A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
172 pág.
Psicologia da Comunicação

Pré-visualização | Página 6 de 42

Edward L. Thorndike. Segundo 
ele, a aprendizagem decorre de um processo de associação de ideias, das mais 
simples às mais complexas. O ponto central desta teoria está em analisar como as 
ideias se unem e se guiam até se tornarem estáveis.
c) A principal preocupação desta escola estava em analisar os aspectos estruturais do 
sistema nervoso central, que seriam os estados elementares da consciência.
d) Para realizar as investigações, os seguidores desta tendência, Wundt e Titchener, 
utilizaram o método da introspecção.
e) Nesta escola a introspecção foi o primeiro método usado em psicologia científica. A 
introspecção analítica ou introspecção controlada foi usada pelos associacionistas. 
Os indivíduos eram submetidos a estímulos numa situação padronizada; observandos 
descreviam a observadores treinados o que sentiam.
P
S
I
C
O
L
O
G
I
A
D
A
C
O
M
U
N
I
C
A
Ç
Ã
O
AS PRINCIPAIS TEORIAS DO SÉCULO XX
1 INTRODUÇÃO
TÓPICO 2
Estudos científicos sobre o desenvolvimento humano tiveram seu início a partir do século 
XIX. Antes disso, a Psicologia, como um ramo da filosofia, preocupava-se em estudar apenas 
a alma. A partir das ideias de Wundt se inicia uma nova visão, denominada como a Psicologia 
“sem alma”. Isto porque as pesquisas passam a apresentar um caráter mais científico, a partir 
de constatações experimentais. Assim, o conhecimento passa a ser produzido a partir de um 
laboratório com uso de instrumentos e medições. 
Nesta perspectiva, as escolas, como o Estruturalismo e o Funcionalismo, vão sendo 
substituídas por novas teorias, dando origem a novas tendências. Considerando as teorias mais 
estudadas acerca do desenvolvimento humano é possível destacar as Teorias Behaviorista, 
Gestalt e Psicanálise.
Para facilitar nossos estudos, vamos entender a que se refere cada uma dessas teorias 
e seus principais defensores.
UNIDADE 1
FIGURA 9 - TEORIAS DO SÉCULO XX
BEHAVIORISMO 
Watson, Pavlov, 
Skinner
GESTALT 
Wertheimer, 
Koeler e Kofka
PSICANÁLISE 
Freud
Modelagem do 
comportamento
Compreender o homem 
como uma totalidade
Inconsciente: guarda 
os impulsos sexuais e 
agressivos primitivos, 
desejos reprimidos, 
medos e vontades, 
memórias traumáticas
FONTE: Disponível em: <http://slideplayer.com.br/slide/1820370/>. Acesso em: 5 jul. 2016.
UNIDADE 1TÓPICO 218
P
S
I
C
O
L
O
G
I
A
D
A
C
O
M
U
N
I
C
A
Ç
Ã
O
A partir de agora vamos estudar com mais detalhes as principais teorias do século XX 
dentro da Psicologia. Vamos lá?
2 BEHAVIORISMO
Um dos principais defensores do Behaviorismo clássico, Watson (1878-1958), dizia 
que a psicologia deveria se voltar apenas aos dados das ciências naturais, ou seja, àquilo 
que era passível de ser observado, que seria o comportamento. Para isso, utilizava-se de 
alguns métodos de investigação, que eram: 1) Observação; 2) Métodos de Teste; 3) Método 
de Relato Verbal; 4) Método do Reflexo Condicionado. Desta forma, Watson ofereceu o que 
os psicólogos daquela época estavam precisando. Algo passível de observação, mensurável, 
em que os experimentos poderiam ser reproduzidos em diferentes sujeitos e situações. 
QUADRO 1 - MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO
Método de 
observação Métodos de teste Método de relato verbal
Método do Reflexo 
Condicionado
É a base 
de todos os 
métodos, não 
necessita 
de maiores 
explicações.
Eram amostras de 
comportamento e 
não de qualidades 
mentais. Não medem 
a inteligência, nem 
a personalidade das 
pessoas. Medem 
apenas as respostas 
dadas a partir dos 
estímulos.
As reações verbais 
são passíveis de 
observação/verificação. 
São tão valorizadas 
quanto qualquer outro 
tipo de reação motora.
O mais importante 
método de investigação, 
sendo considerado um 
substituto do estímulo.
Método objetivo 
para analisar o 
comportamento por meio 
dos vínculos estímulo-
resposta.
FONTE: Adaptado de Schultz, Schultz (2009, p. 246)
Vamos entender melhor o pensamento Behaviorista.
Entende-se que pela observação e experimentação sistemática e cuidadosa 
