A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
290 pág.
Questão Social e Serviço Social

Pré-visualização | Página 33 de 50

da renda, dos 
regimes de acumulação, das condições de inserção precarizadas dos 
trabalhadores no mercado de trabalho capitalista, dos níveis rebaixados 
de remuneração do valor do trabalho, das condições de proteção das 
famílias trabalhadoras, da seguridade alimentar, econômica, social 
e civil, ou do estatuto das políticas sociais de proteção e assistência, 
das dimensões da pobreza e das desigualdades de renda ou das 
desigualdades e diversidades socioculturais implícitas nas relações de 
gênero ou de geração e nas diversidades étnicas e raciais –, todos esses 
aspectos estão articulados com as opções de desenvolvimento e justiça 
social e expressam a dimensão eminentemente política e crítica das 
contradições do desenvolvimento entre as classes sociais, os direitos da 
cidadania sobre a reprodução e os bens públicos (IVO, 2013, p. 13).
É necessário compreendermos a dimensão política da questão social, visto 
a amplitude que proporciona. Diversos aspectos devem ser revisitados, analisados, 
discutidos, tais como os mecanismos utilizados pelo Estado na redistribuição 
da renda, da forma como o sistema capitalista se organiza para não deixar de 
acumular e explorar, das condições precárias que envolvem o mundo do trabalho, 
especificamente do assalariado e não assalariado, das condições de proteção social 
de pessoas e famílias em situações de vulnerabilidade social, das políticas sociais, 
das desigualdades, das diversidades, das condições de discriminação e exclusão 
social, dentre outras inúmeras feições.
UNI
Tanto é necessário compreender a dimensão política da questão social, quanto 
entender a política social em si, enquanto categoria pública de interesse de todos os cidadãos.
112
UNIDADE 2 | O NEODESENVOLVIMENTO NO CAPITALISMO E O ACIRRAMENTO DAS
 EXPRESSÕES DA QUESTÃO SOCIAL
Podemos afirmar que a política pública é ampla e pode ser enfatizada de 
modo geral no âmbito das relações de poder, tanto na tomada de decisões quanto 
na resolução de conflitos na sociedade.
Segundo Teixeira (2002, p. 2):
 
“Políticas públicas” são diretrizes, princípios norteadores de ação do 
poder público; regras e procedimentos para as relações entre poder 
público e sociedade, mediações entre atores da sociedade e do Estado. 
São, nesse caso, políticas explicitadas, sistematizadas ou formuladas em 
documentos (leis, programas, linhas de financiamentos) que orientam 
ações que normalmente envolvem aplicações de recursos públicos. Nem 
sempre, porém, há compatibilidade entre as intervenções e declarações 
de vontade e as ações desenvolvidas. Devem ser consideradas também 
as “não ações”, as omissões, como formas de manifestação de políticas, 
pois representam opções e orientações dos que ocupam cargos.
Percebemos que as políticas públicas são todas as ações desencadeadas 
pelo Estado, dizem respeito a tudo o que o Estado já realizou, realiza ou deixa 
de realizar. Nessa perspectiva de análise de compreensão, podem oportunizar a 
melhoria da qualidade de vida na sociedade, garantindo universalmente os direitos 
sociais ou favorecer setores dominantes da sociedade capitalista, aumentando 
ainda mais as expressões da questão social, a desigualdade social e a pobreza, 
favorecendo a concentração de capital e renda, exploração e dominação pelos 
grandes monopólios.
No âmbito político, é imprescindível compreender o papel do Estado e 
sua relação com os interesses das classes sociais, sobretudo na condução 
das políticas econômicas e social, de maneira a identificar se dá mais 
ênfase aos investimentos sociais ou privilegia políticas econômicas; 
se atua na formulação, regulação e ampliação (ou não) de direitos 
sociais; se possui autonomia nacional na definição das modalidades e 
abrangência das políticas sociais ou segue imperativos dos organismos 
internacionais; se fortalece e respeita a autonomia dos movimentos 
sociais; se a formulação e implementação de direitos favorece os 
trabalhadores ou os empregadores. Enfim, deve-se avaliar o caráter e as 
tendências da ação estatal e identificar interesses que se beneficiam de 
suas decisões e ações (BEHRING; BOSCHETTI, 2011, p. 44). 
Referente às políticas públicas, podemos analisar que todos os direitos 
sociais que estão descritos na Constituição Federal de 1988 (MDS, 2015) se 
configuraram como políticas públicas, amplas. Podemos analisar no artigo 6º os 
direitos sociais especificados na Carta Magna:
Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, 
a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à 
UNI
Existe diferença entre política pública e política social? Qual é o significado de cada uma?
TÓPICO 2 | A NOVA INSTITUCIONALIDADE BRASILEIRA FRENTE ÀS EXPRESSÕES SOCIAIS
113
maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma 
desta Constituição. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 64, 
2010).
Assim, analisando os direitos sociais e as políticas públicas, podemos citar 
algumas políticas públicas tendo como base e fundamento os direitos descritos 
anteriormente, como por exemplo a:
Política Nacional de Educação
Política Nacional de Cultura
Política Nacional de Direitos Humanos
Política Nacional de Seguridade Social
Política Nacional de Saúde 
Política Nacional de Previdência Social
Política Nacional de Assistência Social
Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional
Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho
Política Nacional de Habitação
Política Nacional de Esporte
Entre outras diversas políticas nacionais, conforme cada ministério e 
secretarias com status de ministério.
As políticas públicas são várias, conforme cada área de abrangência. Por 
exemplo, a política econômica se difere da política social, ambas são públicas, 
porém uma está focada nas finanças públicas, nos arranjos produtivos, nos setores 
do comércio e da indústria, no desenvolvimento da economia em si, e a outra 
focada nas áreas especificadas acima, tais como na assistência social, educação, 
saúde, habitação, dentre outras diversas voltadas para o social.
Agora, enfatizando as políticas sociais, Coelho (2012, p. 164) considera as 
políticas sociais como “Programas e ações do governo (central, regional, local) com 
repercussão na vida das populações em domínios como educação, saúde, proteção 
social, emprego, habitação, transportes, ambiente, entre outros”.
As políticas sociais, de modo geral, são modalidades da política pública, são 
necessárias para a concretização da cidadania. Assim, as políticas sociais no sentido 
direcionado à proteção social são criadas, formuladas, reguladas, ampliadas, 
revistas, renovadas, transformadas e se efetivam no seio da sociedade, garantindo 
a inclusão social e a diminuição da desigualdade social, assim percebemos que as 
políticas sociais de proteção emergiram das políticas públicas.
Ora, as Ciências Sociais – que estudam as políticas sociais – configuram 
um campo do conhecimento que incide sobre tal dinâmica e é por 
ela balizado. E que, portanto, se constroem e definem seus conceitos 
mediante mecanismos semelhantes. Assim, o entendimento de que 
política pública é ação governamental com objetivos específicos 
consiste numa convenção acadêmica. Assim, também, constitui 
convenção acadêmica, expressa pela literatura especializada, a ideia 
de que política social é ação governamental com objetivos específicos 
relacionados com a proteção social. (VIANNA, 2002, p. 2). 
114
UNIDADE 2 | O NEODESENVOLVIMENTO NO CAPITALISMO E O ACIRRAMENTO DAS
 EXPRESSÕES DA QUESTÃO SOCIAL
Dessa forma, vamos compreendendo que tanto as políticas públicas quanto 
as políticas sociais são ações governamentais com objetivos específicos, porém 
podemos analisar que as políticas públicas são amplas e as políticas sociais são 
mais específicas (de proteção social), desenvolvidas a partir de projetos, programas