A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
284 pág.
Seitas e Heresias

Pré-visualização | Página 7 de 18

de Jesus: a) O Verbo já existia antes da criação; b) “o Verbo estava com Deus...”; c) “... e o Verbo era Deus”. Hb 1.8 e 1 Jo 5.20 também reconhecem a divindade de Cristo.
Cristo é todo-poderoso (Mt 28.18; Ap 1.8) e não foi criado, pois é eterno (Is 9.6; Jo 1.18; 6.57; 8.19,58; 10.30,38; 14.7,9,10,20; 16.28; 17.21).
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
3. DOUTRINA
Refutação:
A Bíblia mostra que Jesus é Criador e Miguel é criatura (Jo 1.3; Hb 1.2,10; Cl 1.16-18; Hb 1.5). O Jesus da Bíblia nasceu Cristo e não se tornou por ocasião do batismo (Lc 2.11). As Escrituras também afirmam que “Jesus, o Nazareno” é vivo (At 2.22, 36).
A
Escritura	Sagrada	afirma	que	Jesus	ressuscitou
corporalmente (Lc 24.39-43; Jo 20.25, 27; At 1.3-4; Ap 1.3;
1 Co 15.47).
De	acordo	com	a	Palavra	de	Deus	Jesus	virá corporalmente (At 1.11; Ap 1.7; Mt 24.14, 30).
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
3. DOUTRINA
3.4. Espírito Santo.
O Espírito Santo é a força ativa e impessoal de Deus, que impulsiona seus servos a cumprirem a sua vontade, negando tanto a sua personalidade como a sua divindade.
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
3. DOUTRINA
Refutação:
A Bíblia revela o Espírito Santo como uma pessoa, a terceira Pessoa da Trindade, pois Ele é Deus (2 Co 3.18).
O Espírito Santo possui intelecto; Ele penetra todas as coisas (1 Co 2.10-11) e é inteligente (Rm 8.27). Ele tem emoção, sensibilidade (Rm 15.30; Ef 4.30) e vontade (At 16.6-11; 1 Co 12.11). As três faculdades: intelecto, emoção e vontade caracterizam a personalidade.
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
3. DOUTRINA
3.5. Salvação.
“Todos os que, em razão da fé em Deus Jeová e em Cristo Jesus, dedicam-se à vontade de Deus e então perseveram em sua dedicação, serão recompensados com a vida eterna...” (Seja Deus Verdadeiro).
Refutação:
A Bíblia ensina que a salvação e conseqüente vida eterna são pela graça mediante a fé, e não recompensa ao ser humano pela sua dedicação a Deus (Ef 2.8-9; Tt 3.5; Jo 6.40).
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
3. DOUTRINA
3.6. Inferno.
As Testemunhas de Jeová negam a existência do inferno ardente e a punição eterna: “A doutrina dum inferno ardente onde os iníquos, depois da morte, são torturados para sempre, não pode ser verdadeira principalmente por quatro razões: 1ª) porque está inteiramente fora das Escrituras; 2ª) porque é irracional; 3ª) porque é contrária ao amor de Deus; 4ª) porque é repugnante à justiça (Seja Deus Verdadeiro, pág. 79).
Refutação:
A Bíblia apresenta a realidade do inferno e da punição eterna (2 Ts 1.7-9; Mt 25.41,46; Lc 16.22,23; Mt 10.28; Ap 20.10,14).
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
3. DOUTRINA
3.7. Alma.
Negam a imortalidade da alma.
Refutação:
A Bíblia afirma a imortalidade da alma (Lc 16.19-31; 23.43; 20.38; 9.30; 2 Co 5.8; Fp 1.23).
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
3. DOUTRINA
3.8. Céu.
Crêem que em 1935 Jeová colocou uma placa no céu, dizendo: “Não há vagas”. Rutherford dividiu o rebanho em duas classes: a dos ungidos, que são apenas 144.000 membros, que representam todos os cristãos autênticos desde a fundação da igreja até 1935. Somente estes vão para o céu. Os demais são a classe da “grande multidão”, que vão herdar a terra. Dizem que os membros dessa última classe não são filhos de Deus e nem pertencem a Cristo.
Refutação:
Há um só rebanho (Jo 10.16; Ef 2.11-18), o céu é para todos os que crêem (Jo 14.1-4) e que todos os cristãos autênticos são filhos de Deus (Jo 1.12; 1 Jo 3.1-3).
