A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
UNIP - ECONOMIA E MERCADO - QUESTIONÁRIO UNIDADE IV

Pré-visualização | Página 1 de 3

12/02/2020 Revisar envio do teste: QUESTIONÁRIO UNIDADE IV – 3081-...
https://ava.ead.unip.br/webapps/assessment/review/review.jsp?attempt_id=_29215432_1&course_id=_61169_1&content_id=_873762_1&return_… 1/7
 
Revisar envio do teste: QUESTIONÁRIO UNIDADE IV
ECONOMIA E MERCADO 3081-50_57501_R_20201 CONTEÚDO
Usuário viviane.paiva4 @unipinterativa.edu.br
Curso ECONOMIA E MERCADO
Teste QUESTIONÁRIO UNIDADE IV
Iniciado 12/02/20 20:36
Enviado 12/02/20 20:37
Status Completada
Resultado da
tentativa
2,5 em 2,5 pontos  
Tempo decorrido 1 minuto
Resultados
exibidos
Todas as respostas, Respostas enviadas, Respostas corretas, Comentários, Perguntas
respondidas incorretamente
Pergunta 1
Resposta
Selecionada:
e.
Respostas: a. 
b. 
c. 
d.
e.
Feedback
da
resposta:
Segundo Guilherme Barros, colunista da Folha de São Paulo: 
“[...] na época (do Plano Cruzado), o presidente era José Sarney, o primeiro civil depois de 21 anos
de ditadura militar. [...] Engendrado por um grupo de economistas oriundos da PUC do Rio, o
plano serviu para legitimar Sarney na che�a do governo, já que ele tinha herdado o poder em
março de 1985, depois da tragédia ocorrida com Tancredo Neves. No início, o plano foi um
sucesso [...]. O presidente Sarney e o então ministro da Fazenda, Dílson Funaro, se tornaram
heróis da Nova República. O plano resistiu nove meses. Em novembro, seis dias depois de o
governo ter alcançado uma esmagadora vitória nas urnas, o plano foi substituído pelo Cruzado
2, que decretou o �m do congelamento de preços. [...] de milagroso, o Cruzado se torna o maior
plano de estelionato eleitoral da história do país”.
Fonte: http://iepecdg.com/DISK%201/Arquivos/ArtigosBacha/cruzado20anos26022006-0903
2006.pdf
Entre as medidas adotadas pelo Plano Cruzado, não se inclui:
a adoção do dólar como padrão para reajustes de contratos de
�nanciamento a longo prazo, e apenas a longo prazo.
a adoção das tablitas de conversão dos contratos de �nanciamento.
o congelamento de preços.
o congelamento de salários.
a adoção de um abono salarial de 8% e um aumento de 16% no salário
mínimo.
a adoção do dólar como padrão para reajustes de contratos de
�nanciamento a longo prazo, e apenas a longo prazo.
Resposta: E 
Comentário: A moeda americana não foi utilizada como forma de indexação
de contrato, muito pelo contrário, os indexadores foram eliminados.
UNIP EAD BIBLIOTECAS MURAL DO ALUNO TUTORIAISCONTEÚDOS ACADÊMICOS
0,25 em 0,25 pontos
viviane.paiva4 @unipinterativa.edu.br 1
https://ava.ead.unip.br/webapps/blackboard/execute/courseMain?course_id=_61169_1
https://ava.ead.unip.br/webapps/blackboard/content/listContent.jsp?course_id=_61169_1&content_id=_873749_1&mode=reset
http://iepecdg.com/DISK%201/Arquivos/ArtigosBacha/cruzado20anos26022006-09032006.pdf
https://ava.ead.unip.br/webapps/portal/execute/tabs/tabAction?tab_tab_group_id=_10_1
https://ava.ead.unip.br/webapps/portal/execute/tabs/tabAction?tab_tab_group_id=_27_1
https://ava.ead.unip.br/webapps/portal/execute/tabs/tabAction?tab_tab_group_id=_47_1
https://ava.ead.unip.br/webapps/portal/execute/tabs/tabAction?tab_tab_group_id=_29_1
https://ava.ead.unip.br/webapps/portal/execute/tabs/tabAction?tab_tab_group_id=_25_1
https://ava.ead.unip.br/webapps/login/?action=logout
12/02/2020 Revisar envio do teste: QUESTIONÁRIO UNIDADE IV – 3081-...
https://ava.ead.unip.br/webapps/assessment/review/review.jsp?attempt_id=_29215432_1&course_id=_61169_1&content_id=_873762_1&return_… 2/7
Pergunta 2
Resposta Selecionada: d. 
Respostas: a. 
b. 
c. 
d. 
e. 
Feedback da
resposta:
Qual era, respectivamente, o diagnóstico da causa da in�ação nos planos Cruzado, Bresser e
Verão?
Inercial, inercial e de demanda, inercial e de demanda.
Inercial, inercial e inercial.
Inercial e de demanda, inercial e de demanda.
Inercial, inercial e de demanda, de demanda.
Inercial, inercial e de demanda, inercial e de demanda.
Con�ito distributivo, inercial, causado pelo dé�cit público.
