A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
PAPER GESTAO CADEIA SUPRIMENTOS

Pré-visualização | Página 1 de 5

11
GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS
Jorge Berger de Oliveira Neto¹, 
Richardson Oliveira Rocha¹, 
Talehander Breno Miranda¹, 
Wilkson Bernardo Faustino¹
Aline Barbosa Costa Arruda²
RESUMO
Cadeia de suprimentos é definida como conjunto de instalações separadas geograficamente e que interagem entre si com a finalidade de garantir o suprimento e a distribuição de produtos fabricados pela indústria. Entre os componentes desta cadeia podemos destacar as empresas fornecedoras de matéria-prima, os fabricantes de produtos industrializados, os centros de distribuição e logística, a rede de distribuição varejista, entre outros. A cadeia de suprimentos é um componente da cadeia que agrega valor ao produto para o mercado. O objetivo desta integração é agregar valor a um serviço ou a um produto físico para o desenvolvimento do mercado de produtos industrializados. Os conceitos da cadeia de suprimentos vai ao encontro dessas necessidades, Possibilitando que as empresas adotem medidas que as diferencie estratégica e Competitivamente.
Palavras-Chaves: Gestão. Cadeia de Suprimentos. Planejamento. Vantagem Competitiva.
1 INTRODUÇÃO
A Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM) é um fator chave para o sucesso atual das empresas que estão dentro de um ambiente de competição, que já não é mais individual e sim entre as cadeias de suprimentos (CARVALHO, 2005). Uma cadeia de suprimento engloba todos os estágios envolvidos, direta ou indiretamente, no atendimento de um pedido de um cliente. A cadeia de suprimento não inclui apenas fabricantes e fornecedores, mas também transportadoras, depósitos, varejistas e os próprios clientes. Dentro de cada organização, como por exemplo, de uma fábrica, a cadeia de suprimento inclui todas as funções envolvidas no pedido do cliente, como desenvolvimento de novos produtos, marketing, operações, distribuição, finanças e o serviço de atendimento ao cliente, entre outras.
Desde a década de 1990, objetivo de toda cadeia de suprimento é reduzir o valor gerado. O valor gerado por uma cadeia de suprimento é a diferença entre o valor do produto final para o cliente e o esforço realizado pela cadeia de suprimento para atender ao seu pedido. Para a maioria das cadeias de suprimento comerciais, o valor estará fortemente ligado à lucratividade da cadeia de suprimento, que é a diferença entre a receita gerada pelo cliente e o custo total no decorrer da cadeia de suprimento. 
Segundo Nazário (2000), desde então, o conceito SCM tem sido empregado nas grandes organizações para melhorar a eficiência, fazendo assim com que crescesse o nível de serviço demandado por fornecedores, consumidores, atacadistas, varejistas, operadores logísticos, clientes finais, entre outros.
O motivo principal para a existência de qualquer cadeia de suprimento é satisfazer as necessidades do cliente, em um processo gerador de lucros. As atividades da cadeia de suprimento iniciam-se com o pedido de um cliente e terminam quando um cliente satisfeito paga pela compra.
O termo cadeia de suprimento representa produtos ou suprimentos que se deslocam ao longo da seguinte cadeia: fornecedores, fabricantes, distribuidores, lojistas e clientes. É importante visualizar os fluxos de informações, monetário e de produtos em ambos os sentidos dessa cadeia. O termo também infere que apenas um responsável é envolvido em cada estágio. Na realidade, um fabricante pode receber material de diversos fornecedores e depois abastecer diversos distribuidores. Portanto, a maioria das cadeias de suprimento é, na verdade, composta por redes. 
Não é necessário que todos os estágios façam parte da cadeia de suprimento. O projeto da cadeia de suprimento mais adequado dependerá tanto das necessidades do cliente quanto do papel de cada estágio para satisfazer tais necessidades. 
