Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
Investimentos-no-exterior

Pré-visualização | Página 1 de 2

Investimentos no Exterior 
Nesta aula veremos o que é e como funciona o mercado internacional de capitais. Além dos
temas norteadores interativos disponibilizados nos tópicos abaixo, você terá acesso
exclusivo as entrevistas realizadas pelos renomados  Arthur Moraes (ANBIMA)  e Henry
Oyagawa (Open Vista Investments), sobre os riscos de fundos de investimento no exterior,
e também, Marcelo Cidade (ANBIMA)  e Daniel Celano (Schroder Investment
Management Brasil)  sobre as vantagens de investimento no exterior . 
Entrevistas exclusivas
Por que investir no exterior?
Posso investir no exterior?
Como acessar o mercado?
Benefícios e riscos
Principais conceitos
Investimentos no Exterior
Encerramento
Marcelo Cidade, da ANBIMA, bate um papo com Daniel Celano, da Schroder Investment Management
Brasil, sobre as vantagens de investir no exterior.
E também, con�ra o vídeo do  Arthur Moraes, da ANBIMA, que bate um papo com Henry Oyagawa, da
Open Vista Investments, sobre os riscos de fundos de investimento no exterior.
Prepare o fone de ouvido e assista o vídeo com conteúdo exclusivo da aula! 
When
TEMA 1 de 7
Entrevistas exclusivas
TEMA 2 de 7
Por que investir no exterior?
 Aproveitar oportunidades globais 1
A gama de oportunidades no exterior é simplesmente grande demais para ser ignorada.
Existem setores inteiros que não estão presentes no mercado brasileiro: empresas de alta
tecnologia, laboratórios farmacêuticos, bens de consumo de luxo, indústria de defesa, entre
outros.
O mercado global possibilita investir nas melhores empresas do mundo: líderes globais com
alta rentabilidade, forte crescimento, marcas globais dominantes, patentes e propriedade
intelectual e longo histórico de resultados. Exemplos: Nike, Apple, Boeing, Coca-Cola, Disney,
BMW, P�zer, etc.
Ao investir globalmente é possível selecionar os países que apresentam as melhores
perspectivas de crescimento econômico e boa estabilidade politica. Não �camos
exclusivamente dependentes do cenário brasileiro.
Apesar de ser a nona economia do mundo, o Brasil representa apenas uma pequena fração do
PIB mundial.
 Acumular patrimônio em moeda forte 2
Muitas pessoas têm objetivos globais, como estudar no exterior, adquirir um imóvel fora do
Brasil ou viver em um país estrangeiro. Nesses casos, é muito importante acumular
patrimônio em moeda forte.
Investir em moeda forte é a melhor forma de preservar o poder de compra no exterior e ainda
ter rendimentos nesse tipo de moeda. É importante não �car completamente exposto às
variações da taxa de câmbio quando se tem projetos ou consumo global.
É muito difícil prever desvalorizações; por isso, é importante evitar o “descasamento” entre
despesas em dólares e poupança em reais.
Graças à globalização e à conectividade, a cesta de consumo dos brasileiros está em parte
dolarizada: smartphones, computadores, produtos eletrônicos, eletrodomésticos, viagens
internacionais, etc.
Como regra geral, devemos investir na mesma moeda em que vamos gastar. Esse equilíbrio
entre ativos e passivos é parte fundamental de uma boa gestão patrimonial.
 Proteger e diversi�car a carteira 3
Uma carteira de investimento 100% alocada em ativos brasileiros, 100% em reais, apresenta
concentração excessiva de riscos.
Se houver uma piora conjuntural ou sistêmica no país, todos os ativos serão afetados
negativamente e ao mesmo tempo, sejam ações ou renda �xa.
O risco-Brasil não pode ser ignorado. Investir em economias desenvolvidas e em moedas
estáveis é a melhor maneira de proteger o patrimônio.
Quanto maior a diversi�cação da carteira, menos volátil e arriscada ela será. Investimentos
externos têm baixa correlação com ativos domésticos e, por isso, o impacto da diversi�cação
internacional na redução de risco é muito signi�cativo.
When we show up to the present
 Aderir às melhores práticas de investimento 4