Resposta: D 
Comentário: As principais causas da in�ação identi�cadas pelos planos de
estabilização da época estão na inércia e demanda.
Pergunta 3
Resposta Selecionada: b. 
Respostas: a. 
b. 
c. 
d. 
e. 
Feedback
da resposta:
Sobre o Plano Cruzado, analise as a�rmações a seguir. 
I. Introduziu uma nova moeda, o cruzado, na paridade de Cr$ 1,00 igual a Cz$ 1,00. 
II. Todos os preços da economia foram congelados, inclusive a taxa de câmbio na paridade
vigente no dia anterior ao anúncio do Plano. 
III. Concomitantemente às medidas de congelamento e desindexação da economia, o
governo adotou medidas restritivas, tanto do lado �scal quanto da política monetária para
conter a demanda agregada. 
É correto o que se a�rma em:
II apenas.
I apenas.
II apenas.
III apenas.
I e II apenas.
I e III apenas.
Resposta: B 
Comentário: Na adoção do Plano não houve paridade e sim desindexação e
não foi acompanhada de medidas totalmente restritivas.
0,25 em 0,25 pontos
0,25 em 0,25 pontos
12/02/2020 Revisar envio do teste: QUESTIONÁRIO UNIDADE IV – 3081-...
https://ava.ead.unip.br/webapps/assessment/review/review.jsp?attempt_id=_29215432_1&course_id=_61169_1&content_id=_873762_1&return_… 3/7
Pergunta 4
Resposta Selecionada: d. 
Respostas: a. 
b. 
c. 
d. 
e. 
Feedback da resposta:
Sobre o Plano Verão, analise as a�rmações a seguir. 
I. O Plano Verão foi anunciado em 14 de janeiro de 1989 e promoveu mais uma reforma
monetária, desta vez com a criação do Cruzado Novo, que valia Cz$1.000,00. 
II. Assim como o Plano Bresser, o Plano Verão também era um plano híbrido, pois continha
elementos ortodoxos e heterodoxos. 
III. Do lado heterodoxo procurou-se conter a demanda agregada com a prática de taxas de
juros reais elevadas e corte nas despesas públicas. 
É correto o que se a�rma em:
I e II apenas.
I apenas.
II apenas.
III apenas.
I e II apenas.
I, II e III.
Resposta: D 
Comentário: Do lado heterodoxo prevaleceu o congelamento.
Pergunta 5
No seu discurso de posse como Presidente da República, e dirigindo-se ao Congresso
Nacional, Collor de Mello a�rmou: 
“Conhecem Vossas Excelências a agenda de medidas básicas com que encetarei nossa
estratégia de extermínio da praga in�acionária. Não poderemos edi�car a estabilização
�nanceira sem sanear, antes de tudo, as �nanças do Estado. É imperativo equilibrar o
orçamento federal, o que supõe reduzir drasticamente os gastos públicos. Para atingir o
equilíbrio orçamentário é preciso adequar o tamanho da máquina estatal à verdade da
receita. Mas isso não basta. É preciso, sobretudo, acabar com a concessão de benefícios,
com a de�nição de privilégios que, independentemente de seu mérito, são incompatíveis
com a receita do Estado. No momento em que lograrmos esse equilíbrio – o que ocorrerá
com certeza – teremos dado um passo gigantesco na luta contra a in�ação, dispensando o
frenesi das emissões e controlando o lançamento de títulos da dívida pública. Tudo isso,
Senhores Congressistas, possui como premissa maior uma estratégia global de reforma do
Estado. Para obter seu saneamento �nanceiro, empreenderei sua tríplice reforma: �scal,
patrimonial e administrativa. A dura verdade é que, no Brasil dos anos 80, o Estado não só
comprometeu suas atribuições, mas perdeu também sua utilidade histórica como investidor
complementar. O Estado não apenas perdeu sua capacidade de investir, como, o que é
ainda mais grave, por seu comportamento errático e perverso, passou a inibir o
investimento nacional e estrangeiro”. 
Nesse discurso e em relação à reforma pretendida do Estado, pode-se apreender que a
equipe econômica de Collor de Mello: 
I. Diagnosticou que a crise brasileira tinha origem na crise �scal do Estado. 
II. Diagnosticou que o Estado só conseguia se �nanciar através do processo in�acionário ou
através da emissão de títulos de divida pública. 
III. Diagnosticou que o Estado crescera demais, inclusive do ponto de vista patrimonial, o
que justi�caria a necessidade de privatizar empresas estatais, deixando ao Estado apenas a
responsabilidade de investir