A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
98 pág.
Manual de Policiamento Ambiental

Pré-visualização | Página 10 de 38

ocorrido a contravenção penal, assim como 
se o objeto material sobre o qual recair a conduta for outra forma de vegetação que não floresta ou 
mata, como cerrado, caatinga, campo limpo, desde que não constitua o delito de poluição tipificado 
no artigo 54 da Lei 9.605/98.
Entende-se por Mata (Conjunto de árvores de porte médio, naturais ou cultivadas);
Entende-se por Floresta (Formação arbórea densa, de alto porte, que recobre uma área 
de terra mais ou menos extensa);
Entende-se como Incêndio Florestal (fogo não controlado em floresta ou qualquer outra 
forma de vegetação – Art. 20 do Dec. 2.661/98)
Art. 42. Fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios 
nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas urbanas ou qualquer tipo de assentamento 
humano:
Pena - detenção de um a três anos ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.
Ocorre quando a pessoa (física ou jurídica) fabrica (produz, manufatura), vende 
(negocia, aliena,comercializa), transporta (conduz) ou solta (desprende, deixa livre) balões capazes 
de provocar incêndio, analisada a proximidade de seu lançamento em relação às florestas e demais 
formações vegetais protegidas, às áreas urbanas ou aos assentamentos humanos.
IMPORTANTE: em se tratando de balões de pequena mecha, os quais não utilizem 
líquidos combustíveis e se apagam instantaneamente, não se caracteriza o delito, visto que a 
potencialidade lesiva não está presente. 
Entende-se por Balão (Artefato de papel fino, colado de maneira que imite formas 
variadas, em geral de fabricação caseira, lançado ao ar e apto a subir em razão do ar quente 
produzido em seu interior);
Entende-se como Incêndio Florestal (fogo não controlado em floresta ou qualquer outra 
forma de vegetação – Art. 2 0 do Dec. 2.661/98)
Art. 44. Extrair de florestas de domínio público ou consideradas de preservação 
permanente, sem prévia autorização, pedra, areia, cal ou qualquer espécie de minerais:
Pena - detenção, de seis meses a um ano, e multa.
Obs: A conduta quando autorizada não configura crime.
Ocorre quando a pessoa (física ou jurídica) extrai, ou seja, tirar para fora, arrancar, 
pedra, areia, cal ou qualquer espécie de minerais (ferro, ouro, entre outros) de florestas de domínio 
público ou de preservação permanente de forma indevida.
Entende-se por Floresta (Formação arbórea densa, de alto porte, que recobre uma área 
de terra mais ou menos extensa);
Entende-se por Área de Preservação Permanente (Art. 2º e 3º da Lei nº 4.771/65 - 
Código Florestal, regulamentado pela Resolução CONAMA 303). VIDE ANEXO.
Entende-se por Florestas de domínio público, dentre outras:
Parque Nacional, Estadual ou Municipal - Unidade administrada pelo Poder Público, 
tendo como objetivo básico a preservação de ecossistemas naturais, a realização de pesquisas 
científicas, de atividades de educação ambiental, de recreação e contato com a natureza e de turismo 
ecológico. “È proibida qualquer forma de exploração dos recursos naturais nos parques e reservas 
biológicas criadas pelo poder público, na forma deste artigo” (Art. 5º, a, Lei 4.771/1965). 
Reserva Biológica - Área destinada à preservação integral da biota, administrada pelo 
Poder Público, sem interferência humana direta, cuja superfície varia em função do ecossistema ou 
das espécies a serem preservadas. O acesso público é restrito à pesquisa científica e a educação 
ambiental. “È proibida qualquer forma de exploração dos recursos naturais nos parques e reservas 
biológicas criadas pelo poder público, na forma deste artigo” (Art. 5º, a, Lei 4.771/1965). 