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
1. HISTÓRIA
Guilherme (William) Miller, pastor batista do Estado de Nova Iorque, nos Estados Unidos, em 1818, baseado em Daniel 8.14: “Ele me disse: Até duas mil trezentas tardes e manhãs e o santuário será purificado”, afirmou que Cristo voltaria a Terra no dia 23 de março de 1843.
Não acontecendo o previsto, Miller anunciou que Cristo voltaria no dia 23 de março do ano seguinte. Porém, ao chegar essa data, Miller e seus seguidores, aproximadamente 100 mil, sofrem nova decepção. Uma vez mais Miller fez um novo cálculo segundo o qual Cristo voltaria no dia 22 de outubro daquele mesmo ano; porém essa previsão falhou também.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
1. HISTÓRIA
Dos muitos grupos que o haviam seguido, três se uniram para formar uma nova igreja fundamentada numa nova interpretação da mensagem de Miller. Esta nova interpretação surgiu de uma suposta “revelação” de Hiram Edson, discípulo fervoroso e amigo de Miller. Segundo Edson, Miller não estava equivocado em relação à data da vinda de Cristo, mas sim em relação ao local. Afirmou ele que na data profetizada por Miller, Cristo havia entrado no santuário celestial, não só no terrenal, para fazer uma obra de purificação ali.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
1. HISTÓRIA
Dos três grupos que apoiaram Hiram Edson na sua nova “revelação”, dois deles deram substancial contribuição para a formação da seita hoje conhecida como “Adventismo do Sétimo Dia”.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
1. HISTÓRIA
O primeiro era dirigido por Joseph Bates, que observava o sábado, em vez do domingo. O segundo grupo dava muita ênfase aos dons espirituais, particularmente ao de profecia, e tinha entre seus membros a senhora Helen Marmon (mais tarde senhora White) que dizia ter o dom da profecia.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
1. HISTÓRIA
Ao	se	unirem	os	três	grupos,	cada	um	deu
a	sua
contribuição para a nova igreja em formação: o primeiro, a revelação de Edson com respeito ao santuário celestial; o segundo o legalismo; e o terceiro grupo cooperou com uma profetisa que por mais de meio século haveria de exercer influência predominante na fundação e crescimento da nova igreja. Em maio de 1863, por questões de coordenação e sobrevivência, organizou-se a “Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia”.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
2.1. O Estado da Alma após a Morte.
O Adventismo ensina que após a morte do corpo a alma é reduzida ao estado de silêncio, de inatividade e de inteira inconsciência, isto é: entre a morte e a ressurreição, os mortos dormem.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
Refutação:
O texto de Lucas 16.22-30 registra a história do rico e Lázaro logo após a morte, e mostra que o rico estando no inferno:
a) levantou os olhos e viu Lázaro no seio de Abraão (v.23);
b) clamou por misericórdia (v. 24);
c) teve sede (v. 24);
d) sentiu-se atormentado (v. 24);
e) rogou em favor dos seus irmãos (v.27);
f) ainda tinha seus irmãos em lembrança (v.28);
g) persistiu em rogar a favor dos seus entes queridos (v.30).
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
Apocalipse 6.9,10 comenta sobre aqueles que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e do testemunho que sustentavam”.
Segundo o registro de João, elas:
a) clamavam com grande voz (v.10);
b) inquiriram o Senhor (v.10);
c) reconheceram a soberania do Senhor (v.10);
d) lembravam-se de acontecimentos na terra (v.10);
e)	clamavam	por	vingança	divina	contra	os	ímpios (v.10).
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
As expressões “dormir” ou “sono” usadas na Bíblia para tipificar a morte falam da indiferença dos mortos para com os acontecimentos normais da Terra. Assim como o subconsciente continua ativo enquanto o corpo dorme, a alma do homem não cessa sua atividade quando o corpo morre.
A palavra de Cristo na cruz ao ladrão arrependido: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc 23.43), é uma prova da consciência da alma imediatamente após a morte.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
2.2. O Destino Final dos Ímpios e Satanás
Spicer, um dos mais lidos escritores adventistas, escreve: “O ensino positivo da Sagrada Escritura é que o pecado e os pecadores serão exterminados para não mais existirem.”
Refutação:
	Este ensino contradiz as seguintes passagens: Daniel 12.2; Mateus 25.46; João 5.29 e Apocalipse 20.10.
Daniel 12.2 e Mateus 25.46 estão de acordo ao afirmar que:
a) os justos ressuscitarão para a vida e gozo eternos;
b)	enquanto	que	os	ímpios	ressuscitarão	para	vergonha	e horror igualmente eternos.
ADVENTISTA DO SÉTIMO