A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
86 pág.
Apostila de Literatura

Pré-visualização | Página 1 de 50

L ITERATURA 
 
TEL: (61) 4102-8485/4102-7660 
SITE: www.cursodegraus.com.br 
111 
 
ÍNDICE 
 
Linguagem poética ...................................... 111 
História da literatura ............................... 114 
Gêneros Literários ..................................... 114 
Estrutura da narrativa .............................. 116 
Trovadorismo .............................................. 121 
Humanismo ................................................... 122 
 123 
Barroco ......................................................... 129 
Arcadismo .................................................... 136 
Romantismo .................................................. 141 
Realismo / Naturalismo ............................. 167 
Parnasianismo .............................................. 176 
Simbolismo ................................................... 179 
Pré-modernismo .......................................... 185 
Vanguarda Europeias no Brasil................. 187 
Modernismo ................................................. 187 
Tendências contemporaneas .................... 194 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
LINGUAGEM POÉTICA 
 
VERSIFICAÇÃO 
 
Versificação: é a técnica de fazer versos 
ou de estudar-lhes os expedientes rítmicos e 
métricos de que se constituem. 
 
Prosa – é a forma de expressão continuada. Embora a 
prosa também possa ter ritmo, aqui ele é menos rigoroso 
que na poesia. Organiza-se em parágrafos. 
 
Poema – composição literária organizada em versos, 
que, por sua vez, se organizam em estrofes. 
 
Poema em prosa – composição literária que expressa 
um todo poético, não se configura em versos e apresenta 
estruturação livre, organizada em parágrafos. Aqui os 
parágrafos dão desobrigados da estruturação habitual, 
com tópico frasal e ideias secundárias. 
Exemplo: 
O poema 
 
Uma formiguinha atravessa, em diagonal, a página 
ainda em branco. Mas ele, aquela noite, não escreveu 
nada. Para quê? Se por ali já havia passado o frêmito e o 
mistério da vida... 
(Mário Quintana – sapato florido) 
 
Verso – é o conjunto de palavras que formam, dentro 
de qualquer número de sílabas, uma unidade fônica 
sujeita a um determinado ritmo. Em outras palavras, 
verso é cada linha do poema. 
 
Estrofe – agrupamento de versos que formam um 
conjunto rítmico e significativo. 
 
 
MÉTRICA 
 
Metro é a medida do verso. O estudo do 
metro chama-se metrificação e escansão é a 
contagem dos sons dos versos. As sílabas 
métricas, ou poéticas, diferem das sílabas gramaticais 
em alguns aspectos. 
 
Contam-se as sílabas ou sons até a tônica da última 
palavra de um verso. 
Exemplo: 
A-mo-te,ó-cruz,no-vér-ti-ce-fir-ma/da = 10 sílabas 
De es-plên-di-das-i-gre/jas = 6 sílabas 
Mi-nha-mu-lher-ex-pi-rou = 7 sílabas 
E as-bre/ves = 2 sílabas 
Vir-gem-das-do/res = 4 sílabas 
 
 
L ITERATURA 
 
TEL: (61) 4102-8485/4102-7660 
SITE: www.cursodegraus.com.br 
112 
Tipos de verso 
A um número de sílabas métricas em determinado 
verso podem ser atribuídos nomes: 
 Dodecassílabo: 12 sílabas 
Ins | pi | ra | do^a | pen | sar | em | teu | per | fil | di | vi | (no) 
 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 
 
-Alexandrino - Dodecassílabo com tônica na sexta e na 
décima segunda sílaba, formando dois hemistíquios. 
 
 Decassílabo: 10 sílabas (muito comum em sonetos e 
presente em Os Lusíadas de Luís de Camões) 
Não | tens | que | ças | da | que | lea | mor | ar | den | (te) 
 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 
 
- Heroico - Decassílabo com sílabas tônicas nas posi-
ções 6 e 10 
- Sáfico - Decassílabo com sílabas tônicas nas posições 
4, 8 e 10 
 -Martelo - Decassílabo Heroico com tônicas nas posi-
ções 3, 6 e 10 
- Gaita Galega ou Moinheira - Decassílabo com tôni-
cas nas posições 4, 7 e 10 
 
 Redondilha maior ou heptassílabo: 7 sílabas 
Se | nho | ra, | par | tem | tão | tris | (tes) 
 1 2 3 4 5 6 7 
 