Estação Ecológica - Área representativa de um ecossistema, destinada à realização de 
pesquisas, à proteção do ambiente natural e à educação ambiental, permitindo alteração antrópica 
para realização de pesquisa científica em até 5% da área. As áreas compreendidas em seus limites 
devem ter domínio público. Essas pesquisas ecológicas não se confundem com a pesquisa mineral 
e, portanto, a pesquisa mineral evidentemente não é permitida na estação ecológica, como, também, 
vedada a pratica da lavra. “È proibida qualquer forma de exploração dos recursos naturais nos 
parques e reservas biológicas criadas pelo poder público, na forma deste artigo” (Art. 5º, a, Lei 
4.771/1965). 
Área de Proteção Ambiental (APA) - Área de domínio público e privado, sob 
administração pública, com o objetivo de proteger recursos hídricos e bacias hidrográficas, 
preservar belezas cênicas e atributos culturais relevantes, criar condições para o turismo ecológico, 
incentivar o desenvolvimento regional integrado, fomentar o uso sustentado do ambiente e servir de 
zona tampão para as categorias mais restritivas. Os objetivos específicos do manejo e as restrições 
de uso dos recursos naturais são estabelecidos no ato legal de criação da APA, compatibilizando o 
desenvolvimento socioeconômico com as necessidades de conservação. “Não são permitidas nas 
APAS as atividades de terraplanagem, mineração, dragagem, e escavação que venham a causar 
danos ou degradação ao meio ambiente e/ou perigo para pessoas ou para a biota” (Art. 6º, 
Resolução 10/88 – conama).
Art. 45. Cortar ou transformar em carvão madeira de lei, assim classificada por ato do 
Poder Público, para fins industriais, energéticos ou para qualquer outra exploração, econômica ou 
não, em desacordo com as determinações legais:
Pena - reclusão, de um a dois anos, e multa.
Ocorre quando a pessoa (física ou jurídica) corta (decepa, talha, divide) ou transforma 
(modificar) madeira de lei em carvão vegetal, para fins econômicos ou não, de forma indevida.
Obs.: A conduta efetuada de acordo com as determinações legais será considerada lícita.
Entende-se por carvão (Substância obtida pela carbonização ou queima de madeira);
Entende-se como Madeira de Lei (Madeiras resistentes, duras ou rijas, próprias para a 
construção e trabalhos expostos a intempéries).
Art. 46. Receber ou adquirir, para fins comerciais ou industriais, madeira, lenha, carvão 
e outros produtos de origem vegetal, sem exigir a exibição de licença do vendedor, outorgada pela 
autoridade competente, e sem munir-se da via que deverá acompanhar o produto até o final 
beneficiamento:
Pena - detenção, de seis meses a um ano, e multa.
Parágrafo único. Incorre nas mesmas penas quem vende, expõe à venda, tem em 
depósito, transporta ou guarda madeira, lenha, carvão e outros produtos de origem vegetal, sem 
licença válida para todo o tempo da viagem ou do armazenamento, outorgada pela autoridade 
competente.
Ocorre quando a pessoa (física ou jurídica) recebe (aceita) ou adquire (compra, troca) 
produtos e subprodutos florestais, sem exigir do vendedor o Documento de Origem Florestal – DOF 
e sem estar de posse da via que os acompanham. Geralmente ocorre com madeireiras e indústrias 
moveleiras.
IMPORTANTE: só se caracteriza se forem utilizados com fins comerciais ou industriais 
(que visem vantagem pecuniária)
Ocorre quando a pessoa (física ou jurídica) vende, ou tão somente expõe à venda, ou 
mantêm em depósito para si, ou transporta ou guarda para outrem, produtos e subprodutos florestais 
sem estar de posse do Documento de Origem Florestal – DOF. Geralmente ocorre com as serrarias 
e madeireiras.
Entende-se por madeira (cerne rijo e lenhoso da árvore);
Entende-se por lenha (porção de ramos ou fragmentos de troncos de árvores);
Entende-se por carvão (substância obtida pela carbonização ou queima de madeira);
Entende-se por outros produtos de origem vegetal (resinas, folhas, raízes, etc.).
Entende-se por Licença (Documento de Origem Florestal - obrigatório para o controle 
do transporte e armazenamento de produtos e subprodutos florestais de origem nativa, inclusive o 
carvão vegetal nativo, contendo as informações sobre a procedência desses produtos e subprodutos.
IMPORTANTE: mesmo se a pessoa