2020324_135821_InteiroTeor_10283110012665001 - Taxa x Contribuição de Melhoria
3 pág.

2020324_135821_InteiroTeor_10283110012665001 - Taxa x Contribuição de Melhoria

Pré-visualização1 página
Tribunal de Justiça de Minas Gerais
1.0283.11.001266-5/001Número do 0012665-Númeração
Des.(a) Edgard Penna AmorimRelator:
Des.(a) Edgard Penna AmorimRelator do Acordão:
09/04/2019Data do Julgamento:
16/04/2019Data da Publicação:
EMENTA: REMESSA NECESSÁRIA - AÇÃO DECLARATÓRIA DE
INEXISTÊNCIA DE DÉBITO FISCAL - DIREITO TRIBUTÁRIO - TAXA DE
SERVIÇO DE PAVIMENTAÇÃO - IMPOSSIBILIDADE - EXERCÍCIO DO
PODER DE POLÍCIA - ESPÉCIES TRIBUTÁRIAS - CONTRIBUIÇÃO DE
MELHORIA.
As espécies tributárias possuem características que lhes são próprias, sendo
vedada a instituição de taxas para o ressarcimento dos gastos despendidos
com a pavimentação de ruas.
REMESSA NECESSÁRIA-CV Nº 1.0283.11.001266-5/001 - COMARCA DE
GUARANÉSIA - REMETENTE: JUIZ DE DIREITO DA VARA ÚNICA DA
COMARCA DE GUARANÉSIA - AUTOR: VALMIR PEREIRA DA SILVA -
RÉU: MUNICIPIO DE GUARANESIA
A C Ó R D Ã O
 Vistos etc., acorda, em Turma, a 1ª CÂMARA CÍVEL do Tribunal de
Justiça do Estado de Minas Gerais, na conformidade da ata dos julgamentos,
à unanimidade, em CONFIRMAR A SENTENÇA, EM REEXAME
NECESSÁRIO.
DES. EDGARD PENNA AMORIM
RELATOR
1
Tribunal de Justiça de Minas Gerais
DES. EDGARD PENNA AMORIM (RELATOR)
V O T O
 Trata-se de reexame necessário da sentença proferida pela i. Juíza da
Vara Única da Comarca de Guaranésia, BÁRBARA ISADORA SANTOS
SEBE NARDY, que julgou procedente a ação declaratória de inexistência de
débito fiscal ajuizada por VALMIR PEREIRA DA SILVA em face do
MUNICÍPIO DE GUARANÉSIA.
 Intimadas as partes, o prazo transcorreu sem que fosse apresentado
recurso de apelação - "vide" certidão às f. 91v.
 Conheço da remessa necessária, presentes os pressupostos de
admissibilidade.
 Cinge-se a controvérsia em determinar a possibilidade de instituição de
"taxa de serviço de pavimentação" pelo Município de Guaranésia.
 Consabido serem essas taxas decorrentes do exercício do poder de
polícia estatal, submetidas ao regime jurídico-tributário que lhe é próprio,
previsto no art. 145, inc. II, da CR, c/c art. 77 do CTN. Por serem
manifestação do exercício do poder de polícia não podem ser cobradas pela
"potencialidade" do serviço público "posto à disposição do contribuinte".
Ademais, necessário o preenchimento de dois requisitos inarredáveis e
cumulativos para a sua cobrança: o serviço necessita ser específico e
divisível.
 A contribuição de melhoria, ao seu turno, é espécie tributária que, nos
termos do art. 81 do CTN, só pode ser cobrada com o preenchimento de dois
requisitos: realização de obra pública e valorização imobiliária.
2
Tribunal de Justiça de Minas Gerais
 Diante da inadequação da espécie tributária eleita pela Municipalidade,
há se se julgar procedente o pedido de inexigibilidade da cobrança.
 Ante o exposto, confirmo a sentença, em reexame necessário.
DES. ARMANDO FREIRE (PRIMEIRO VOGAL) - De acordo com o Relator.
DES. ALBERTO VILAS BOAS (SEGUNDO VOGAL) - De acordo com o
Relator.
SÚMULA: "CONFIRMARAM A SENTENÇA, EM REEXAME NECESSÁRIO"
3