A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Artérias e Veias da Face

Pré-visualização | Página 1 de 3

Resumo PT2- Anatomia II 
Odontologia UFPR 
Vascularização Arterial 
Sistema circulatório: Coração, vasos sanguíneos, vasos linfáticos. 
Grande circulação ou circulação sistêmica e pequena circulação ou circulação pulmonar 
Grande circulação 
As veias são mais numerosas e mais superficiais 
Irrigação arterial da face: 
 
 
Tronco braquiocefálico: artéria subclávia direita e artéria carótida comum direita→ se divide em artéria 
carótida interna (vai para o encéfalo- principal via de irrigação do cérebro) e carótida comum externa (vai 
para a face) 
No arco aórtico temos a artéria carótida comum esquerda e direita e subclávia esquerda 
A diferença é a origem, depois fica tudo igual. 
A artéria carótida comum sobre pelo pescoço bem protegida por músculos em quase toda a sua volta e 
pela bainha carótica, um derivado da fáscia cervical. Dentro dessa bainha ela está acompanhada do nervo 
vago e da veia jugular interna. 
Ao nível da cartilagem tireóidea ela se bifurca em artérias carótida comum externa e interna; 
O suprimento sanguíneo da cabeça e pescoço se deve as artérias carótidas comum e 
vertebral. 
A artéria carótida interna não emite nenhum ramo na face e no pescoço, ela vai para o crânio e lá se 
ramifica. 
A artéria carótida externa é mais anterior e emite vários ramos na face e no pescoço. De origem, da 
bifurcação da artéria carótida comum, ela vai até o colo da mandíbula, onde se divide em seus ramos 
terminais. 
A artéria carótida externa começa no bulbo carotídeo, e seus principais ramos são: 
1- A. Tireóidea superior; 
2- A. Lingual; 
3- A. Facial; Ramos Colaterais 
4- A. Occipital; 
5- A. Auricular Posterior; 
6- A. Maxilar; Ramos Terminais 
7- A. Temporal Superficial 
 
A artéria tireóidea superior origina-se no começo da carótida externa e logo se encurva inferiormente 
para buscar a glândula tireóidea e a laringe, as quais se ramifica. 
A artéria lingual é o segundo ramos emitido, ao nível do ápice do corno maior do osso hióide, e corre 
anteriormente seguindo o corno maior, recoberta pelo músculo hioglosso. No início de seu trajeto na 
língua, ela emite os ramos dorsais da língua. Na borda anterior do musculo hioglosso, destaca-se outro 
ramo, a artéria sublingual. A artéria lingual corre até o ápice da língua, denominando-se artéria profunda 
da língua. 
 
A artéria facial é abordada com maiores detalhes abaixo. 
O restante do trajeto dessa artéria acompanha o sulco nasolabial até o ângulo medial do olho, onde 
termina com o nome de artéria angular. Um serie de ramos colaterais menores são emitidos, por exemplo, 
o ramo lateral do nariz. 
A artéria occipital desprende-se da artéria carótida comum externa ao nível da artéria facial, segue em 
direção ao couro cabeludo, emitindo seus ramos. 
A artéria auricular posterior passa entre o meato acústico externo e o processo mastoideo, emitindo seus 
ramos. 
A artéria maxilar é abordada com maiores detalhes abaixo. 
A artéria temporal superficial é um dos ramos terminais da carótida. Inicia-se atrás do colo da mandíbula, 
em plena massa glandular da parótida, passa entre a ATM e o meato acústico externo, cruzando o arco 
zigomático, onde continua seu trajeto, emitindo os ramos frontal e parietal. 
 
