A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
66 pág.
AULA 06 - CONVENIOS

Pré-visualização | Página 3 de 24

na Lei 13.019/2014 (termo 
de colaboração, termo de fomento ou acordo de cooperação). 
Partícipes 
Os instrumentos jurídicos utilizados nas transferências de recursos orçamentários abrangem concedentes 
e convenentes, descentralizadoras e descentralizadas, assim definidos: 
§ Concedente: órgão da administração pública federal direta ou entidade da administração pública federal 
indireta, responsável pela transferência dos recursos financeiros destinados à execução do objeto do 
convênio, assim como pela verificação da conformidade financeira, acompanhamento da execução e 
avaliação do cumprimento do objeto do instrumento (convênio ou contrato de repasse). Ou seja, é quem 
transfere os recursos e acompanha/avalia a sua aplicação. 
§ Convenente: órgão ou entidade da administração pública direta ou indireta de qualquer esfera de 
governo, consórcio público ou entidade privada sem fins lucrativos, com o qual a administração federal 
pactua a execução de programas, projetos e atividades de interesse recíproco por meio de convênios ou 
contratos de repasse. Ou seja, é quem recebe e aplica os recursos. 
Fique Atento!! 
Segundo o Decreto 6.107/2007, as partes de um contrato de repasse são contratante (quem repassa os 
recursos) e contratado (quem recebe os recursos). 
A Portaria Interministerial 424/2016, por sua vez, emprega para as partes do contrato de repasse a mesma 
nomenclatura aplicável aos convênios, qual seja: concedente e convenente. 
§ Unidade descentralizadora: órgão da administração pública federal direta, autarquia, fundação pública 
ou empresa estatal dependente detentora e descentralizadora da dotação orçamentária e dos recursos 
financeiros. Ou seja, é quem transfere as dotações orçamentárias mediante termo de execução 
descentralizada. 
§ Unidade descentralizada: órgão da administração pública federal direta, autarquia, fundação pública ou 
empresa estatal dependente recebedora da dotação orçamentária e recursos financeiros. Ou seja, é quem 
recebe as dotações orçamentárias mediante termo de execução descentralizada. 
Questões de prova 
1. FCC – Procurador Município São Paulo 2008 
 
 
 
8 de 66| www.direcaoconcursos.com.br 
Prof. Erick Alves 
Aula 06 
Licitações, Contratos e Convênios para TCE-RJ 
É correto afirmar a respeito dos convênios: 
a) têm como principal finalidade a eficiência na gestão, ficando a cargo de apenas um dos partícipes a fixação 
de metas a serem cumpridas. 
b) o valor repassado ao conveniado fica vinculado à utilização prevista no ajuste, não perdendo a natureza 
de dinheiro público. 
c) podem ser empregados para delegação de serviços públicos a empresas privadas. 
d) são formados mediante associação pública entre as entidades signatárias, precedida da subscrição de 
protocolo das intenções firmadas. 
e) deverão prever a remuneração destinada ao partícipe, quando tenham por objeto o fornecimento de 
equipamentos ou mão-de-obra, podendo-se invocar o reequilíbrio econômico-financeiro da avença. 
Comentários: 
Vamos analisar cada assertiva: 
a) ERRADA. As metas do convênio são fixadas no respectivo Plano de Trabalho. Elas são propostas pelo 
convenente e devem ser aprovadas pelo concedente. Logo, a sua fixação conta com a participação de ambas 
as partes. 
b) CERTA. O valor repassado ao conveniado fica vinculado à utilização prevista no ajuste. Eventuais 
alterações realizadas durante a execução devem integrar o Plano de Trabalho, desde que submetidos e 
aprovados previamente pela autoridade competente. Outro ponto importante é que os recursos repassados 
mediante convênio, ainda que seja direcionados a entidades privadas, não perdem a sua natureza de 
dinheiro público. Tanto é verdade que sua aplicação pode ser fiscalizada pelo Tribunal de Contas 
competente, nos termos do art. 71, VI da Constituição Federal. 
c) ERRADA. A delegação de serviços públicos a empresas privadas deve ser feita mediante contrato, e não 
por convênio. 
d) ERRADA. Os consórcios administrativos – e não os convênios – é que são formados mediante associação 
pública entre as partes signatárias, precedida da subscrição de protocolo de intenções. Nos convênios não 
há a formação de uma nova pessoa jurídica. 
e) ERRADA. Os contratos administrativos, e não os convênios, é que deverão prever a remuneração 
destinada ao partícipe, quando tenham por objeto o fornecimento de equipamentos ou mão-de-obra, 
podendo-se invocar o reequilíbrio econômico-financeiro da avença. 
Gabarito: alternativa “b” 
 