 Redondilha menor: 5 sílabas 
Tan | tos | gri | tos | rou | (cos) 
 1 2 3 4 5 
 
A lista geral de designações é a seguinte: 
1. Monossílabo: 1 sílaba 
2. Dissílabo: 2 sílabas 
3. Trissílabo: 3 sílabas 
4. Tetrassílabo: 4 sílabas 
5. Pentassílabo ou Redondilha Menor: 5 sílabas 
6. Hexassílabo ou Heroico Quebrado: 6 sílabas 
7. Heptassílabo ou Redondilha Maior: 7 sílabas 
8. Octossílabo: 8 sílabas 
9. Eneassílabo: 9 sílabas 
10. Decassílabo: 10 sílabas 
11. Hendecassílabo: 11 sílabas 
12. Dodecassílabo ou alexandrino: 12 sílabas poéticas. 
 
Métrica clássica 
Na poesia grega e latina, a métrica conta-se em fun-
ção da quantidade das sílabas, consoante sejam breves 
ou longas. Ao conjunto de sílabas chama-se pé. Entre os 
mais divulgados contam-se o iambo, com uma sílaba 
breve seguida de uma longa (U—); o espondeu, com 
duas sílabas longas (— —); o dáctilo com uma sílaba 
longa e duas breves (—UU). 
Dos diversos tipos de versos usados, destacam-se o 
hexâmetro, com seis pés, e o pentâmetro, com cinco 
pés. O hexâmetro classifica-se segundo o tipo do penúl-
timo pé: hexâmetro dactílico com o quinto pé dáctilo, e 
hexâmetro espondaico com o quinto pé espondeu. 
Um par formado por um hexâmetro e um pentâmetro 
designa-se dístico elegíaco. 
 
Métrica medieval 
Na Idade Média continuou a usar-se o pé como uni-
dade métrica. Mas nessa época a noção de quantidade já 
não era aplicável às sílabas na generalidade das línguas. 
Assim, o pé passou a contar-se em função das sílabas 
tónicas. 
Tipos de pé: 
 Troqueu - Uma sílaba tônica e uma átona; 
 Iambo - Uma sílaba átona e uma tônica; 
 Dátilo - Uma sílaba tônica e duas átonas; 
 Anapesto - Duas sílabas átonas e uma tônica. 
 
Versos Isométricos 
A poesia clássica elaborava preferencialmente poe-
mas com versos isométricos, isto é, com a mesma me-
dida. Por exemplo, a epopeia camoniana foi construída 
toda ela com versos decassílabos. 
 
"Cessem do sábio grego e do troiano 
as navegações grandes que fizeram. 
Cale-se de Alexandre e de Trajano 
a fama das vitórias que tiveram, 
Que eu canto o peito ilustre lusitano 
a quem Netuno e Marte obedeceram. 
Cesse tudo que a Musa antiga canta 
que outro valor mais alto se alevanta." 
 
Versos Heterométricos 
A poesia moderna por ser revolucionária, vanguar-
dística, substituiu o verso metrificado pelo verso livre, 
isto é, livre de qualquer forma de fôrma pré-
estabelecida, não tendo nem regularidade métrica nem 
rima. Alguns poemas de autores modernos podem valer-
se de versos metrificados e com rimas, mas sem preocu-
pação com uma determinada regularidade. São os versos 
heterométricos, metrificados, mas com grande varia-
ção. 
Exemplo: 
ENCONTRO 
Almas gêmeas? 
Não sei... 
tanto faz. 
O que importa 
é que minh'alma 
quando encontra a tua 
a paz se faz. 
Minha alma fica nua, 
revela-se, desvela-se e nisso se compraz. 
Mas quando o meu 
penetra o teu 
corpo, 
tudo nele se contrai 
tudo nele se distrai 
e faz-se 
morto 
de prazer. 
 
L ITERATURA 
 
TEL: (61) 4102-8485/4102-7660 
SITE: www.cursodegraus.com.br 
113 
SONETO 
 
Soneto é um poema de forma fixa, composto por 14 
versos. 
Pode ser apresentado em 3 formas de distribuição dos 
versos: 
 Soneto italiano ou petrarquiano: apresenta duas estro-
fes de 4 versos (quartetos) e duas de 3 (tercetos) 
 Soneto inglês ou "Shakespeareano: três quartetos e 
um dístico 
 Soneto monostrófico: Apresenta