmente lhe dando prazer.
A tecnologia educacional é um pouco diferente da tecnologia, pois ela pode ou não ser utilizada, fica a cargo dos professores e da coordenação pedagógica essa decisão. Ela não irá substituir o prof.
Em nível educacional, a tecnologia são ferramentas, programas e técnicas que permitem que o aluno reflita e aprenda o que está sendo ensinado.
O profissional da educação e da tecnologia no Brasil
Primeiros passos para a informatização das escolas: instalação de telecentros, expectativa de treinamento para todos os prof.
Previsão: inserção de laboratórios (contratação de profissionais p a área. (muitos são proibidos ou não tem profissionais)
Como deveria ser: profissional capacitado, seguindo os parâmetros curriculares nacionais
Realidade: alunos fora da sala pelas aulas estarem chatas
Novo papel do professor:
 Um novo processo de aprendizagem com tecnologia, inovação.
Um estudo feito: Analisar a diferença entre a sala de aula tradicional e aquela com tecnologia.
Resultado: O professor- especialista > facilitador.
O aluno: passivo > colaborador ativo
Método: repetição > interação
Conhecimento: limitado > ilimitado
Pilares para o uso da tec. educacional
- Participação de todos, desenvolvimento de um projeto de apoio pedagógico que utilize os recursos como uma ferramenta de apoio e não uma solução.
- a estrutura física das escolas; a participação da administração escolar no contexto tecnológico; a participação dos educadores.
- Realizar investimentos: Equipamentos, qualificação pessoal e na viabilização das condições de acesso e de uso dessas máquinas.
- identificar a dificuldade de ensino e buscar formas de melhoria do aprendizado
- O essencial não é a tecnologia, mas pode-se contar com um novo estilo de suporte, que auxilie ambas as partes (aluno e professor).
Quatro pilares que são primordiais para o uso da tecnologia na escola: estrutura física; administração e coordenação; professor; contexto pedagógico.
- Escolas estão preparadas para receber a tecno.?
Furtos e roubos, escolas quanto ambientes fechados, acesso difícil aos laboratórios, 20 minutos para preparar a sala = mt tempo de aula perdido.
- O que precisa ser feito?
Facilitar o acesso aos laboratórios, maior participação geral, planejamento, utilização de monitores (para abrir e fechar a aula, checar os defeitos)
Principais problemas quanto à utilização das tecnologias:
 falta de acesso; apoio técnico inadequado; tempo insuficiente para aprendizagem; planejamento; envolvimento da direção e da coordenação nos cursos de capacitação profissional;
A participação da administração escolar no contexto tecnológico: Apoiar os professores, contribuir para que haja um ambiente de maior inovação, intercâmbio e comunicação na escola; 
Papel do diretor: É papel do diretor auxiliar no ingresso da tecnologia tanto na parte administrativa como na inserção pedagógica. Com seu apoio, as coisas se tornam mais fáceis
A participação dos educadores:
intermediário entre o conhecimento acumulado, o interesse e a necessidade do aluno
uso da tecnologia seja uma competência do professor, de modo que ele atinja uma atitude desafiadora e assuma uma postura de aprendiz ativo, crítico e criativo.
O professor necessita utilizar os aplicativos para explorar todas as potencialidades didáticas dos programas de computador em relação aos objetivos do ensino
autonomia e produção própria, baseada na modernidade, analisando a proposição metodológica do “aprender a ensinar
facilitar, supervisionar, ser consultor do aluno no processo de resolver o seu problema e não somente transmitir informação ao aluno
aluno a chance de construir o próprio conhecimento
conhecer o aluno, incentivando a reflexão e a crítica
e assumir o papel de mediador e promotor desse novo processo de aprendizagem
Metodologias de informática na educação:
É necessário que as escolas conheçam seus recursos tecnológicos e, para isso, é necessário: um levantamento de todos os recursos tecnológicos de que dispõe; a lista deve ser disponibilizada nas reuniões pedagógicas. os professores devem discutir como utilizar os equipamentos em sala e adequá-los ao planejamento.
A direção e a coordenação devem: pesquisar quais as dificuldades dos professores quanto à utilização do recurso e procurar saná-las; criar agendas cujo objetivo seja delimitar quem estará usando o recurso tecnológico, evitando conflitos e problemas de uso coletivo;
Televisão e vídeos: 
Com as câmeras digitais, será possível trabalhar minivídeos de explicação das matérias e criar uma videoteca no local.
Criatividade e inovação – sempre. Seleção e avaliação prévia do material disponível.
Como usa-los: apresentar conceitos novos ou já estudados no sentido de motivar o aluno. O vídeo deve ser complementado pela apresentação dos conceitos/conteúdos na forma textual. A dinâmica e o tempo de aula devem ser bem planejados, pois o uso do vídeo pressupõe sempre a atuação do professor.
Os microcomputadores e os laboratórios de informática: Levando em conta que grande parcela das escolas já conta com laboratórios de informática, sugerimos implementar algumas mudanças.
- Crie uma agenda para seu laboratório, monitor, nas bibliotecas e salas dos prof. Tbm.
Como utilizar a tecnologia na sala de aula
 Observar suas dificuldades frente à máquina e aos recursos pedagógicos. Intervindo e auxiliando-o nas dificuldades. Diagnosticando as potências e os problemas.
 É importante saber qual será o método e a forma de utilização da tecnologia. A escolha deve ocorrer naturalmente, dependendo da necessidade da escola
Alguns problemas relacionados ao uso do laboratório com os alunos: esquecem dos alunos no laboratório; acessam seus e-mails, sites e jogos; abandonam a sala.
Abordagens pedagógicas na tecnologia
 1º: microcomputador e o software assumem o papel de ensinar o aluno. Baseados em jogos ou instruções sequenciadas, sem a presença do professor ou monitor.
2º: em que o microcomputador é utilizado como ferramenta de construção. Desenvolve algo, cria, pesquisa, participa e constrói o conhecimento.
 Instrucionismo – o computador é a única ferramenta, cuja função é desenvolver a instrução programada em fases – módulos; 
Construcionismo – propicia ao aluno e ao professor a construção dos conhecimentos a partir de suas ações no computador.
Tipos de aprendizagem
 aprender a partir da tecnologia; aprender acerca da tecnologia; aprender por meio da tecnologia. aprender com a tecnologia.
Software
É uma sequência de instruções, que é interpretada e executada pelo computador ou qualquer dispositivo. Existem dois tipos principais de software: os sistemas operacionais e os softwares aplicativos.
Editor de texto
Com o editor de texto, podemos criar inúmeras atividades: colocar uma frase inicial de uma história e solicitar aos alunos que desenvolvam toda a história. Inserir um texto no editor com diversos erros de grafia. Os alunos terão de apontar os erros. Com o recurso de tabelas, é possível montar um caça-palavras*. Com as imagens, pode-se trabalhar atividades diversas de comparação, de escrita, leitura e composição.
A escolha do programa depende de dois pontos:
 primeiro, de um teste inicial pelo professor para averiguar se está no contexto pedagógico. segundo, da avaliação, se está bem elaborado e economicamente viável a proposta escola.
Componentes da TI:
Hardware: parte física
Software: