A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
72 pág.
Instalações prediais de água fria

Pré-visualização | Página 1 de 2

Projetos de Instalações Prediais 
Centro Universitário Central Paulista 
Arquitetura 
Profa. Dra. Simone Pereira Casali 
São Carlos, 10 de Fevereiro de 2020 
Instalações Hidráulicas Prediais 
 Instalação predial de água fria 
 
 
 Instalação predial de água quente 
 
 
 Instalação predial de esgotos sanitário 
 
 
 Instalação predial de águas pluviais 
 
 
 Instalação predial de combate à incêndios 
 
 
 Instalação predial de gás 
INSTALAÇÃO PREDIAL 
DE ÁGUA FRIA 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aula 01 
1. Introdução 
 1. Introdução 
Instalação predial de água fria é o conjunto de: 
• Tubulações 
 
• Equipamentos 
 
• Reservatórios 
 
• Dispositivos 
 
 
 
• Destinados ao abastecimento dos aparelhos e 
pontos de utilização. 
• Em quantidade suficiente (Q) e com qualidade. 
Deve haver compatibilidade com os projetos de: 
 Arquitetura; 
 
 Estrutura; 
 
 Fundações; 
 
 Instalações elétricas. 
 1. Introdução 
 2. Norma de Projeto 
Requisitos 
5626): 
de uma instalação de água fria (NBR 
 Preservar a potabilidade da água; 
 
 Garantir o fornecimento contínuo, em quantidade 
adequada, 
compatíveis 
aparelhos, 
com pressões e velocidades 
com o bom funcionamento dos 
peças de utilização e demais 
componentes; 
 2. Norma de Projeto 
Promover economia de água e energia; 
 
 
Possibilitar manutenção fácil e econômica; 
 
 
Evitar níveis de ruído inadequados; 
 
Conforto ao usuário: localização das peças de 
utilização com vazões satisfatórias. 
 2. Norma de Projeto 
•Rede Pública 
•Fonte Particular 
 3. Fontes de Abastecimento 
No caso de lençol subterrâneo, utilizam-se poços, 
dos quais a água é bombeada para a superfície. 
4. Sistemas de Distribuição 
 Direto 
 
 
 
 Indireto 
 
 
 
 Indireto hidropneumático 
 
 
 
 Misto 
 4.1. Direto 
• Este tipo de abastecimento é efetuado 
diretamente da rede pública, sem 
reservação. 
• Sistema de distribuição direta em uma edificação 
vertical. 
• Sem bombeamento 
 
 
• Com bombeamento 
 4.2. Indireto 
 Sem bombeamento 
Quando há pressão suficiente na rede 
pública, pode adotar apenas um reservatório 
superior. 
 Com bombeamento 
Quando não houver pressão suficiente ou ocorrem 
descontinuidade no abastecimento, deve-se adotar 
reservatório inferior, abastecido pela rede pública e um 
superior abastecido pelo inferior, por meio de 
bombeamento 
 4.3. Hidropneumático 
Consiste na adoção de um equipamento para 
pressurização da água a partir de um reservatório 
inferior, abastecido pela rede pública. Exemplo : Pontos 
no ultimo pavimento. 
 
• Este sistema tem custo elevado; 
• Exige manutenção. 
 
 
Sistema que se utiliza de mais de um dos sistemas 
existentes, geralmente o indireto por gravidade em 
conjunto com o direto. 
4.4. Misto 
 4.5. Caso de Edifícios Altos 
• No caso de edifícios 
de grande altura 
devem ser tomados 
precauções especiais 
para limitação da 
pressão e velocidade 
da água em função: 
ruído, sobrepressão, 
manutenção, etc. 
 
• Máxi 13 pavimentos 
(40 mca) 
• Ramal predial 
 
• Alimentador predial 
 
• Reservatório 
 
• Barrilete 
 
• Colunas de distribuição 
 
• Ramais e sub-ramais 
 
• Peças de utilização e aparelhos sanitários 
 
• Instalação elevatória 
 
5. Componentes de um Sistema Predial de Água Fria 
 
É o trecho executado pela concessionária pública 
ou privada, ligando a rede até o cavalete, 
mediante requerimento do proprietário da 
edificação. 
5.1. Ramal Predial (externo) 
 Ainda compreende: 
• Cavalete 
 
• Hidrômetro 
 
• Registro de passeio 
 5.1. Ramal Predial (externo) 
•NBR 10.925/1989 (Cavalete de 
PVC DN 20 para ramais prediais); 
 
 
 
