Estatuto-dos-Funcionarios-Públicos-Civis-Lei-nº-9 826-74-versão-atualizada-até-2017
236 pág.

Estatuto-dos-Funcionarios-Públicos-Civis-Lei-nº-9 826-74-versão-atualizada-até-2017


DisciplinaCrimes Contra A Administracao Publica48 materiais705 seguidores
Pré-visualização50 páginas
do art. 6º da Emenda Constitucional 
nº 41, de 2003, o disposto no art. 7º da mesma 
Emenda.
Art. 3º Ressalvado o direito de opção à aposenta-
doria pelas normas estabelecidas pelo art. 40 da 
Constituição Federal ou pelas regras estabelecidas 
pelos arts. 2º e 6º da Emenda Constitucional nº 
41, de 2003, o servidor da União, dos Estados, do 
Distrito Federal e dos Municípios, incluídas suas 
autarquias e fundações, que tenha ingressado no 
serviço público até 16 de dezembro de 1998 pode-
rá aposentar-se com proventos integrais, desde que 
preencha, cumulativamente, as seguintes condi-
ções:
I - trinta e cinco anos de contribuição, se homem, e 
trinta anos de contribuição, se mulher;
II - vinte e cinco anos de efetivo exercício no servi-
ço público, quinze anos de carreira e cinco anos no 
cargo em que se der a aposentadoria;
III - idade mínima resultante da redução, relativa-
mente aos limites do art. 40, § 1º, inciso III, alínea 
\u201ca\u201d, da Constituição Federal, de um ano de idade 
para cada ano de contribuição que exceder a condi-
ção prevista no inciso I do caput deste artigo.
Parágrafo único. Aplica-se ao valor dos proventos 
de aposentadorias concedidas com base neste arti-
go o disposto no art. 7º da Emenda Constitucional 
nº 41, de 2003, observando-se igual critério de re-
visão às pensões derivadas dos proventos de servi-
dores falecidos que tenham se aposentado em con-
formidade com este artigo.
Art. 4º Enquanto não editada a lei a que se refere 
o § 11 do art. 37 da Constituição Federal, não será 
computada, para efeito dos limites remuneratórios 
de que trata o inciso XI do caput do mesmo artigo, 
qualquer parcela de caráter indenizatório, assim 
definida pela legislação em vigor na data de pu-
blicação da Emenda Constitucional nº 41, de 2003.
Art. 5º Revoga-se o parágrafo único do art. 6º da 
Emenda Constitucional nº 41, de 19 de dezembro 
de 2003.
Art. 6º Esta Emenda Constitucional entra em vigor 
na data de sua publicação, com efeitos retroativos à 
data de vigência da Emenda Constitucional nº 41, 
de 2003.
Brasília, em 5 de julho de 2005 - Mesa da Câmara 
dos Deputados - Mesa do Senado Federal
Deputado Severino Cavalcanti - Presidente
Senador Renan Calheiros - Presidente
Deputado José Thomaz Nonô - 1º Vice-Presidente
Senador Tião Viana - 1º Vice-Presidente
Deputado Ciro Nogueira - 2º Vice-Presidente
Senador Efraim Morais - 1º Secretário
Deputado Inocêncio Oliveira - 1º Secretário
Senador Paulo Octávio - 3º Secretário
Deputado Eduardo Gomes - 3º Secretário
Senador Eduardo Siqueira Campos - 4º Secretário 
Deputado João Caldas - 4º Secretário
66 - Assembleia Legislativa do Estado do Ceará
LEIS FEDERAIS
*LEI FEDERAL Nº 8.069, DE 13.7.1990 
\u2013 D. O. U. 16.7.1990
*Estatuto da Criança e do Adolescente
Art. 9º - O Poder Público, as instituições e os em-
pregadores propiciarão condições adequadas ao 
aleitamento materno, inclusive aos filhos de mães 
submetidas à medida privativa de liberdade\u201d.
LEI FEDERAL Nº 9.268 DE 1º.4.1996 
\u2013 D. O. U. 2.4.1996
Altera dispositivos do Decreto-Lei nº 
2.848, de 07 de dezembro de 1940 - 
Código Penal - Parte Geral.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Faço saber que 
o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono 
a seguinte Lei:
Art. 1º - Os dispositivos a seguir enumerados, do 
Decreto-Lei nº 2.848, de 07 de dezembro de 1940 
- Código Penal, passam a vigorar com a seguinte 
redação:
\u201cArt. 51 - Transitada em julgado a sentença conde-
natória, a multa será considerada dívida de valor, 
aplicando-se-lhe as normas da legislação relativa à 
Dívida Ativa da Fazenda Pública, inclusive no que 
concerne às causas interruptivas e suspensivas da 
prescrição\u201d.
