A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
284 pág.
Seitas e Heresias

Pré-visualização | Página 2 de 18

a tomar corpo).
A idéia básica da doutrina da reencarnação é que a nossa vida atual neste mundo é uma repetição de outras existências vividas em outros corpos – a alma da pessoa continua reencarnando, esquecendo as vidas passadas. A reencarnação é um meio de purificação do espírito.
A doutrina é encontrada nos Evangelhos sob o nome de ressurreição.
KARDECISMO
DOUTRINA
2.3. Carma
Segundo essa doutrina as vidas futuras das pessoas são determinadas pela lei do carma, que afirma que os maus atos passados estão relacionados com a vida presente, e que as ações atuais da pessoa têm implicações para as vidas futuras. O estado (social e físico) no qual a pessoa nascerá no futuro é assim determinado.
As três condições básicas para o homem se salvar no espiritismo são:
a) arrependimento;
b) sofrimento;
c) praticar boas obras.
KARDECISMO
2. DOUTRINA
Refutação:
A
Bíblia	jamais	faz	qualquer	referência
à	palavra a	palavra
“reencarnação”,	tampouco	a	confunde	com “ressurreição”.
Biblicamente, ressurreição o retorno do espírito ao corpo (Lc 8.54,55). A reencarnação segundo o espiritismo é “a volta do espírito à vida corpórea, mas em outro corpo especialmente formado para ele, e que nada tem de comum com o antigo”.
Hebreus 9.27 afirma: “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disto o juízo”. Se o homem tivesse pluralidade de existências, isso implicaria diversidade de mortes, o que realmente não ocorre: uma só vez está destinada ao ser humano morrer, vindo após isso o juízo”.
KARDECISMO
2. DOUTRINA
Refutação:
O espiritismo ensina a expiação por esforços próprios, Paulo ensina a redenção pelo sangue de Cristo (Ef 1.7) e afirma, em Efésios 2.8-10, que a salvação é pela graça, por meio da fé em Jesus Cristo, e não por intermédio de obras ou sofrimento.
KARDECISMO
2. DOUTRINA
2.4. Nega a Inspiração Divina da Bíblia.
Refutação:
2 Tm 3.16-17.
KARDECISMO
2. DOUTRINA






2.5. Nega a Doutrina da Trindade.
Refutação:
A Trindade pode ser esplanada e biblicamente provada seguindo três fatos:
Existe um só Deus (Dt 6.4; Is 43.10; 45.5,6).
Esse único Deus é uma pluralidade de pessoas (Gn 1.26; 3.22; 19.24). Isso pode ser visto pela seguinte comparação entre as passagens (Is 6.1-3; Jo 12.37-41; Is 6.8-9; At 28.25).
Há três pessoas na Bíblia que são chamadas Deus e que são eternas por natureza: o Pai (2 Pe 1.17); o Filho (Jo 1.1; 20.28; Rm 9.5; Tt 2.13); o Espírito Santo (At 5.3,4).
KARDECISMO
DOUTRINA
2.6. Nega a Deidade de Cristo.
Refutação:
a)	Jesus	perdoa	pecados,	atribuição	exclusiva	de	Deus (Is 43.25; cf Mc 2.1-12);
b) aceita adoração que só se deve prestar a Deus (Mt 4.10; cf. Mt 28.9; Hb 1.6);
c) foi chamado abertamente de Deus , e não se opôs a isso (Jo 20.28);
d) afirma ser Filho de Deus e igual a Deus (Jo 5.16-18; 10.30-33).
KARDECISMO
2. DOUTRINA
2.7. Nega nossa Redenção por Cristo.
Refutação:
Paulo, em 1 Coríntios 15.3,4 afirma que a missão de Jesus Cristo neste mundo foi de salvar e resgatar as almas perdidas, e por isso morreu por nós, pecadores. Assim, a Bíblia é clara ao declarar que:
a) o seu nome, Jesus – Salvador – indicaria sua missão: salvar (Lc 2.10,11);
b) Paulo afirma que nossa redenção é feita por Cristo (1 Tm 1.15) e que seu sangue nos purifica do pecado (Ef 1.7; Hb 7.25);
KARDECISMO
lugar	de
2. DOUTRINA
2.8.	Nega	a	existência	do	Céu	como Felicidade.
Refutação:
João 14.2,3 nos ensina que o céu é um lugar e que os que pertencem a Jesus estarão no mesmo lugar para onde Ele foi. Jesus ascendeu ao céu e tomou posição à direita de Deus (Mc 16.19; Hb 8.1; Ap 3.21). Prometeu que os seus estariam onde Ele estivesse (Jo 17.24). Paulo (Fp 3.20,21) e Pedro (1 Pe 1.3) falaram igualmente da sua esperança celestial.
KARDECISMO
2. DOUTRINA
2.9. Nega o Inferno como lugar de Tormento Eterno e Consciente.
Refutação:
Jesus falou claramente sobre os castigos reservados aos culpados em Mateus 25.41,46, afirmando que a vida eterna dos justos tem duração igual ao castigo eterno dos injustos. Há outras referências onde Jesus emprega palavras que indicam duração sem fim do castigo reservado aos ímpios (Mt 5.22,29; 10.28; 13.42,49,50; 18.8; Mc 9.43-46; Lc 6.24; 10.13-15; 12.4,5; 16.19-31). Nelas aparecem as expressões: suplício eterno, fogo eterno, fogo inextinguível, onde o bicho não morre e o fogo não se apaga, trevas exteriores, choro e ranger de dentes.
KARDECISMO
Diabo	e	dos
2. DOUTRINA
2.10.	Nega	a	existência	do Demônios.
Refutação:
A Bíblia mostra claramente a existência do diabo e dos demônios (Jó 1.6; Mt 4.1-10; Jo 8.44; 1 Pe 5.8; Ap 20.10; Mt 8.31; 9.33; 12.43-45; 17.18).

