A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
66 pág.
AULA 06 - CONVENIOS

Pré-visualização | Página 10 de 24

a pesquisa de preços deverá envolver o 
mercado mais próximo ao estado ou ao município convenente, espelhando os valores vigentes nas respectivas 
localidades. No entanto, nada impede a realização de pesquisa de preços com produtores ou fornecedores situados 
em outros locais. 
Com a inserção do projeto básico ou do termo de referência no SICONV, a proposta está pronta para ser 
enviada para análise do concedente. 
Questões de prova 
25. Cespe – Anatel 2014 
Acerca das transferências de recursos da União para órgãos e entidades públicas ou privadas sem fins 
lucrativos para a execução de programas de interesse recíproco, julgue o seguinte item. 
Em atenção ao princípio da publicidade, o chamamento público deve ser divulgado no sítio oficial do órgão 
ou entidade responsável pelo objeto do convênio. 
Comentário: 
O chamamento público, segundo o art. 4º do Decreto 6.170/2007, é um procedimento necessário para a 
celebração de convênio ou contrato de repasse com entidades privadas sem fins lucrativos. 
Conforme o §1º do referido dispositivo, “deverá ser dada publicidade ao chamamento público, inclusive ao seu 
resultado, especialmente por intermédio da divulgação na primeira página do sítio oficial do órgão ou 
entidade concedente, bem como no Portal dos Convênios”. 
Gabarito: Certo 
 
 
 
28 de 66| www.direcaoconcursos.com.br 
Prof. Erick Alves 
Aula 06 
Licitações, Contratos e Convênios para TCE-RJ 
26. Cespe – Anatel 2014 
O órgão da administração pública federal que decida firmar um convênio com entidade privada sem fins 
lucrativos, visando à seleção de projeto que assegure a realização do objeto do ajuste, deverá proceder, 
previamente, a um chamamento público. 
Comentário: 
O quesito está em conformidade com o art. 4º do Decreto 6.170/2007: 
Art. 4o A celebração de convênio ou contrato de repasse com entidades privadas sem fins lucrativos 
será precedida de chamamento público a ser realizado pelo órgão ou entidade concedente, visando à 
seleção de projetos ou entidades que tornem mais eficaz o objeto do ajuste. 
§ 1o Deverá ser dada publicidade ao chamamento público, inclusive ao seu resultado, especialmente 
por intermédio da divulgação na primeira página do sítio oficial do órgão ou entidade concedente, bem 
como no Portal dos Convênios. 
Sobre o tema, é importante lembrar que o Ministro de Estado ou o dirigente máximo da entidade da 
administração pública federal poderá, mediante decisão fundamentada, excepcionar a exigência do 
chamamento público nas seguintes situações: 
I - nos casos de emergência ou calamidade pública, quando caracterizada situação que demande a 
realização ou manutenção de convênio ou contrato de repasse pelo prazo máximo de cento e oitenta 
dias consecutivos e ininterruptos, contados da ocorrência da emergência ou calamidade, vedada a 
prorrogação da vigência do instrumento; 
II - para a realização de programas de proteção a pessoas ameaçadas ou em situação que possa 
comprometer sua segurança; ou 
III - nos casos em que o projeto, atividade ou serviço objeto do convênio ou contrato de repasse já seja 
realizado adequadamente mediante parceria com a mesma entidade há pelo menos cinco anos e 
cujas respectivas prestações de contas tenham sido devidamente aprovadas. 
Gabarito: Certo 
27. Cespe – Caixa 2014 
A celebração de contrato de repasse — instrumento administrativo, de interesse recíproco, por meio do qual 
se processa, por intermédio de instituição ou agente financeiro público federal que atua como mandatário 
da União, a transferência de recursos financeiros com entidades privadas sem fins lucrativos — deverá ser 
precedida de chamamento público. 
Comentário: 
O contrato de repasse, segundo o art. 1º, §1º, II do Decreto 6.170/2004, é o instrumento administrativo, de 
interesse recíproco, por meio do qual a transferência dos recursos financeiros se processa por intermédio de 
instituição ou agente financeiro público federal, que atua como mandatário da União. 
Ele pode ser utilizado para processar a transferência de recursos federais para órgãos ou entidades 
estaduais, distritais ou municipais ou para entidades privadas sem fins lucrativos. Neste último caso – 
 
