A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
106 pág.
Manual-Prático-da-CIF

Pré-visualização | Página 19 de 33

No Brasil, um instrumento de avaliação baseado na CIF está sendo usado para operar o BCP (Benefício de 
Prestação Continuada) designado para pessoas com incapacidades em famílias de baixa renda. O uso dos 
conceitos da CIF nesse instrumento resultou no uso de um número maior de parâmetros do que antes, 
ajudando a avaliar a elegibilidade de forma mais consistente e precisa. Atualmente, a decisão final sobre a 
concessão do benefício é tomada com base em uma combinação de avaliações sociais e médicas. O 
instrumento de avaliação no Brasil é intitulado Avaliação da deficiência e grau de incapacidade – pessoa 
com incapacidade, e inclui uma seção para dados sociais e demográficos e uma seção com 3 componentes 
da CIF (funções do corpo, atividades e participação, e fatores ambientais). Uma avaliação é preenchida por 
uma Assistente Social e uma outra por um Médico. 
 
A seção sobre "Fatores Ambientais", incluindo 5 domínios e 19 unidades de classificação, é avaliada por uma 
Assistente Social. O componente "Atividade e Participação" tem 9 domínios com 30 unidades de 
classificação e é avaliado por uma Assistente Social e um Médico, enquanto que o componente "Função do 
Corpo" é dividido em 13 subdomínios e 22 unidades de classificação e é avaliado apenas pelo Médico. 
 
Todos os itens recebem um qualificador (não há problema, problema leve, moderado, grave ou completo). 
Um algoritmo combina os resultados de acordo com blocos de domínios para determinar a elegibilidade. Os 
profissionais envolvidos em estudos institucionais sobre o instrumento o consideraram mais consistente do 
ponto de vista técnico, e avaliaram que os critérios são mais claros, agora que a avaliação é baseada na CIF. 
Sugere-se que este é um novo tipo de trabalho técnico que também pode ser adaptado e aplicado para a 
avaliação de outros tipos de benefícios. 
 
 
Brasil. Decreto 6214, 26 de setembro de 2007: Regula o Benefício de Prestação Continuada (BPC) da 
assistência social concedido às pessoas com incapacidades e aos idosos em conformidade com a Lei 
8742 de 7/12/1993 e Lei 10741 de 1/10/2003, adicionando um parágrafo ao art. 162 do Decreto 1048 
de 6/5/1999, e outras providências 
 
 http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/Decreto/D6214.htm 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
49
4.4 A CIF pode dar suporte a uma melhor integração e gestão de 
serviços? 
 
O componente de fatores ambientais do capítulo 5 da CIF 
detalha os serviços, sistemas e políticas que podem aumentar 
ou impedir a participação de um indivíduo. A política para fins 
de benefício de prestação continuada e para serviços de suporte 
varia, mas muitas vezes ela está relacionada ao aumento da 
participação de pessoas com incapacidades. Isso inclui a 
participação no trabalho remunerado e, de forma mais geral, na 
vida e na sociedade. O mapeamento das áreas mencionadas nas 
respectivas políticas para a CIF oferece informações sobre como 
os serviços podem ser relacionados à funcionalidade dos 
indivíduos. Isso permite que outros serviços relacionados sejam 
identificados, responsabilidades e serviços sobrepostos sejam 
reconhecidos, e ineficiências ou desigualdades na prestação do 
serviço sejam eliminadas. 
 
A CIF permite a ligação ou a relação de: 
 
 
 
A vinculação de diferentes 
sistemas com os conceitos da CIF 
permitirá a identificação de 
serviços relacionados, 
responsabilidades sobrepostas, 
ou ineficiências ou 
desigualdades na prestação dos 
serviços. 
 
• descrições de políticas e programas e especificação do grupo alvo; 
 
• determinação das necessidades do programa; 
 
• avaliação de elegibilidade; 
 
• estabelecimento de metas e planejamento de caso, incluindo avaliação do ambiente, 
e 
 
• monitoramento e avaliação do programa. 
 