Art. 78 - .................
§ 2º - Se o condenado houver reparado o dano, sal-
vo impossibilidade de fazê-lo, e se as circunstâncias 
do artigo 59 deste Código lhe forem inteiramente 
favoráveis, o Juiz poderá substituir a exigência do 
parágrafo anterior pelas seguintes condições, apli-
cadas cumulativamente:
Art. 92 - ..............
I - a perda de cargo, função pública ou mandato 
eletivo:
a) quando aplicada pena privativa de liberdade por 
tempo igual ou superior a um ano, nos crimes pra-
ticados com abuso de poder ou violação de dever 
para com a Administração Pública;
b) quando for aplicada pena privativa de liberdade 
por tempo superior a quatro anos nos demais casos.
Art. 114 - A prescrição de pena de multa ocorrerá:
I - em dois anos, quando a multa for a única comi-
nada ou aplicada;
II - no mesmo prazo estabelecido para prescrição 
da pena privativa de liberdade, quando a multa 
for alternativa ou cumulativamente cominada ou 
cumulativamente aplicada.
Art. 117 - ..................................
V - pelo início ou continuação do cumprimento da 
pena;
VI - pela reincidência\u201d.
Art. 2º - Esta Lei entra em vigor na data de sua 
publicação.
Art. 3º - São revogados os §§ 1º e 2º do artigo 51 do 
Código Penal e o artigo 182 da Lei nº 7.210, de 11 
de julho de 1984.
Brasília, 1º de abril de 1996
Fernando Henrique Cardoso
LEI FEDERAL Nº 9.717, DE 27.11.1998 
\u2013 D. O. U. 28.11.1998
 Dispõe sobre regras gerais para a 
organização e o funcionamento dos 
regimes próprios de previdência social 
dos servidores públicos da União, dos 
Estados, do Distrito Federal e dos 
Municípios, dos militares dos Estados 
e do Distrito Federal e dá outras 
providências. 
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que 
o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono 
a seguinte Lei: 
Art 1º - Os regimes próprios de previdência social 
dos servidores públicos da União, dos Estados, do 
Distrito Federal e dos Municípios, dos militares dos 
Estados e do Distrito Federal deverão ser organiza-
dos, baseados em normas gerais de contabilidade e 
atuária, de modo a garantir o seu equilíbrio finan-
ceiro e atuarial, observados os seguintes critérios: 
I - realização de avaliação atuarial inicial e em cada 
balanço, bem como de auditoria, por entidades in-
dependentes legalmente habilitadas, utilizando-se 
parâmetros gerais, para a organização e revisão do 
plano de custeio e benefícios; 
II - financiamento mediante recursos provenientes 
da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos 
Municípios e das contribuições do pessoal civil e 
militar, ativo, inativo e dos pensionistas, para os 
seus respectivos regimes; 
III - as contribuições da União, dos Estados, do 
Distrito Federal e dos Municípios e as contribui-
ções do pessoal civil e militar, ativo, inativo e dos 
pensionistas, somente poderão ser utilizadas para 
pagamento de benefícios previdenciários dos res-
pectivos regimes; 
IV - cobertura de um número mínimo de segurados, 
de modo que os regimes possam garantir direta-
mente a totalidade dos riscos cobertos no plano de 
benefícios, preservando o equilíbrio atuarial sem 
necessidade de resseguro, conforme parâmetros 
gerais; 
V - cobertura exclusiva a servidores públicos ti-
tulares de cargos efetivos e a militares, e a seus 
respectivos dependentes, de cada ente estatal, ve-
dado o pagamento de benefícios, mediante convê-
nios ou consórcios entre Estados, entre Estados e 
Municípios e entre Municípios; 
VI - pleno acesso dos segurados às informações 
relativas à gestão do regime e participação de re-
presentantes dos servidores públicos e dos milita-
Estatuto dos Funcinários Públicos Civis do Estado - 67
res ativos e inativos, nos colegiados e instâncias de 
decisão em que os seus interesses sejam objeto de 
discussão e deliberação; 
VII - registro contábil individualizado das contri-
buições de cada servidor e dos entes estatais, con-
forme diretrizes gerais; 
VIII - identificação e consolidação em demonstra-
tivos financeiros e orçamentários de todas as des-
pesas fixas e variáveis com pessoal inativo civil, 
militar e pensionistas, bem como dos encargos in-
cidentes sobre os proventos e pensões pagos; 
IX - sujeição às inspeções e auditorias de natureza 
atuarial, contábil, financeira, orçamentária e patri-
monial dos órgãos de controle interno e externo. 
Parágrafo único