Buscar

MATERIAL DE EMBRIOLOGIA TRADUZIDO

Prévia do material em texto

MATERIAL DE EMBRIOLOGIA TRADUZIDO
Gametogênese
Começa com a fecundação, união dos gametas que formam o Zigoto.
Os gametas são derivados das células germinativas do saco vitelino que aparecem em torno da 3ª semana gestacional e depois passam para as gônadas na 5ª semana, para então iniciar a gametogênese e a citodiferenciação.
A herança
O ser humano tem seu material genético que é organizado em 23 pares de cromossomos, no total 46 cromossomos em que encontramos cerca de 100.000 genes.
Os genes encontrados no mesmo gameta são chamados de genes ligados
Temos 22 pares somáticos ou autossômicos
1 par sexual I XX feminino
II XY masculino.
Divisão celular
Mitose
Divisão celular onde 2 células filhas idênticas são obtidas
Possui 4 fases: A Profase B Metáfase C Anáfase D Telophase
Meioses
Divisão celular de células germinativas para obtenção de gametas
Graças a um processo de 2 divisões consecutivas, 4 células Haploides são obtidas, durante este processo uma maior variabilidade genética é obtida através da Cross-Over ou Cross-linking dos cromossomos, para isso deve haver um emparelhamento exato dos cromossomos homólogos, com exceção do sexual
 
Ocorre em 2 divisões
Meiose I: Duplicação de material genético ocorre, seguida de Cross-over
Meiose II: divisão de irmãs Chromatidas.
Oogênese Espermatogênese
Defeitos congênitos
Eles podem ocorrer devido a anomalias do tipo
Estrutural
Numérico
Anomalias cromossômicas estruturais
São devidos à perda de material genético devido a fraturas que podem ser causadas por fatores ambientais como vírus, radiação, medicamentos, etc.
As fraturas podem ser do seguinte tipo:
Supressão: perda de uma grande quantidade de material genético: por exemplo, Meow of Cat (Cri-du-chat)
Microdeleção: pouca perda de material genético Ex: Sx Angelman
No caso em que a mutação afeta um único alelo, a mutação é dominante
No caso que afeta ambos os alelos ou o macho X, a mutação é recessiva.
Anomalias Cromossômicas Numéricas
E dá por qualquer alteração no número de cromossomos, podendo ser do tipo:
Euploidia: onde o número de cromossomos é o mesmo em todos os cromossomos Ex: Haploidia, Diploidia, Triploidia
Aneuploidia: onde há alterações em certos cromossomos e não em outros, e pode ocorrer como polispermia Ex: Trissomia, Monossomia.
As alterações podem afetar os cromossomos autossômicos ou sexuais, que podem ocorrer na mitose ou na meiose e geralmente são observados com mais frequência em mulheres com mais de 35 anos de idade.
Comparação de Down's Sx (Trissomia do Par 21, total de 47 cromossomos)
Incidência: 1 - 2000 em crianças menores de 25 anos
1 - 300 em maiores ou iguais a 35 anos
1 - 100 em maiores ou iguais a 40 anos.
Ovogênese
Ovogonies
É o processo de formação e maturação dos ovócitos, que se iniciam antes do nascimento, a partir de células germinativas, das quais se formam as Ovogonias, que são os precursores, que sofrem mitose rápida, em torno do terceiro mês, é organizado com uma membrana que a cobre com epitélio pelas células foliculares, sua mitose acelerada significa que, no 5º mês de desenvolvimento, há aproximadamente 7.000.000 ovogonianos que subsequentemente começam a entrar em apoptose.
Ovócito Primário
O Ovogonium que não entra em apoptoses, eles são embrulhados em um epitélio e eles são chamados de Folículos Primários
Ao nascer, Profase I começa, e então o processo para, em um estado estático chamado Período dos Diplotens, na puberdade o processo é retomado e a Meiose I é completada e a Meiose II é iniciada, o que é novamente retardado pelos inibidores de Maturação de ovócitos (OMI) secretada por células foliculares.
Ao nascer, existem entre 700.000 - 2.000.000 de ovócitos primários
Na puberdade existem cerca de 400.000 ovócitos primários, dos quais apenas 500 aprox. Eles se tornam ovulados.
