A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
ATIVIDADE DE ADVOCACIA E MANDATO JUDICIAL

Pré-visualização | Página 1 de 1

19 de novembro de 2019
Ética e estatuto da OAB (atividade de advocacia/ mandato judicial).
Prof. Alysson Rachid.
ATIVIDADES PRIVATIVAS DE ADVOCACIA
Artigo 1° - 4°, EAOAB
Artigo 1 - 7, RGEAOAB
PRIVATIVAS atividades que podem ser praticadas somente por advogados. Quando é praticado por outro que não seja advogado é considerado EXERCÍCIO ILEGAL DA PROFISSÃO. Os atos praticados por esse sujeito são considerados nulos.
1. Assessoria/ consultoria jurídica. 
Atuação extrajudicial do advogado, atua de forma preventiva, tentando evitar um conflito. Buscam alternativas ao judiciário (arbitragem, mediação). 
Consultoria envolve a elaboração de um parecer.
Assessoria/ Diretoria jurídica/ Gerencia jurídica é necessário ser advogado. 
2. Visar atos e contratos constitutivos de pessoas jurídicas.
Contrato social de uma empresa, analisa se está de acordo com a lei.
Exceção: microempresa e empresa de pequeno porte, dispensam assinatura do advogado no contrato social.
3. Postular em juízo.
Atividade privativa. JECRIM precisa da presença do advogado.
· Exceções em que não se exige advogado: habeas corpus, justiça do trabalho (TST é necessário a presença do advogado – súmula 425 TST) e juizado especial (lei 9.099/95 – dispensa do advogado em causas até 20 salários mínimos e que não seja necessário ingressar com recurso.)
OBS.:
· Exercício efetivo da advocacia – se da com a prática de pelo menos 05 atividades privativas no decorrer do ano. Esse caso vale para concurso público.
· Atos nulos – são considerados nulos os atos praticados por advogado suspenso, licenciado, impedidos no âmbito do seu impedimento ou que exerçam atividade incompatível com a advocacia.
· Estagiário – faz “tudo” se devidamente inscrito na oab, desde que em conjunto e sob a responsabilidade do advogado. (art. 29, RGEAOAB coisas que o estagiário pode fazer isoladamente, cargas dos autos, assinar petição de juntada de documentos, (processo judicial ou administrativo), obter certidões de processos findos ou em andamento.). atividade extrajudicial o estagiário pode praticar desde que tenha substalecimento e autorização do advogado.
MANDATO JUDICIAL
Estatuto da advocacia – art 5° e código de ética art. 9° - 26.
Procuração – onde o cliente defere poderes para o advogado representa-lo em juízo ou fora. O advogado tem até 15 dias para apresentar a procuração, prorrogável por uma única vez até 15 dias. Caso não seja juntado no prazo os atos praticados são considerados nulos.
	SUBSTALECIMENTO DA PROCURAÇÃO
	Com reserva de poderes.
	Sem reserva de poderes.
	Advogado substabelece reserva de poderes para outro advogado. O advogado substalecente continua no processo.
	Advogado substabelece a procuração a outro advogado e o advogado susbtalecente sem reservas de poderes sai do processo.
	O advogado substabelecido só recebe os honorários com aval do substalecente.
	O advogado substabelecido sem reservas de poderes não depende da autorização do substalecente, os honorários serão calculados de forma proporcional (ao tempo, trabalho de cada um dos advogados). 
	Não precisa comunicar o cliente. É um ato pessoal do advogado.
	Precisa comunicar o cliente, antecede o substabelecimento.
	RENÚNCIA
	REVOGAÇÃO
	É o direito do advogado.
	É o direito do cliente.
	Pode renunciar a procuração a qualquer tempo, desde que deixe o cliente de forma inequívoca. Preferencialmente através de uma carta com aviso de recebimento. (A.R), permanece no processo após enviado o A.R por no máximo 10 dias. Junta o A.R no processo.
	O cliente não é obrigado a ter o advogado no processo inteiro, ou seja, o cliente pode revogar a procuração a qualquer tempo, só que na revogação a partir do dia seguinte o advogado não responde mais pelo processo.
	OBS.: Foro íntimo – mas não é permitido revelar o motivo da renúncia. 
	OBS.: A revogação não retira do advogado o direito quanto ao recebimento dos seus honorário de forma proporcional. 
OBS. 2: é permitido aceitar procuração de quem já tem advogado constituído desde que se trate de motivo plenamente justificável, motivo urgente, motivo inadiável.