•Conjunto de tubo, conexões e 
registros do ramal predial, destinado 
a instalação do hidrômetro e 
respectivos tubuletes, ou 
de consumo, em posição 
do piso. 
limitador 
afastada 
 5.1.1. Cavalete 
• NBR 8193/1997 
(Hidrômetros Taquimétricos 
para água fria); 
• Aparelho que mede o 
consumo de 
edificação. 
água pela 
 5.1. Hidrômetro 
•Adotados pela concessionária na calçada externa,
 para interrupção do abastecimento à edificação. 
 5.1. Registro de Passeio 
 5.2. Alimentador Predial 
É o trecho a partir do final do ramal predial até 
a desconexão, junto ao RI ou RS 
5.3. Reservatório 
• Comumente chamado de Caixa d’água; 
• Finalidade: Armazenagem e/ou estocagem de 
água para posterior utilização na edificação. 
• Brasil - Abastecimento indireto ou 
misto POR QUE? 
 
 
 
 
• Consequências: 
 
- As instalações funcionam a baixa pressão; 
 
- Deve-se conceber todos os projetos da 
edificação prevendo a colocação 
do Reservatório; 
 
• Edificações até 9 m não tem necessidade de 
sistema de recalque. 
5.3. Reservatório 
5.3.1. Localização do Reservatório 
O reservatório e seus equipamentos devem 
estar localizados de modo adequado em 
função de suas características funcionais, 
tais como: 
 
• espaço 
• iluminação 
• ventilação 
• proteção sanitária 
• operação 
• manutenção 
Reservatórios no Projeto Arquitetônico 
 
 
• Muitos projetos arquitetônicos omitem informações importantes 
sobre os reservatórios: tipo, localização, capacidade; 
• Deve haver harmonia entre aspectos estéticos e 
técnicos; 
 
• Reservatórios de maior capacidade devem ser divididos em 
2 ou mais compartimentos – manutenção sem 
interrupção; 
 
• Verificar necessidade ou não de reserva de incêndio; 
5.3.1. Localização do Reservatório 
 Localização do Reservatório Superior 
 
• Em residências: 
 
– Não apoiar diretamente sobre a laje 
• Em prédios: 
– Geralmente sobre a caixa de 
escadas - estrutural 
5.3.1. Localização do Reservatório 
5.3.1. Localização do Reservatório 
 Localização do Reservatório Superior 
 
 
 
 
– Deve estar o mais próximo possível dos pontos de 
consumo: 
 
 
 
 
• Evita perda de carga 
 
• Economia de tubulação 
• Perda de carga 
se não houver jeito subir o reservatório para 
ganhar pressão 
5.3.1. Localização do Reservatório 
 Localização do Reservatório Inferior 
 
 
 
• Em prédios com mais de 9 m, além do RS, é necessário 
prever um Reservatório Inferior; 
 
 
 
 
• Instalação: 
 
– Locais de fácil acesso e afastado de tubulações de 
esgoto; 
 
– Se for subsolo, elevar a tampa pelo menos 10 cm; 
 
– O projeto arquitetônico deve prever; 
 
• Espaço físico para instalação de 2 conjuntos de 
bomba (reserva). 
5.3.1. Localização do Reservatório 
Reservatórios moldados in loco 
Alvenaria ou concreto armado 
Reservatórios industrializados 
Fibrocimento, Metal, Polietileno ou Fibra de vidro 
Reservatórios industrializados 
• É o conjunto de tubulações que interligam os 
pontos de utilização ao reservatório. 
– Barrilete: 
 
• Concentrado ou; 
 
• Ramificado 
 
– Colunas 
 
– Ramais e Sub-ramais 
5.4. Rede de Distribuição 
5.4.1. Barrilete 
• Barrilete - Concentrado 
 Registros em uma área 
restrita 
 
 Facilidade de controle do 
sistema 
44 
5.4.1. Barrilete 
• Barrilete - Ramificado 
 
 Mais econômico – menos tubos e registros 
 
 Registros mais espaçados – entrada das colunas 
45 
5.4.1. Barrilete 
• São as tubulações que partindo do barrilete 
desenvolvem-se verticalmente alimentando os ramais. 
5.4.2. Colunas de Distribuição 
5.4.2. Colunas de Distribuição 
5.4.3. Ramal e Sub-ramal 
• Tubos: PVC rígido, aço galvanizado, cobre 
 
• Tubos de PVC 
 
– Linhas: Soldável – marrom Roscável – branca 
 
– Vantagens 
 
• Leveza - Facilidade de transporte, manuseio e 
instalação 
 
• Durabilidade 
 
• Baixo custo 
 
– Desvantagens: 
- Resistência à corrosão 
 
- Menor perda de carga 
• Baixa resistência ao calor 
 
• Não tolera exposição prolongada ao Sol 
5.5. Rede de Distribuição - Materiais