Um projeto de uma Cadeia de Suprimentos que seja ineficiente ou equivocado aumenta significativamente os custos pelo emprego inadequado de recursos, tomada de decisões erradas baseada em informações incorretas e danos devido ao emprego de recursos financeiros incorretos (LAMBERT, 2000, p. 65).
O sucesso da cadeia de suprimento deve ser mensurado em termos de lucratividade da cadeia inteira e não com base nos lucros de um estágio isolado. O foco na lucratividade em estágios isolados pode levar a uma redução nos lucros da cadeia de suprimento como um todo (Chopra e Meindl ,2003)
2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
A cadeia de suprimentos abrange todas as atividades associadas à fluxo e transformação de mercadorias e informações associadas desde a fase de matérias-primas até a usuário final. É em sua essência um conjunto de fornecedores e clientes conectados; onde cada um por sua vez tem suas responsabilidades, sendo do fornecedor da organização até o produto concluído atingir o usuário final.
Hoje parece evidente a obsolescência do paradigma industrial baseada na otimização dos processos da cadeia de suprimentos como se fossem funções isoladas, cujo objetivo era otimizar sua eficiência e estabilidade. As empresas devem evoluir dessa abordagem industrial inata baseada na eficiência interna dos processos para um paradigma orientado a valor com uma visão global da cadeia. 
O fator que catalisa todas essas mudanças é, sem dúvida, o aumento da demanda a cada vez clientes mais exigentes e personalizados. Além disso, a concorrência global estimula essa mudança e força os fabricantes a encontrar novas maneiras de produzir mais de acordo com as necessidades do mercado em mudança e personalizado, ao mesmo tempo, mantendo os custos o mais baixo possível. Tudo isso está forçando as empresas a encontrar novas formas de colaboração que melhorem a integração e sincronização das diferentes funções e estratégias da cadeia de suprimentos de seus produtos. 
Conforme SIMCHI-LEVI (2003) A intensa competição global, mais a inserção de novos produtos com ciclos de vida cada vez mais reduzidos, junto a grande expectativa do cliente, forçaram as empresas a focar sua atenção para a cadeia de suprimentos
Cada vez mais, empresas de todo o mundo estão recorrendo à cadeia de suprimentos, metodologia mais recente para reduzir custos, aumentar a satisfação do cliente, fazer melhor uso de ativos e gerar novas receitas. Gerenciamento da cadeia de suprimentos consiste na integração dessas atividades por meio de melhores relacionamentos na cadeia, adquirir uma vantagem competitiva sustentável. Nesta definição, a gestão da cadeia de suprimentos incluem o gerenciamento de sistemas de informação, provisionamento e compras, programação de produção, processamento de pedidos, gerenciamento de estoque, armazenamento, atendimento ao cliente e serviço pós-venda. É uma abordagem de gerenciamento que propõe a integração e coordenação de todos os principais processos da empresa entre o usuário final e os fornecedores iniciais, a fim de criar e agregar valor a esse usuário final, na forma de produtos acabados e serviços.
Não confunda o conceito de gerenciamento da cadeia de suprimentos com logística integral. Isso faz parte do processo da cadeia de suprimentos que planeja, implementa e controla a eficiência e a eficácia dos fluxos e armazenamento de bens, serviços e informações do ponto de origem ao ponto de consumo, a fim de atender às necessidades de clientes. Embora o gerenciamento da cadeia de suprimentos flua diretamente acima, ele exige um processo de decisão estratégica. Ele deve ser um objetivo compartilhado de praticamente todas as funções da cadeia, e é de importância estratégica particular devido ao seu impacto nos custos totais e na participação de mercado. Ele também fornece uma visão diferente dos estoques que são usados ​​como o último mecanismo de balanceamento da cadeia e não o primeiro. 
“O gerenciamento da cadeia de suprimentos é definido como a coordenação estratégica sistemática das tradicionais funções de negócios e das táticas ao longo dessas funções de negócios no âmbito de uma determinada empresa e ao longo dos negócios no âmbito da cadeia de suprimentos, com o objetivo de aperfeiçoar o desempenho a longo prazo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.