Investimentos internacionais são uma parte fundamental da gestão patrimonial das famílias
de alto patrimônio.
Fundos soberanos, bancos centrais, fundos de pensão e investidores pro�ssionais em geral
raramente concentram todos os investimentos em um único país, a menos que sejam forçados
pela regulamentação.
Além da evidência prática, os benefícios de investimentos globais podem ser demonstrados
claramente pela teoria �nanceira (melhora da relação risco-retorno).
Como veremos mais adiante, há basicamente duas formas de os brasileiros investirem no exterior:
TEMA 3 de 7
Posso investir no exterior?
Os investimentos no exterior feitos por brasileiros
são ainda muito pequenos.  Algumas pessoas chegam
a pensar que são ilegais. Na realidade, a
possibilidade de investir fora é um direito
fundamental protegido pela nossa Constituição.
 Primeira forma
Mais usual, principalmente para famílias de alto patrimônio e grandes instituições, é diretamente por meio
de abertura de uma conta-corrente ou conta de investimento no exterior e o consequente contrato de
câmbio e remessa dos recursos para fora do Brasil.
 Segunda forma 
menos conhecida pela maioria das pessoas, é por meio de veículos ou instrumentos legalmente registrados
no Brasil. A legislação brasileira tem avançado nos últimos anos no sentido de permitir maior exposição a
investimentos no exterior para os brasileiros em geral, não só os de alto patrimônio.
Investimento de brasileiros em ativos no exterior
É permitido desde que realizado através de veículos adequados, geridos por
entidades regulamentadas e �scalizadas pelo BC e pela CVM (Comissão de
Valores Mobiliários) e obedeçam às regras e às condições estabelecidas pelas
autoridades competentes.
Os investidores em geral, que não possuam investimentos �nanceiros altos, também podem investir em
fundos que investem no exterior. Entretanto, nesse caso, os fundos só podem investir no exterior até 20%
do total de seu patrimônio líquido.
Investidores considerados quali�cados
São aqueles que possuem investimentos �nanceiros em montante superior a R$ 1
milhão, podem investir em fundos de investimento cujas carteiras investem até
100% no exterior, obedecendo a condições especí�cas que veremos mais
adiante.
Adicionalmente, os investidores em geral podem ter acesso a ativos no exterior por meio de fundos de
ações locais que investem em BDRs (Brazilian Depositary Receipts), que são recibos representativos de
ações de empresas listadas no exterior, principalmente dos EUA, como no exemplo da ArcelorMittal,
mencionada anteriormente. Por �m, os investidores brasileiros podem, também, investir em fundos de
índices internacionais negociados na Bolsa de São Paulo – B3, são os chamados ETFs (Exchange Traded
Funds). Alguns ETFs estão atrelados a índices de ações americanas.
When we show up to the present moment with all of our senses, we invite the world to �ll us with joy.
When we show up to t
 Veículos registrados no Brasil 
Clique nos números abaixo:
TEMA 4 de 7
Como acessar o mercado?






Segurança em função da regulação e supervisão do órgão regulador no Brasil, a CVM.

Processo simples e sem burocracias.

Aplicações e resgates em reais.

Investidor não precisa fazer operações de câmbio nem informar ao BC os ativos mantidos no
exterior.

Tributação exclusiva de�nitiva na fonte (segundo tabela regressiva por prazo de aplicação ou
alíquota única no resgate), no caso de fundos de investimentos.

Veículos disponíveis:
Fundos de investimentos
Fundo de ações BDR
ETFs
COEs
 Através de uma conta no exterior 
Clique nos números abaixo:







Não é um processo simples e pode ser bastante burocrático.

A regulamentação brasileira não alcança o exterior. Assim, a abertura e a manutenção de
conta no exterior dependem da regulamentação do país especí�co.

As remessas para constituição de disponibilidade no exterior podem ser realizadas
diretamente na rede bancária autorizada a operar em câmbio, observados os princípios de
legalidade e de fundamentação econômica
Página12