KARDECISMO
2. DOUTRINA
2.11. Nega os Milagres de Jesus.
Os espíritas negam a deidade absoluta de Jesus. Conseqüentemente negam os milagres arrolados na Bíblia. Para eles, Jesus é apenas um médium.
Refutação:
Para provar sua condição de “Deus conosco” (Mt 1.21-23), Jesus:
a) apontava para seus milagres como prova dessa condição (Jo 10.37-39);
b) indicava seus milagres como testemunho da veracidade de suas palavras e doutrina (Mt 11.2-6; Lc 5.24; 7.19-23; Jo 5.36; 15.22);
c) aceitava adoração como Deus, sem corrigir tal postura (Jo 20.28).
LEGIÃO DA BOA VONTADE (LBV)
1. HISTÓRIA
1.1. Cronologia
O responsável pela fundação dessa organização foi Alziro Zarur, nascido em 25 de dezembro de 1914, filho de um casal de católicos ortodoxos que viera da Síria dois anos antes.
Em 1949 ele lança o programa “Hora da Boa Vontade”, na Rádio Globo do Rio.
A Legião da Boa Vontade foi oficialmente organizada no dia 1º de janeiro de 1950.
O
cargo	de	Presidente	Mundial	da	LBV	é	ocupado
atualmente por José Simões de Paiva Neto, nascido em 2 de março de 1941.
LEGIÃO DA BOA VONTADE (LBV)
1. HISTÓRIA
1.2. As Obras
Os trabalhos assistenciais da LBV iniciaram-se com a distribuição de sopa aos pobres em Nova Iguaçu (subúrbio do Rio). Mantém atualmente creches, asilos, escolas, orfanatos, lares-escolas, escolas profissionalizantes, assistência médica infantil etc. Promovem a “Ronda da Caridade” à meia-noite, recolhendo mendigos e bêbados nas calçadas e dando-lhes a “sopa dos pobres”.
Mantém em todos os estados 65 programas de televisão e 300 de rádio.
LEGIÃO DA BOA VONTADE (LBV)
2. DOUTRINA
2.1. A LBV se intitula A Quarta Revelação de Deus aos Homens – o Espiritismo pregado por Allan Kardec se considerava a terceira.
Como quarta revelação de Deus aos homens, e também a última, alega ser um tipo de religião ecumênica, pois na LBV se “fundem todas as religiões humanas”.
LEGIÃO DA BOA VONTADE (LBV)
2. DOUTRINA
Refutação:
O ecumenismo, independentemente do credo doutrinário não é bíblico. Se todas as religiões fossem boas e iguais em essência, por que Jesus Cristo veio ensinar um novo caminho? (cf. Mt 5.2; 13.54; Mc 1.21; Jo 7.14; 8.2). Se todas as religiões pudessem conduzir as pessoas a Deus por que Jesus enviou os discípulos a pregar o Evangelho a todos (Mc 16.15, 16), discipular pessoas, ensinando-as a guardar tudo quanto lhes havia ordenado (Mt 28.18-20); e por que afirmou ser o Caminho pelo qual o homem chega ao Pai (Jo 14.6)? Se todos os caminhos levassem a Deus, Jesus não tinha prescrito coisas absolutamente necessárias para a salvação (Lc 13.3; 14.27, 33; Jo 3.3, 5, 36)?
LEGIÃO DA BOA VONTADE (LBV)
2. DOUTRINA
2.2. O Espírito Santo é uma Falange Sagrada. Nega a personalidade do Espírito Santo.
Refutação:
O Espírito Santo é uma personalidade, visto que Ele possui as três faculdades que caracterizam uma pessoa: inteligência (1 Co 2.9-11), volição (1 Co 12.11) e sensibilidade (Ef 4.30). A Bíblia mostra que Ele ensina (Jo 14.26), testifica (Jo 15.26), guia (Rm 8.14), convence (Jo 16.7-11), ordena e dirige (At 8.29; 13.1-3), intercede (Rm 8.26).
LEGIÃO DA BOA VONTADE (LBV)
2. DOUTRINA
2.3. A Bíblia contém erros.
Refutação:
Deus é o autor da Escritura, visto que a inspirou (2 Tm 3.16-17), utilizando para escrevê-la homens “movidos