é possível desenvolver um conjunto de princípios que podem explicar o com-
portamento humano. O objeto da Psicologia, que até então tinha sido a alma, 
ou a consciência, a mente, a partir do behaviorismo passa a ser uma ciência 
do comportamento humano, não pode mais ser considerada como ciência 
pura da consciência. É dada uma importância maior aos fatores ambientais 
e a hereditariedade é relegada a segundo plano. O homem passa a ser visto 
como produto do ambiente. Watson dizia que se a psicologia quisesse se 
fortalecer no mundo da ciência seria necessário que ela repensasse o seu 
objeto de estudo (MARQUES, 2013, p. 5).
Watson não conseguiu mudar os rumos da psicologia da forma como pretendia, 
mas deixou seu legado, e seu seguidor Skinner deu seguimento ao desenvolvimento do 
Behaviorismo, dedicando-se à Ciência até a sua morte. Contudo, Skinner representou certa 
modificação no comportamentalismo watsoniano. Para realizar seus experimentos com animais, 
desenvolveu a chamada “Caixa de Skinner”. 
UNIDADE 1 TÓPICO 2 19
P
S
I
C
O
L
O
G
I
A
D
A
C
O
M
U
N
I
C
A
Ç
Ã
O
FIGURA 10 - CAIXA DE SKINNER
FONTE: Disponível em: <http://pt.slideshare.net/CatarinaNeivas/condicionamento-
operante-20792301>. Acesso em: 14 jul. 2016.
NO
TA! �
Um ratinho foi colocado na “Caixa de Skinner”, um recipiente fechado no qual se 
encontrava apenas uma barra. Esta barra, ao ser pressionada por ele, acionava um 
mecanismo (camuflado) que lhe permitia obter uma gotinha de água, que chegava à 
caixa por meio de uma pequena haste. Que resposta se esperava do ratinho? - Que 
pressionasse a barra. Como isso ocorreu pela primeira vez? - Por acaso. Durante a 
exploração da caixa, o ratinho pressionou a barra acidentalmente, o que lhe trouxe, 
pela primeira vez, uma gotinha de água, que, devido à sede, fora rapidamente 
consumida. Por ter obtido água ao encostar na barra quando sentia sede, constatou-se 
a alta probabilidade de que, estando em situação semelhante, o ratinho a pressionasse 
novamente (BOCK; FURTADO; TEIXEIRA, 2001, p. 62). 
A falta de teoria nas atividades de Skinner resultou em muitas críticas. Seu positivismo 
extremo e sua oposição a teorias incomodava muitos estudiosos. Um dos argumentos para 
tais contestações seria a impossibilidade de se realizar um experimento sem um planejamento 
prévio. Contudo, de acordo com alguns críticos, a aceitação dos princípios básicos de 
condicionamento já pressupõe a aceitação de certo embasamento teórico.
Skinner resumiu sua perspectiva da seguinte maneira: “Nunca tratei de um problema 
construindo uma hipótese. Nunca deduzi teoremas, nem os submeti à prova experimental. 
UNIDADE 1TÓPICO 220
P
S
I
C
O
L
O
G
I
A
D
A
C
O
M
U
N
I
C
A
Ç
Ã
O
Pelo que sei, eu não tinha um modelo preconcebido de comportamento — certamente não um 
modelo fisiológico e mentalista, e, creio eu, tampouco um conceitual” (SKINNER, 1956 apud 
SHULTZ; SHULTZ, 2009, p. 227).
Seu tipo exclusivamente descritivo de comportamentalismo radical se dedica 
ao estudo das respostas; volta-se para descrever, e não para explicar o com-
portamento. Ele só se ocupava do comportamento observável e acreditava que 
a tarefa da investigação científica se traduz em estabelecer relacionamentos 
funcionais entre as condições de estímulo controladas pelo experimentador 
e a resposta subsequente do organismo (SHULTZ; SHULTZ, 2009, p. 280).
Muitos autores destacam que o principal conceito da teoria de Skinner seria o 
comportamento operante (a experiência do rato na Caixa de Skinner), o qual procura explicar 
os comportamentos adquiridos no decorrer do desenvolvimento do indivíduo (FADIMAN; 
FRAGER, 1986). Contudo, tais teorizações tiveram suas bases nos anos 30, na Universidade 
de Harvard, onde Skinner iniciou seus estudos a partir do comportamento respondente, que 
seria o fundamento para as inter-relações entre o indivíduo e o ambiente.
FIGURA 11 – OPERAÇÃO DO COMPORTAMENTO OPERANTE E COMPORTAMENTO 
RESPONDENTE
FONTE: Disponível em: <file:///E:/CADERNO%20UNIASSELVI/Behaviorismo%20-%20O%20

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.