A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
01 - Ectoscopia

Pré-visualização | Página 1 de 2

Ectoscopia 
INTRODUÇÃO 
֎ Exame inespecífico 
֎ Feito através da inspeção e palpação 
֎ Prévio a exames mais específicos de cada sistema 
São avaliados: 
→ Estado geral do paciente → Hidratação 
→ Nível de orientação → Edema 
→ Fácies → Mucosas 
→ Nutrição → Cianose 
 
ESTADO GERAL 
Avaliação subjetiva da aparência do paciente em sua 
totalidade. Observa-se principalmente: 
֎ Resposta do indivíduo à doença 
֎ Perda de força muscular 
֎ Perda abrupta de peso 
֎ Estado psíquico 
 
 
A classificação pode ser: 
Bom estado geral BEG 
Regular estado geral REG 
Mau estado geral MEG 
Descreve até que ponto a doença atingiu o organismo. 
NÍVEL DE ORIENTAÇÃO 
Avaliação básica do sistema nervoso 
֎ Orientação temporal → 
Geralmente a primeira a ser comprometida. 
CUIDADO: Mesmo em situações normais, é comum desorientação quanto ao dia do mês ou da semana. 
֎ Orientação espacial → 
Além de não saber onde se encontra, é comum não saber por quê está ai. 
Pode, também, não reconhecer pessoas. 
֎ Orientação auto psíquica → 
Capacidade de saber quem é. 
Não consegue informar dados pessoais, idade, lugar de nascimento ou nome. 
Geralmente a última a ser comprometida. 
A classificação pode ser: 
LOTE → Lúcido e orientado no Tempo e Espaço 
Desorientado 
FÁCIES 
Análise de características da face do paciente → 
algumas características são patognomônicas 
FÁCIES NORMAL OU ATÍPICA 
Tralala 
 
FÁCIES MIXEDEMATOSA 
→ Rosto arredondado 
→ Nariz e lábios grossos 
→ Pele seca e espessa 
→ Cabelos secos e sem brilho 
→ Edema periorbitário 
→ Expressão de desânimo e apatia 
→ Aparece no Hipotireoidismo 
 
Antes Depois 
FÁCIES HIPOCRÁTICA 
→ Olhos fundos, parados e inexpressivos 
→ Nariz e lábios finos 
→ “Batimentos da asa do nariz” 
→ Sudorese constante 
→ Palidez cutânea e leve cianose labial 
→ Aparece em doenças prolongadas ou terminais, 
fome excessiva 
 
FÁCIES RENAL 
→ Edema periorbital → Principalmente pela manhã 
→ Palidez cutânea 
→ Aparece em doenças difusas dos rins → Síndrome 
nefrótica e glomerulite aguda 
 
FÁCIES LEONINA 
→ Pele espessa 
→ Presença de lepromas 
→ Alargamento do nariz e dos lábios 
→ Queda dos pelos faciais 
→ Aparece na Hanseníase 
 
FÁCIES ADENOIDIANA 
→ Nariz pequeno e afilado 
→ Boca sempre entreaberta 
→ Alongamento do rosto 
→ Aparece em crianças portadoras de hipertrofia 
das adenoides ou respiradores bucais → a 
mudança estrutural da face é resultado da 
obstrução nasal (seja por hipertrofia da adenoide 
ou não). 
 
Aos 6 anos Aos 9 anos 
FÁCIES PARKINSONIANA 
→ Cabeça levemente inclinada para frente 
→ Olhar fixo 
→ Supercílios elevados 
→ Fronte enrugada 
→ Expressão de espanto 
→ Oleosidade da pele 
→ Salivação pelo canto da boca 
→ Aparece na Doença de Parkinson 
 
FÁCIES BASEDOWIANA 
→ Exoftalmia 
→ Rosto magro 
→ Aspecto de espanto e ansiedade 
→ Presença de bócio 
→ Aparece no Hipertireoidismo 
 
FÁCIES MONGOLOIDE 
→ Olhos oblíquos → prega cutânea na fenda 
palpebral 
→ Olhos distantes um do outro 
→ Rosto redondo 
→ Boca quase sempre entreaberta 
→ Observada na Síndrome de Down 
 
FÁCIES DA DEPRESSÃO 
→ Cabisbaixo 
→ Olhos fixos em ponto distante, pouco brilho ou 
voltado para o chão. 
→ Sulco nasolabial acentuado 
→ Cantos da boca rebaixados 
→ Fisionomia de indiferença ou tristeza 
→ Observada na depressão 
 
FÁCIES CUSHINGÓIDE (DE LUA-CHEIA) 
→ Rosto arredondado 
→ Atenuação dos traços faciais 
→ Bochechas avermelhadas 
→ Acne 
→ Observada em pacientes com longo uso de 
corticoides → Cushing iatrogênico 
→ Observado em pacientes com Síndrome de 
Cushing → hiperfunção do córtex das suprarrenais 
 
FÁCIES PSEUDOBULBAR 
→ Crises de choro ou riso involuntário (conscientes) 
→ Aspecto espasmódico 
→ Observada na paralisia pseubobulbar 
 