2. FCC – TCE/PR 2011 
O Estado e determinada fundação pública pretendem somar esforços para a realização de finalidade 
comum, com a alocação de recursos financeiros pelo Estado para custear projeto e de pessoal especializado 
pela Fundação. Diante desse cenário, 
a) poderão firmar convênio, desde que precedido de licitação. 
 
 
 
9 de 66| www.direcaoconcursos.com.br 
Prof. Erick Alves 
Aula 06 
Licitações, Contratos e Convênios para TCE-RJ 
b) deverão firmar contrato, podendo dispensar a licitação desde que a Fundação obtenha a qualificação de 
OSCIP. 
c) não poderão firmar convênio, tendo em vista os efeitos financeiros, estando obrigadas a celebrar contrato 
de gestão. 
d) poderão firmar convênio, independentemente de licitação, vedando-se, contudo, o estabelecimento de 
remuneração à Fundação. 
e) poderão firmar convênio, admitindo-se a remuneração da Fundação na hipótese de atuar como gestora 
da avença. 
Comentários: 
a) ERRADA. Os convênios não precisam ser precedidos de licitação. 
b) ERRADA. Não há previsão de dispensa de licitação para a celebração de contratos com OSCIPs. Ademais, 
como o enunciado informa que o ajuste a ser firmado possui como objetivo a realização de finalidade 
comum entre as partes, a situação se amolda mais à celebração de convênio do que de contrato. 
c) ERRADA. Não há vedação para que as entidades envolvidas celebrem convênio, ainda mais considerando 
que existe interesse comum. 
d) CERTA. Como visto, considerando que as partes possuem um interesse em comum, poderão sim celebrar 
convênio, independentemente de licitação. Aliás, a licitação não é necessária exatamente porque não pode 
haver remuneração de um partícipe ao outro. Caso contrário, estaríamos diante de um contrato que, salvo 
nas hipóteses de dispensa e inexigibilidade, devem ser precedidos de licitação. 
e) ERRADA. Como dito, no convênio não pode haver remuneração de um partícipe ao outro. 
Gabarito: alternativa “d” 
3. FCC – DPE/SP 2010 
O convênio administrativo, como instrumento de associação do Poder Público com entidades privadas ou 
mesmo entre entidades públicas, tem como característica própria 
a) a realização conjunta de atividades comuns, ainda que seus partícipes tenham interesses opostos ou 
desejem coisas diferentes. 
b) a ausência de vínculo ou cláusula de permanência obrigatória entre os convenentes, podendo ser 
denunciado antes do término do prazo de vigência. 
c) a obrigatoriedade de prévio procedimento licitatório, uma vez que do ajuste resultarão obrigações 
recíprocas de natureza contratual. 
d) o fato de que os entes conveniados, por terem objetivos institucionais diversos, visam à concretização de 
propósitos que lhes sejam favoráveis. 
e) a prefixação do preço ou remuneração pela colaboração prestada, sendo vedadas quaisquer formas de 
repasse de recursos materiais ou humanos. 
Comentários: 
a) ERRADA. O convênio, de fato, tem como finalidade a realização conjunta de atividades comuns. Porém, 
se houver interesses opostos, o caso é de contrato, e não de convênio. 
 
 
 
10 de 66| www.direcaoconcursos.com.br 
Prof. Erick Alves 
Aula 06 
Licitações, Contratos e Convênios para TCE-RJ 
b) CERTA, nos termos do art. 12 do Decreto 6.170/2007: 
Art. 12. O convênio poderá ser denunciado a qualquer tempo, ficando os partícipes responsáveis 
somente pelas obrigações e auferindo as vantagens do tempo em que participaram voluntariamente 
do acordo, não sendo admissível cláusula obrigatória de permanência ou sancionadora

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.