Então a Zona Pelúcida é formada na superfície dos Folículos Primários, pela união de glicoproteínas com as Células Granulosas.
À medida que o folículo cresce, o acúmulo de células forma uma estrutura envolvente chamada Teca, que é dividida em:
 Secretária Interna de Teca
Teca externa ou Fibroblastica
Esta camada produz extensões semelhantes a dedos que ajudam o Ovócito a se alimentar dos folículos.
Entre as células da granulosa do folículo primário, começa um acúmulo de líquido que aumenta de tamanho e forma o antro. As células da Granulosa que circundam o Ovócito formam o Cumulo Oóforo, que por acaso é o Folículo Secundário.
A maturação do folículo secundário, com um diâmetro maior que 10 mm, torna-se o folículo terciário ou de Graaf, neste estágio a meiose I é retomada.
Ovócito Secundário
Meiose I termina e começa a Meiose II, onde retorna a um estado de dormência, na Metáfase II, que só terminará se a fertilização ocorrer ou se degenerar dentro de 24 horas da ovulação.
O ovócito é expelido do ovário e corpos polares aderidos entre a Zona Pelúcida e a membrana celular do ovócito podem ser observados.
Espermatogênese
É o processo de formação e maturação do espermatozoide, no nascimento é encontrado nos cordões sexuais dos testículos acompanhados pelas células de Sertoli, que são as células de suporte.
Na puberdade, os cordões sexuais se tornam ocos e formam os ductos seminíferos, ao mesmo tempo em que as Células Germinativas Primitivas dão origem ao Espermatogônio.
O espermatogônio pode ser de 2 tipos:
Tipo A: sofrem de divisões mitóticas e têm uma função proliferativa
Tipo B: são aqueles que sofrem meiose e são os que dão origem aos espermatócitos
Espermatogônio tipo B
Deixa de estar na fase mitótica e entra na divisão meiótica, é quando se transforma em Espermatócito Primário, que tem uma Prófase Prolongada de aprox. 22 dias, em seguida, prossegue com a meiose rápida, no final da meiose I espermatócito este torna-se secundário que o final da meiose II torna-se Espermátides, Haplóide conteúdo genético
Entre as espermátides não ocorre uma citocinese completa, mas permanecem unidas pelas pontes citoplasmáticas, estas são protegidas pelas células de Sertoli e são aquelas que ajudam a sua liberação após o amadurecimento.
Espermiogênese
Processo pelo qual as espermatidas se especializam e treinam para poder fertilizar o óvulo, e devem sofrer alterações como:
Formação do Acrossomo, suas Enzimas e a membrana que o cobre
Condensação do núcleo
Formação do pescoço, peça intermediária e cauda.
Eliminação do citoplasma.
Todo o processo de espermatogênese até a espermiogênese dura cerca de 64 dias, e adquirem maior motilidade no epidídimo.
Ciclo Ovariano
Começa com um ritmo regular na puberdade controlado pelo hipotálamo que libera GnRH, que atua na adeno-hipófise, liberando FSH e LH.
5-15 folículos primários são ativados pelo FSH, que também estimula as células foliculares (Granulosa), que secretam estrogênio, que estimula o estágio proliferativo endometrial, o que ajuda a motilidade do espermatozóide, gerando muco cervical, também estimula a liberação de LH pela adenohipofisis, que estimula a maturação de ovócito que termina sua meiose I e inicia a meiose II, ademais estimula às celulas foliculares a produzir progesterona (luteinicacion), que causa roptura do folículo e conseqüente ovulação.
Corpo Lúteo (Amarelo)
Após a ovulação, as células da granulosa juntamente com a teca interna são vascularizadas e, como resultado do LH, adquirem uma coloração amarelada, daí o corpo lúteo ou amarelo, que secreta progesterona que atua no endométrio para produzir sua fase lútea ou progestacional. Secretário, que é propício para a implantação.
Transporte Zigoto
O transporte é dado pelas fímbrias e cílios que estão nas trompas de Falópio, e eles levam ao zigoto até a luz uterina, de preferência na face anterior ou posterior do corpo do útero.