Quando os ramos colaterais acabam, começam os ramos terminais; 
A artéria temporal superficial se divide em ramos frontal e ramo parietal (anterior-posterior); 
As artérias Facial e Maxilar são as principais na odontologia. 
A Artéria Facial inicia-se perto do ângulo da mandíbula, sulca a parte posterior da glândula 
submandibular, soltando ali seus ramos glandulares. Em seguida, perfura a lâmina superficial da fáscia 
cervical, dobra-se na base da mandíbula, ao cruzá-la, emite a artéria submentoniana, que segue a base da 
mandíbula até o mento. O tronco da artéria facial sobe obliquamente por toda a face, sobre o bucinador e 
por baixo do zigomático maior, ao lado do ângulo da boca. Aí ela solta a artéria labial inferior e a artéria 
labial superior. 
Começa +/- na altura do ângulo da mandíbula mais medialmente, e é mais profunda. Quando o músculo 
masseter acaba, ela cruza e fica externa. 
Ela irriga a face, principalmente os tecidos moles e a maioria dos músculos da mímica facial 
Seus ramos são: 
➔ A. Submentual/submentoniana, que vai para a região do mento 
➔ A. Labial Inferior, vai para o músculo orbicular da boca e pele 
➔ A. Labial Superior, idem a de cima 
➔ Ramos Nasais Laterais 
➔ A. Angular, vai para o canto do ângulo do olho- entre o osso nasal e a órbita ocular 
Boa parte dos sangramentos da face podem se cessados por compressão de 5 minutos; 
As artérias do lado direito e esquerdo se comunicam, passando de um lado para o outro; 
A artéria carótida interna sai na face pela fissura orbital superior. 
Microcirculação: imensa rede de arteríolas, onde anestesia com vasoconstrição diminui sangramento. A 
região da face e pescoço tolera bem cirurgias, pois possui muitas células de defesa e fatores de 
crescimento. 
 
 
Artéria Maxilar: Fossa infratemporal é a central de distribuição; 
 
1. A. carótida externa 
2. A. maxilar 
3. A. meníngea média 
4. A. alveolar inferior 
5. R. milo-hióideo 
6. Rr. Dentais 
7. Rr. Pterigoideos 
8. A. massetérica 
9. A. temporal profunda posterior 
10. A. temporal profunda anterior 
11. A. bucal 
12. A. alveolar superior posterior 
13. A. infra orbital 
14. A. alveolar superior anterior 
15. A. esfenopalatina 
Surge da carótida externa dentro da parótida e cursa horizontalmente pela fossa infra temporal. Seguindo 
seu trajeto → musculo pterigoideo lateral → tuberosidade da maxila → cruza a fissura pterigomaxilar para 
desaparecer na fossa pterigopalatina. 
Fossa Infratemporal: localizada medialmente ao ramo da mandíbula, em sequência: 
Ramos colaterais (9) e ramos terminais (2) 
Ramos colaterais: 
Ramo ascendente: a. meníngea média→ entra no crânio pelo forame espinhoso e leva sangue para a dura-
máter 
Ramo descendente: a. alveolar inferior → entra no forame da mandíbula, acompanhando o nervo alveolar 
inferior, antes de entrar na mandíbula, a artéria dá o ramo milo-hióideo, depois corre no canal da 
mandíbula e leva sangue para o osso e polpa dos dentes através do forame apical. Forames dentais: ramos 
dentais (canal da raiz do dente através do forame apical, suprindo a polpa) e peridentais (sobrem 
pequenos canais nos septos interalveolares; 
Artéria alveolar inferior → forame → canal → forame mentual → ramos dentais → ramos interdentais → 
artéria incisiva e artéria mentual, que se une com a artéria submentual; 
As aa. Mentual e Incisiva: levam sangue para molares e pré-molares inferiores; 
Artéria milo-hióidea: ramo da a. alveolar inferior, percorre o sulco milo-hióideo e depois a superfície do 
músculo milo-hióideo. 
Ramos musculares: vascularizem os músculos da mastigação e o bucinador 
Artéria massetérica: passa pela incisura da mandíbula, irriga o masseter; 
Artéria temporal profunda: anterior (nutre a porção mais volumosa do músculo temporal) e posterior 
(sobre pelo crânio e face profunda do músculo temporal, a qual penetra); 
Artéria bucal: irriga o músculo bucinador; 
Artéria alveolar superior posterior se destaca da maxila junto a tuberosidade da maxila, percorrendo 
canais alveolares em direção aos dentes posteriores, se ramificando em→ ramos dentais (polpa) e 
peridentais (periodonto) 
Ramos dentais e peridentais vascularizam dente, osso, periodonto e gengiva, tal como fazem os ramos 
homônimos da alveolar inferior. 
 
Fissura orbital superior → artéria infra orbital → ramos terminais → sulco infra orbital → canal infra 
orbital→ forame infra orbital, vascularizando tecidos moles próximos. Dentro do canal infra orbital, ela 
emite um ramo que vai para a polpa dos caninos e incisivos, a artéria

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.