Essas informações são fundamentais para garantir e gerenciar a prestação de serviço 
integrada e centrada na pessoa que supre as necessidades em várias áreas políticas e 
situações da vida. O uso da CIF como um modelo comum, para entender o que os serviços 
fazem, ajudará a evitar duplicação ou mecanismos contraditórios na prestação dos serviços. 
O registro comparável de incapacidade entre as diferentes áreas políticas é importante para 
uma prestação de serviço igualitária e para o estabelecimento de responsabilidades. Por 
exemplo, é possível ver se pessoas com níveis similares de dificuldade estão recebendo 
níveis similares de serviços de suporte independentemente da idade tal com quando há 
sistemas separados para indivíduos jovens ou idosos com incapacidades. A consistência 
também possibilita que uma amostra específica da população seja comparada com a 
população geral, estimando necessidades não atendidas de forma potencial. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
50 
4.5 Por que a CIF é uma estrutura útil para avaliar a qualidade dos serviços? 
 
Para cumprir as diretrizes da Convenção dos Direitos das 
Pessoas com 
Deficiências, espera-se que os países adotem medidas em todas 
as áreas de serviços para garantir o acesso de todos e que os 
serviços promovam os direitos e a metas da Convenção. Nos 
termos da Convenção, os países são responsáveis pela qualidade 
e níveis adequados da prestação de serviços. Espera-se que eles 
monitorem a implementação da Convenção e coletem dados 
relevantes (Artigos 33 e 31). Importantes condições de qualidade 
são disponibilidade e acessibilidade, escolha, o envolvimento 
dos usuários na organização e gerenciamento dos serviços e a 
presença de um mecanismo básico de garantia de qualidade. As 
principais características e os critérios correspondentes para 
serviços sociais de qualidade incluem 
o respeito aos direitos, foco nas pessoas, abrangência e autodeterminação. A CIF possibilita 
a integração de informações de diferentes fontes de dados relevantes para a avaliação da 
eficácia e eficiência da prestação dos serviços, continuidade, participação e parceria. O uso 
da CIF oferece uma linguagem comum relevante para pessoas em várias ocupações no 
campo, e para pessoas com incapacidades e suas famílias para que eles possam contribuir 
igualmente para a avaliação da qualidade. 
 
Com uma combinação suficiente de informações sobre os tipos de programas, dados 
populacionais e administrativos, além de informações sobre a satisfação e os níveis de 
participação, é possível avaliar a não discriminação e a igualdade de acesso às 
oportunidades. Essa avaliação pode ser feita comparando-se os principais resultados e o 
acesso das pessoas a programas dentro da população mais ampla, e o alcance dos 
resultados desejados. A CIF foi considerada relevante para o monitoramento e avaliação de 
serviços baseados na comunidade (Quadro 12) e nas abordagens de desenvolvimento da 
comunidade como a reabilitação baseada na comunidade (RBC) (Madden et al 2013). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
51 
 
A CIF possibilita a 
integração de diferentes fontes 
de dados relevantes para a 
avaliação da eficácia e 
eficiência da prestação do 
serviços, continuidade, 
participação e parceria. 
 
 
 
Quadro 12: A CIF para o monitoramento de serviços baseados na comunidade 
 
A CIF pode ser usada como um instrumento para monitorar serviços baseados na comunidade e para 
identificar barreiras que podem impedir o acesso de pessoas aos serviços existentes. A lista de 
verificação da CIF foi usada em um estudo no Cabo Ocidental e Oriental da África do Sul para 
entrevistar indivíduos com incapacidades. Os objetivos específicos foram identificar fatores ambientais 
relevantes, capturar a extensão em que eles atuavam como barreiras, e ver se as barreiras eram 
diferentes entre as duas regiões. 
 
A amostra consistiu de 475 pessoas com 377 (79,4%) habitantes