Corpo albicans
Sem fertilização, o corpo lúteo amadurece 9 dias após a ovulação e, posteriormente, degenera, formando uma massa cicatrizante, o corpo albicano (branco).
Há uma diminuição na progesterona, que é acompanhada de sangramento menstrual.
Se houvesse fertilização, o trofoblasto secreto de HCG, que previne a degeneração do corpo lúteo eforma o corpo lúteo e continua a secretar progesterona até o 4º mês, depois cai, mas é equilibrado com a produção de HCG.
Fertilização
Ele é dado pela união de gametas blister trompa de Falópio masculino e fem, e é facilitado pelo movimento flagelar, muco cervical e contracção do músculo uterino.
O espermatozóide necessita de treinamento e reação acrosômicos que ocorra no trato genital feminino
O treinamento dura 7 horas aprox. Onde há uma perda de membrana que expõe Acrosoma
A Reação Acromial ocorre quando há contato com a Membrana Pelúcida e ocorre liberação de enzimas como Acrosina e Tripsina.
Fertilização apresenta fases
Penetração de Corona Radiadad, isso é conseguido por espermatozóides bem treinados.
Penetração membrana transparente: Isto permite um relacionamento íntimo entre as membranas dos gametas e induz a acção do acrossoma, após esta zona pelúcida muda a sua permeabilidade, Reacción cortical zona, o que impede que outro esperma pode entrar, e com que a polispermia é evitada
União de Gametas A membrana é dada graças às integrinas que integram o espermatozóide ao óvulo, com a fusão de ambas as membranas.
Ao penetrar o espermatozóide no ovócito é produzido:
Reação Cortical e Zona: evita polispermia.
A meiose II é retomada e o pronúcleo formado
Ativação Metabólica do Óvulo, possivelmente ativada pelo espermatozóide
No final da fertilização, o seguinte é alcançado:
Restauração de cromossomos diplóides
Determinação do sexo
Inicie a segmentação (se não houver degeneração de fecundação)
Métodos anti-não tóxicos
Preservativos de látex
Diafragma ou Capuchon Cervical
Comprimidos
Tratamentos de infertilidade
Fertilização in vitro com transferência intra-uterina de zigoto
Transferência Intrautero de Gametos.
Segmentação
Fertilização a ocorrer é obtido por zigoto (unicelular) que inicia a mitose em células 12-24hs e menores chamadas blastómeros são formadas na primeira divisão mitótica é atingido este bicelular com divisões mitóticas sucessivos chamados atingiu o estado de mórula, no 2º e 3º dia após a fertilização, consiste em 16 células em um estágio inicial e atinge um estágio avançado no 4º dia.
O Mórula consiste em mais grupos celulares internos que é chamado de Massa Celular Interna que forma o embrião, e uma Massa Celular Externa que formará a Placenta.
Formaram a mórula, este atinge o útero e começa a ficar líquido na zona pelúcida e alcançar o espaço intercelular da massa celular interna, então eles convergem e formam a cavidade Blasto. Neste momento o embrião denomina blastocisto, constituído por suas células chamadas embrionoplastos. Neste momento, a massa celular externa é chamada de trofoblasto. A zona pelúcida desaparece para ter a implantação.
Aprox. No sexto dia, o trofoblasto é introduzido no endométrio e ocorre o implante mútuo, pela ação do trofoblasto e do endométrio.
Útero e Implantação
O endométrio passa por 3 fases
Fase folicular: começa no final da fase menstrual, influenciada pelo estrogênio e paralela ao folículo ovariano
Fase progestacional, secretora ou luteínica: nesta fase a implantação ocorre como é encontrada com glândulas e artérias congestivas e tortuosas, que se inicia 2-3 dias após a ovulação, por ação da progesterona que libera o corpo lúteo. Se houver fecundação, o endométrio ajuda na implantação, se não houver fertilização, começa o peeling e a Fase Menstrual. Nesta etapa, 3 camadas do endométrio são observadas
Camada compacta de superfície
Camada Esponja Intermediária
Camada basal fina
Fase menstrual o sangue escapa dos vasos e o estroma é descolado por 3-4 dias, onde as camadas compactas e esponjosas são perdidas, a Camada Basal permanece e atua como uma camada regenerativa para a fase proliferativa. O implante geralmente ocorre na parede anterior ou posterior do corpo do útero, nos orifícios das glândulas uterinas
Segunda Semana do Desenvolvimento
Dia 8
O blastocisto é parcialmente incluído no estroma endometrial.
