A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Estudo de caso da Toshiba

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ
MBA EM CONSULTORIA EMPRESARIAL
Resenha Crítica de Caso 
Rodrigo Alexandre Matos Chaves
Trabalho da disciplina Governança 
Corporativa e Excelência Empresarial
Tutor: Prof. Ricardo Barbosa da Silveira
Betim /MG
2019
ESCÂNDALO DA CONTABILIDADE DA TOSHIBA: COMO A GOVERNANÇA CORPORATIVA FALHOU
Referência: 
MISAWA, M. Escândalo da contabilidade da Toshiba: como a governança corporativa falhou. Hong Kong: Asia Case Research Centre, The University of Hong Kong, c2016. 
O caso em estudo trata do escândalo contábil da Toshiba revelado em 2015. Misawa, autora do texto, é professora universitária da área de finanças e o fez afim de levar o caso aos seus alunos. Com o escândalo, o chefe executivo e outras 8 pessoas do alto comando foram demitidas da empresa. Concluiu-se após as investigações que a Toshiba estava sobreavaliando os lucros em bilhões nos últimos anos.
Em 2015 a Toshiba teve uma perda estimada em 2 bilhões de dólares. A maior parte dessa perda veio da linha de computadores e bens de consumo duráveis. Essas perdas, segundo Misawa, devem-se à estratégia adotada em 2000 que mudou a maior participação na fabricação de bens de consumo duráveis, o que foi uma tremenda falha. Ainda assim, semicondutores da corporação gozavam de sucesso e sustentavam a empresa.
Após auditoria, e análise de casos que partiam de 2011, concluiu-se que pessoas que governavam a empresa tinham consciência das fraudes que estavam acontecendo. Logo depois, a Toshiba foi a público se desculpar com sócios e acionistas pelos ocorridos e prometer que faria de tudo para reverter o quadro e retomar os princípios da empresa.
Para Misawa, o que influenciou essas fraudes foi a grande pressão aos colaboradores para atingir metas quase impossíveis. Isso fez com que eles adotassem práticas ilícitas afim de serem reconhecidos. Para acabar com as ações ilegais, a nova equipe de gerenciamento passou a adotar práticas positivas. Foi necessária uma verdadeira reestruturação.
No fim da década de 90, segundo Misawa, foi a Toshiba uma das pioneiras em governança corporativa. Porém, em 2008, o presidente à época tinha uma política de foco total nos lucros, o que motivou o início de uma mudança que não foi impedida pelo modelo de governança corporativa. Um dos erros foi nomear membros externos do conselho. A maioria não tinha experiência e, aliado a isso, juntaram-se com pessoas focadas exclusivamente no lucro. Daí surgiu a cultura de trapaças.
As práticas contábeis da empresa foram colocadas em dúvida quando a Westinghouse Eletric (empresa do ramo de energia nuclear comprada pela Toshiba em 2006), por decorrência do desastre nuclear de Fukushima em 2011, teria que registrar aos investidores e ao público em geral, as perdas por depreciação, o que não foi feito pela Toshiba.
Em Julho de 2015, em meio a uma onda de processos judiciais por parte de seus acionistas, Masashi Muromachi foi nomeado CEO. Seu principal objetivo era investigar o porquê da governança corporativa ter falhado. Ele apontou várias ações que deveriam ser tomadas imediatamente, dentre elas, modificar a ideia de valores dos funcionários.
 Misawa, com muitas informações importantes, construiu um texto muito rico em dados, que conseguiu explicar resumidamente o escândalo que marcou de forma muito ruim a história da Toshiba.
2

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.