 Em repouso Durante contração 
FÁCIES ACROMEGÁLICA 
→ Saliencia das arcadas supra-orbitárias 
→ Proeminência das maças do rosto 
→ Supradesenvolvimento do maxilar inferior 
→ Aumento do tamanho do nariz, lábios e orelhas. 
→ Olhos pequenos → em comparação ao resto do 
rosto. 
→ Observado na Acromegalia 
 
FÁCIES DA PARALISIA FACIAL PERIFÉRICA 
→ Face assimétrica 
→ Boca repuxada para o lado contralateral do lado 
afetado 
→ Sulco nasolabial apagado no lado afetado 
→ Impossibilidade de fechar as pálpebras do lado 
afetado 
 
FÁCIES MIASTÊNICA (HUTCHINSON) 
→ Ptose bilateral 
→ Testa franzida e elevação da cabeça → pra 
compensar a ptose 
→ Observada na Miastenia Grave, miopatias e no 
acidente crotálico. 
 
FÁCIES DO DEFICIENTE MENTAL 
→ Boca entreaberta 
→ Hipertelorismo (afastamento dos olhos) ou 
estrabismo 
→ Olhos sem foco e em constante movimento 
→ Sorriso sem motivação aparente 
 
FÁCIES ETÍLICA 
→ Olhos avermelhados 
→ Ruborização da face 
→ Sorrido indefinido 
 
FÁCIES ESCLERODÉRMICA 
→ Fácies da múmia 
→ Imobilidade facial quase completa 
→ Pele apegaminhada, endurecida e aderente aos 
planos profundos 
→ Afinamento do nariz. 
→ Fisionomia inexpressiva 
 
NUTRIÇÃO 
Avaliação com base em uma inspeção simples e palpação adiposa do braço (por exemplo). 
A classificação pode ser: 
֎ Bem nutrido/peso normal 
֎ Magreza → Abaixo do peso normal. Não é indicativo de doença 
֎ Caquexia → Estado de extrema magreza com comprometimento geral do paciente 
֎ Sobrepeso/Obesidade 
 
O IMC pode ser usado como forma de orientação sobre o estado de nutrição do paciente. No entanto, esse calculo 
vem sendo criticado por não levar em conta as proporções corporais de massa magra e gorda. 
De forma mais específica devem ser avaliados: 
֎ Peso 
֎ Musculatura 
֎ Panículo adiposo 
֎ Desenvolvimento físico 
֎ Estado geral 
֎ Pele 
֎ Pelo 
֎ Olhos 
DESNUTRIÇÃO:
A classificação é feita baseada no peso padrão para a idade e sexo : 
֎ Desnutrição de 1º grau: déficit de peso superior a 10% 
֎ Desnutrição de 2º grau: déficit de peso superior a 25% 
֎ Desnutrição de 3º grau: déficit de peso superior a 40% 
A desnutrição proteica causa queda de cabelos e pelos, mudança da coloração e os tornam finos, secos e 
quebradiços.
OBESIDADE 
Pode ser dividida de acordo com a distribuição no corpo: 
֎ Obesidade alta ou androide: Concentração no tórax e abdome. 
Típica dos homens 
Deposição de gordura intra-abdominal 
Relacionado ao surgimento de DM, HAS e IAM 
֎ Obesidade baixa ou ginecoide: Deposição da gordura nas coxas, nádegas e regiões próximas à pelve 
Típica das mulheres 
Predominantemente subcutânea → favorece o aparecimento de celulite 
Não relacionado diretamente a doenças 
HIDRATAÇÃO 
Depende do balanço adequado da oferta de líquidos e eletrólitos e sua perda. 
A avaliação pode ser feita: 
→ Puxa-se a pele de leve (do rosto, antebraço ou mãos) 
→ Observa-se se a pele retorna ao normal rapidamente, ou não. 
→ Observa-se a conjuntiva ocular → Úmida = hidratada; Ressecada = desidratada. 
→ Observa-se o interior da boca 
ESTADO DE HIDRATAÇÃO NORMAL: 
→ Pele rósea 
→ Boa elasticidade 
→ Mucosas úmidas 
→ Sem alterações oculares 
→ Sem perda de peso abrupta 
 
ESTADO DE DESIDRATAÇÃO: 
→ Sede 
→ Queda abrupta de peso 
→ Pele seca e sem elasticidade 
→ Mucosas secas 
→ Olhos afundados 
→ Crianças: fontanelas deprimidas, excitação 
psíquica 
EDEMA: 
Excesso de líquido no espaço intersticial ou intracelular. 
Critérios a serem avaliados: 
LOCALIZAÇÃO: DESCRIÇÃO PRECISA 
→ Facial: em toda a face ou em uma região específica 
(periorbital, subpalpebral) 
→ Membros: unilateral ou bilateral 
Inferiores: Nível maleolar, pré-tibial, coxo-
femoral. 
→ Região sacral 
→ Anasarca: Edema generalizado 
DURAÇÃO E EVOLUÇÃO: 
→ Duração: aguda ou crônica 
→ Evolução: Ascendente (inicia nos membros 
inferiores e sobe gradativamente), descendente ou 
estável 
→ Outras características: Aumenta pela manhã, ou 
no final do dia 
INTENSIDADE: 
Como se avalia: 
→ Faz-se compressão firme durante alguns 
segundos, com o polegar, contra um osso da 
região. 
→ Ao ser retirado, se houver edema,