 
 
29 de 66| www.direcaoconcursos.com.br 
Prof. Erick Alves 
Aula 06 
Licitações, Contratos e Convênios para TCE-RJ 
transferência de recursos para entidades privadas sem fins lucrativos –, que é a hipótese tratada no item em 
comento, a celebração do contrato de repasse deve ser precedida de chamamento público. 
 Gabarito: Certo 
28. Cespe – DPU 2013 
Caso a DPU pretenda celebrar convênio administrativo, visando transferir recursos financeiros à DP/DF para 
a prestação de serviço de interesse recíproco, em regime de mútua cooperação, a celebração do ajuste 
administrativo deverá ser precedida de chamamento público. 
Comentário: 
A realização de chamamento público é obrigatória apenas para a celebração de convênios com entidades 
públicas sem fins lucrativos, conforme art. 4º do Decreto 6.170/2007. A questão, por outro lado, trata da 
transferência de um órgão da União e para outro órgão público, no caso, a Defensoria Pública do Distrito 
Federal, de modo que não existe a obrigatoriedade do chamamento público, daí o erro. 
Gabarito: Errado 
29. Cespe – Anatel 2014 
No caso de convênios cuja duração ultrapasse um exercício financeiro, será indicado o crédito e efetuado 
um empenho global, correspondente à despesa autorizada para a plena consecução do objeto do convênio, 
lançando-se em Restos a Pagar as parcelas da despesa relativas às partes a serem executadas em exercícios 
futuros. 
Comentário: 
Conforme o art. 10 da Portaria Interministerial 424/2016, nos instrumentos (convênios e contratos de 
repasse) cuja duração ultrapasse um exercício financeiro, a União, enquanto concedente, indicará o crédito 
e respectivo empenho para atender à despesa no exercício em curso, bem como cada parcela da despesa 
(e não um empenho global) relativa à parte a ser executada em exercício futuro, mediante apostilamento. 
Neste caso, a previsão de execução de créditos orçamentários em exercício futuros acarretará a 
responsabilidade de o concedente incluir em suas propostas orçamentárias dos exercícios seguintes a 
dotação necessária à execução do instrumento. 
Gabarito: Errado 
 
 
 
 
 
30 de 66| www.direcaoconcursos.com.br 
Prof. Erick Alves 
Aula 06 
Licitações, Contratos e Convênios para TCE-RJ 
Celebração/formalização do convênio 
Condições para celebração 
A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e outras normas federais dispõem que estados, Distrito Federal e 
municípios, para receberem transferências voluntárias, devem atender as seguintes condições: 
§ Limites de gastos com pessoal: observar os limites de gastos com pessoal, verificados ao final de cada 
quadrimestre, atestado na forma definida em normativo específico do órgão central de contabilidade da 
União (caso os limites sejam ultrapassados, não havendo redução no prazo estabelecido e enquanto 
perdurar o excesso, o ente da Federação não poderá receber transferências voluntárias). 
§ Informações e dados contábeis, orçamentários e fiscais: disponibilizar Relatório de Gestão Fiscal – RGF, 
Relatório Resumido de Execução Orçamentária – RREO, Declarações de Contas Anuais – DCA e Matrizes 
de Saldos Contábeis – MSC; 
§ Regularidade na gestão fiscal: demonstrar a instituição, regulamentação e arrecadação de todos os 
tributos previstos nos artigos 155 e 156 da Constituição Federal. 
§ Adimplência com a União: estar em dia com os pagamentos de tributos, empréstimos e financiamentos 
devidos à União. 
§ Adimplência com outros convênios: estar adimplente com o dever de prestar contas no tocante a 
recursos anteriormente recebidos. 
§ Limites constitucionais de aplicação em educação e saúde: cumprir os limites constitucionais de 
aplicação de recursos em educação e saúde. 
§ Limites da dívida pública: observar os limites das dívidas consolidada e mobiliária, das operações de 
crédito,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.