Let 45
12 pág.

Let 45


DisciplinaProva de Lingua Portuguesa370 materiais958 seguidores
Pré-visualização4 páginas
Disciplina:
	Língua Portuguesa: Laboratório de Texto (LET45)
	Avaliação:
	Avaliação I - Individual FLEX ( Cod.:512339) ( peso.:1,50)
	Prova:
	15452666
	Nota da Prova:
	10,00
	
	
Legenda:  Resposta Certa   Sua Resposta Errada  
Parte superior do formulário
	1.
	Qual é a primeira coisa que você faz quando entra na internet? Checa seu e-mail, dá uma olhadinha no Twitter, confere as atualizações dos seus contatos [...]? Há diversos estudos comprovando que interagir com outras pessoas, principalmente com amigos, é o que mais fazemos na internet. Só o Facebook já tem mais de 500 milhões de usuários, que, juntos, passam 700 bilhões de minutos por mês conectados ao site - que chegou a superar o Google em número de acessos diários. A internet é a ferramenta mais poderosa já inventada no que diz respeito à amizade e está transformando nossas relações: tornou muito mais fácil manter contato com os amigos e conhecer gente nova. Será que as amizades on-line não fazem com que as pessoas acabem se isolando e tenham menos amigos off-line, "de verdade"? Essa tese, geralmente citada nos debates sobre o assunto, foi criada em 1995 pelo sociólogo americano Robert Putnam, e provavelmente está errada. Uma pesquisa feita pela Universidade de Toronto constatou que a internet faz você ter mais amigos - dentro e fora da rede. Durante a década passada, período de surgimento e ascensão dos sites de rede social, o número médio de amizades das pessoas cresceu. Os chamados heavy users, que passam mais tempo na internet, foram os que ganharam mais amigos no mundo real - 38% mais. Já quem não usava a internet ampliou suas amizades em apenas 4,6%. A partir da análise do texto, assinale a alternativa CORRETA que o descreve adequadamente:
FONTE: https://super.abril.com.br/comportamento/como-a-internet-esta-mudando-a-amizade/. Acesso em: 3 dez. 2019.
	 a)
	Podemos compreender que há uma obscuridade no texto - ele é um texto de difícil compreensão; por muito pouco, acaba sendo ferido o princípio da aceitabilidade.
	 b)
	Podemos observar, a partir do texto, que a internet faz com que você "consiga desacelerar o processo, mas não salva as relações", conforme afirma o antropólogo Robin Dunbar.
	 c)
	Podemos observar que o texto em questão respeita o fator da informatividade e de aceitabilidade - autor e leitor, juntos, constroem os sentidos do texto.
	 d)
	Podemos observar que os fatores de textualidade estão ausentes no texto em questão, afinal, de fato, a internet não é uma ferramenta capaz de criar amizades do zero.
	2.
	Analise os dois textos a seguir:
TEXTO 1
Muito se tem falado sobre o ensino linguístico-discursivo da Língua Portuguesa desde a publicação dos PCN-LP. Essa visão é extremamente adequada às novas concepções de ensino de línguas no mundo, que precisa, cada vez mais, de um ser humano apto a atuar socialmente em termos de linguagem. Essa forma de ver também se afina aos novos estudos do letramento, que enfatizam a necessidade de trazer, para dentro da escola, as demais práticas sociais.
TEXTO 2
Na realidade, toda palavra comporta duas faces. Ela é determinada tanto pelo fato de que procede de alguém, como pelo fato de que se dirige para alguém. Ela constitui justamente o produto da interação do locutor e do ouvinte. Toda palavra serve de expressão a um em relação ao outro. Através da palavra, defino-me em relação ao outro, isto é, em última análise, em relação à coletividade. A palavra é uma espécie de ponte lançada entre mim e os outros. Se ela se apoia sobre mim numa extremidade, na outra se apoia sobre meu interlocutor. A palavra é o território comum do locutor e do interlocutor (BAKHTIN, 2002).
A partir da análise desses dois textos, podemos observar a presença de uma perspectiva de linguagem/produção de texto/ensino de construção de textos. Sobre essa perspectiva, assinale a alternativa CORRETA:
FONTE: BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. 10. ed. São Paulo: HUCITEC, 2002.
