A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Hormônios tireoidianos

Pré-visualização | Página 3 de 3

de modo especial, devido a uma necessidade maior de 
eliminação de calor pelo organismo. Como consequência da intensidade do fluxo 
sanguíneo, o débito cardíaco também se eleva, às vezes chegando a 60% ou mais acima do 
normal, na presença de grande excesso de hormônio tireoidiano, e caindo para apenas 
50% do normal, no hipotireoidismo grave.
▪
Fluxo Sanguíneo e Débito Cardíaco ○
Aumento da Frequência Cardíaca ▪
▪ A frequência cardíaca aumenta consideravelmente mais sob a influência do hormônio 
tireoidiano do que seria esperado pelo aumento no débito cardíaco. Portanto, o hormônio 
tireoidiano parece apresentar efeito direto na excitabilidade do coração, o que eleva a 
frequência cardíaca. Esse efeito é de particular importância porque a frequência cardíaca é 
um dos sinais físicos que o médico utiliza para determinar o excesso ou a redução da 
produção de hormônio tireoidiano.
Frequência Cardíaca ○
Pequenos aumentos do HT = Aumento da Força▪
▪ Aparentemente, a elevação da atividade enzimática, provocada por apenas ligeiro aumento 
da secreção do hormônio tireoidiano, já é capaz de aumentar a força da contração 
cardíaca. Contudo, quando a secreção do hormônio tireoidiano é acentuadamente elevada, 
a força do músculo cardíaco fica deprimida, devido ao catabolismo proteico excessivo, por 
longos períodos.
Força do Batimento Cardíaco ○
Aumento do Volume Sanguíneo ▪
Volume Sanguíneo ○
▪ A pressão arterial média, em geral, permanece aproximadamente normal após a 
administração de hormônio tireoidiano. Devido ao maior fluxo sanguíneo através dos 
tecidos, entre os batimentos cardíacos, a pressão de pulso frequentemente aumenta; a 
pressão sistólica se eleva de 10 a 15mmHg no hipertireoidismo, e a pressão diastólica é 
reduzida na mesma intensidade.
Pressão Arterial ○
Aumento da Frequência e Profundidade ▪
▪ Um maior metabolismo aumenta a utilização de oxigênio e a formação de dióxido de 
carbono; esses efeitos ativam todos os mecanismos que elevam a frequência e a 
profundidade da respiração.
Efeitos dobre a Respiração ○
Aumento das secreções digestivas e aumento da motilidade intestinal ▪
▪ Além do apetite maior e da ingestão alimentar, já discutidos, o hormônio tireoidiano 
aumenta tanto a produção de secreções digestivas como a motilidade do trato 
gastrointestinal. O hipertireoidismo, portanto, frequentemente resulta em diarreia, 
enquanto a falta de hormônio tireoidiano pode causar constipação
Efeitos sobre o Trato Gastrointestinal ○
▪ Em geral, o hormônio tireoidiano aumenta a velocidade da atividade cerebral, embora os 
processos do pensamento possam estar dissociados; por outro lado, sua falta reduz a 
velocidade da atividade cerebral. Um indivíduo com hipertireoidismo, frequentemente, 
apresenta muito nervosismo e tem tendências psiconeuróticas, tais como complexos de 
ansiedade, preocupação excessiva e paranoia.
Efeitos sobre o SNC○
▪ Um leve aumento do hormônio tireoidiano faz com que os músculos reajam com vigor, 
Efeitos sobre a Musculatura○
Efeitos sobre o Sistema cardiovascular •
 Fisio 2 
▪ Um leve aumento do hormônio tireoidiano faz com que os músculos reajam com vigor, 
mas, quando a quantidade de hormônio fica excessiva, os músculos são enfraquecidos, 
devido ao excesso do catabolismo proteico. Ao contrário, a falta de hormônio tireoidiano 
torna os músculos vagarosos, relaxando-se lentamente, após uma contração.
▪ Devido ao efeito exaustivo do hormônio tireoidiano na musculatura e no sistema nervoso 
central, a pessoa com hipertireoidismo frequentemente se queixa de cansaço constante; 
entretanto, devido aos efeitos excitatórios dos hormônios tireoidianos nas sinapses, o sono 
é dificultado. Ao contrário, a sonolência extrema é característica do hipotireoidismo, e o 
sono chega a durar de 12 a 14 horas por dia, em alguns casos.
Efeitos sobre o Sono○
○ Para manter níveis normais de atividade metabólica no organismo, uma quantidade exata de 
hormônio tireoidiano deve ser secretada a cada momento; para atingir esse nível ideal de 
secreção, mecanismos específicos de feedback operam por meio do hipotálamo e da hipófise 
anterior, para controlar a secreção tireoidiana.
Importância do Feedback•
□ O efeito precoce mais importante, após a administração de TSH, é o início da 
proteólise da tireoglobulina, que provoca a liberação de tiroxina e tri- iodotironina 
no sangue, depois de 30 minutos. Os demais efeitos levam horas ou até mesmo dias e 
semanas para se desenvolver plenamente.
1° Efeito = 30 minutos ▪
▪ Aumento da proteólise da tireoglobulina já armazenada nos folículos, com resultante 
aumento da liberação dos hormônios tireoidianos para o sangue circulante e diminuição 
da própria substância folicular.
Proteólise aumentada da tireoglobulina que foi armazenada nos folículos ○
▪ Aumento da atividade da bomba de iodeto que aumenta a “captação de iodeto” pelas 
células glandulares, às vezes elevando a proporção entre as concentrações intra e 
extracelular de iodeto na substância glandular para até oito vezes o normal.
Aumento da Atividade da Bomba de Iodeto○
Iodetação aumentada da tirosina e acoplamento aumentado para formar os HT○
Aumento do Tamanho e da Atividade Secretora das Células Tireoidianas ○
▪ Aumento do número de células tireoidianas, além da transformação de células cuboides 
em colunares e grande pregueamento do epitélio tireoidiano nos folículos.
Aumento do Número de Células Tireoidianas ○
Efeitos do TSH sobre a Secreção da Tireoide •
REGULAÇÃO DA SECREÇÃO DO HT
 Fisio 2 
EFEITO DE FEEDBACK DO HORMÔNIO TIREOIDIANO PARA REDUZIR A SECREÇÃO DE 
TSH PELA HIPÓFISE ANTERIOR
A elevação do hormônio tireoidiano nos líquidos corporais reduz a secreção de TSH pela hipófise anterior. 
Quando a secreção do hormônio tireoidiano eleva-se para 1,75 do normal, a secreção de TSH cai praticamente 
para zero. Quase todo esse efeito depressor por feedback ocorre até mesmo quando a hipófise anterior é 
separada do hipotálamo. Portanto, é provável que essa inibição ocorra, principalmente, por efeito direto do 
hormônio tireoidiano na própria hipófise anterior. Independentemente de onde se dá o controle por feedback, 
seu efeito consiste em manter uma concentração quase constante de hormônios tireoidianos nos líquidos 
corporais circulantes.
 Fisio 2