O trofoblasto que está localizado na massa celular interna, difere em 2 camadas
Camada interna
Camada externa
Na camada interna há células mononucleares, o Citotrofoblasto, onde se observam figuras mitóticas que mais tarde se transformam na camada externa. Esta camada tem pequenas células cúbicas adjacentes ao blasterist, chamado de Hypoblastic Layer. A camada epiblástica também possui células cilíndricas.
Na camada externa, células multinucleadas com notórios limites celulares são observadas, denominadas Sincitiotrofoblasto (Sincitio).
Disco Germinativo Bilaminar
Formado por células do hipoblasto e do epiblasto, onde o saco amniótico se formará subseqüentemente, seu local de implantação é com galvaules e vasos congestivos e tortuosos que facilitam a implantação.
Dia 9
O blastocisto é amplamente introduzido no endométrio e um coágulo de fibrina se conecta a solução de continuidade na superfície endometrial.
Vacúolos isoladas no trofoblasto sincício, especialmente em seu pólo embrionário aparecer. Ao fundir os vacúolos lacunas são formados, chamada trofoblasto Lacunar Período
Em abembrionario Membrana exocoelomic pólo (Membrana Heuser) é formado a partir de células hipoblasto e formar a cavidade Exacelomica ou primitiva Yolk Sac
Dia 11-12
O blastocisto está incluído inteiramente no endométrio e coberto por um epitélio, e produz uma saliência em direcção do lúmen uterino.
As lacunas no sincício intercomunicam em uma rede muito notável no pólo embrionário
O trofoblasto abembrionario pólo, juntamente com o sincício citotrofoblasto, aprofundar no estroma uterino, causando erosão do epitélio e capilares maternos estão congestionadas e dilatado o que é chamado sinusóides
Lacunas sinciciais são formados contínua para os sinusóides sangue materno entra no sistema lacunar
Mesoderme extra-embrionia e uma população celular entre o citotrofoblasto e cavidade exocoelomic aparece, em seguida, eles bolso convergentes formando espaço chamado celoma extra-embrionia ou cavidade Coriica, em torno do saco vitelino primitivo e cavidade amniótica exceto na junção da forma e trofoblasto em disco germinativo.
Crescimento unidade bilaminar é mais lenta em comparação com trofoblato. Midiendo 0,1-0,2mm
Decidual reação (endométrio congestiva) é observada adjacente ao implante, subsequentemente, a região em torno do endométrio.
Dia 13
A solução de continuidade da cura endométrio, mas não pode ser sangramento através do aumento do fluxo sanguíneo nas lacunas. O que pode ser confundido com o período menstrual e difícil definir a idade gestacional pela LMP.
As colunas de formulário trofoblasto rodeadas sincício citotrofoblasto são chamadas vilosidades primária
Hipoblasto adicionar novas células para a membrana e forma uma nova exocoelomic cavidade Yolk Sac secundária ou permanente, e através desta cavidade os novos cistos Exocelomicos que foi observado membrana exocoelomic.
O único lugar onde mesoderme extra-embrionia cavidade coriónica através da fixação pedículo é, os vasos sanguíneos desenvolver o pedículo Cordus umbilical é formado.
No final da segunda semana disco Bilaminar é composto por dois discos formados por epiblast formando a cavidade amniótica e Hipoblastos formando a final Gema de Sac.
Orofaríngea membrana aparece no hipoblasto.
O sincício produzir HCG, e na 2ª semana ocorre em quantidades suficientemente detectáveis ​​para testes de gravidez.
Comentários
Rejeição de materiais Paterno
Doenças autoimunes (SLE)
Implantação normal e anormal (Previa)
Extrauterina ou ectópica (95% na ampola, embarzos ovárica primária, morte aos 2 meses com sangramento gravidez e DBV
 Hydatidiform moles, pouco ou nenhum tecido embrionário, mas alta produção de HCG, precursor tumores benignos e malignos (mola invasiva, coriocarcinoma)

Continue navegando