	 a)
	Considerar o papel essencial do autor de um texto; a partir de quem ele é, de fato - seu ser mais íntimo e secreto - é que define elementos do texto que estejam nebulosos.
	 b)
	Compreender que os estudantes devem produzir seus textos totalmente adaptados ao contexto, ignorando, inclusive, suas próprias características estéticas de sua escrita.
	 c)
	Definir a mim em relação ao outro é me adaptar ao outro; assim sendo, pode-se concluir que escrever é um processo de despersonalização.
	 d)
	Levar indivíduos a compreender os aspectos relativos ao contexto e, por meio de um processo analítico, observar de que forma ele (o contexto) influencia na produção dos textos.
	3.
	Leia o texto a seguir:
Barthes (1970) nos sugere que todo texto é plural. Tudo significa sem cessar e várias vezes, mas sem se submeter a um grande conjunto final, uma estrutura última. O texto é uma rede com mil entradas. O que Barthes faz é comparar um texto a um céu, simultaneamente plano e profundo, sem margens nem ponto de referência. Propõe traçar zonas de leitura para nelas observar a migração dos sentidos. Pensamos que, na textualidade do hipertexto, os termos onde se produzem links visam ao plural do texto e ao seu inacabamento, como força centrípeta que leva para um centro único. Trata-se de uma multiplicidade interconectada [...].
FONTE: FRAGA, Dinorá; FLORES, Tânia. Hipertexto que texto é esse? Trab. linguist. apl., Campinas, v. 44, n. 1, p. 115-132, jun. 2005. 
Um dos momentos em que a hipertextualidade do leitor se faz mais presente é durante a leitura de uma sequência de reportagens, pois, acompanhar uma determinada história e todos os demais textos que formam essa rede de sentidos e que a complementam, é uma atividade que requer do leitor um movimento de ir e vir, de remissão e projeção, ao mesmo tempo em que ele está inserido no interior do discurso do repórter, ele deve interconectar o dito, isto é, os enunciados verbais e não verbais, com seus conhecimentos prévios. A partir da análise do texto, assinale a alternativa CORRETA:
	 a)
	O texto aponta a multiplicidade dos textos verbais presente em formas tradicionais de leitura como livros e jornais impressos.
	 b)
	O texto define o que é conhecimento prévio, diferenciando essa forma de saber aos discursos presentes em hipertextos e outras leituras modernas.
	 c)
	O texto aponta uma forma de ler na atualidade - a pluralidade das conexões, interconexões; a multiplicidade que exige um ir e vir.
	 d)
	O texto cita uma característica dos textos da internet: todos eles possuem cunho jornalístico e pretendem ser mais verbais que não verbais.
	4.
	Durante a escrita, de forma consciente ou não, o autor seleciona a quantidade e a qualidade das informações que vai oferecer ao receptor. O autor ainda escolhe se colocará à disposição do receptor uma informação menos ou mais conhecida, ou absolutamente nova, ou ainda com maior ou menor riqueza de detalhes. Assim, a informatividade refere-se ao grau de previsibilidade da informação apresentada no texto. Sobre o exposto, analise as sentenças a seguir:
I- O autor do texto geralmente apresenta um fato novo para o leitor de uma única maneira.
II- Algumas informações são consideradas óbvias e previsíveis pelo leitor. Assim, o texto apresentará um grau de informatividade baixo e tende a ser recusado ou rejeitado pelo leitor.
III- Se o leitor lê um texto e esse texto ofertar apenas informações novas, o leitor pode julgá-lo como incoerente, pois não encontra suporte.
IV- O autor do texto estabelece as informações de maneira estratégica no texto, de acordo com sua intenção.
Assinale a alternativa CORRETA:
	 a)
	Somente a sentença II está correta.
	 b)
	As sentenças II, III e IV estão corretas.
	 c)
	As sentenças I e II estão corretas.
	 d)
	Somente a sentença III está correta.
	5.
	A textualidade caracteriza-se por deixar o texto todo articulado e não apenas um amontoado de frases. Para tanto, existem os fatores de textualidade que auxiliam a construção textual. Segundo Koch e Travaglia (2002 apud TAFNER, 2011, p. 41), um