A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
134 pág.
Código de Processo Civil Destacado (2020)

Pré-visualização | Página 6 de 50

federal do seu domicílio
ou nas varas federais da Capital do Estado-Membro.
STJ
Súmula 32-STJ: Compete à Justiça Federal processar justifica-
ções judiciais destinadas a instruir pedidos perante entidades
que nela tem exclusividade de foro, ressalvada a aplicação do
art. 15, II, da Lei 5010/66.
Súmula 66-STJ: Compete à Justiça Federal processar e julgar
execução fiscal promovida por conselho de fiscalização pro-
fissional.
Súmula 82-STJ: Compete à Justiça Federal, excluídas as recla-
mações trabalhistas, processar e julgar os feitos relativos à
movimentação do FGTS. 
Súmula 150-STJ: Compete à Justiça Federal decidir sobre a
existência de interesse jurídico que justifique a presença, no
processo, da união, suas autarquias ou empresas públicas.
Súmula 173-STJ: Compete à Justiça Federal processar e julgar o
pedido de reintegração em cargo público federal, ainda que o
servidor tenha sido dispensado antes da instituição do regime
jurídico único
Súmula 254-STJ: A decisão do Juízo Federal que exclui da rela-
ção processual ente federal não pode ser reexaminada no Juí-
zo Estadual. 
Súmula 324-STJ: Compete à Justiça Federal processar e julgar
ações de que participa a Fundação Habitacional do Exército,
equiparada à entidade autárquica federal, supervisionada pelo
Ministério do Exército. 
Súmula 349-STJ: Compete à Justiça Federal ou aos juízes com
competência delegada o julgamento das execuções fiscais de
contribuições devidas pelo empregador ao FGTS. 
Súmula 365-STJ: A intervenção da União como sucessora da
Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA) desloca a competência
para a Justiça Federal ainda que a sentença tenha sido pro-
ferida por Juízo estadual. 
Súmula 570-STJ: Compete à Justiça Federal o processo e julga-
mento de demanda em que se discute a ausência de ou o obs-
táculo ao credenciamento de instituição particular de ensino su-
perior no Ministério da Educação como condição de expedição
de diploma de ensino a distância aos estudantes. 
SÚMULAS SOBRE COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA ELEITORAL 
Súmula 368-STJ: Compete à Justiça comum estadual processar
e julgar os pedidos de retificação de dados cadastrais da Justiça
Eleitoral.
Súmula 374-STJ: Compete à Justiça Eleitoral processar e julgar
a ação para anular débito decorrente de multa eleitoral
SÚMULAS SOBRE COMPETÊNCIA PELO FORO DA SITUAÇÃO
DA COISA
STF
Súmula 363-STF: A pessoa jurídica de direito privado pode ser
demandada no domicílio da agência, ou estabelecimento, em
que se praticou o ato.
STJ
Súmula 11-STJ: A presença da União ou de qualquer de seus
entes, na ação de usucapião especial, não afasta a competên-
cia do foro da situação do imóvel.
Súmula 238-STJ: A avaliação da indenização devida ao proprie-
tário do solo, em razão de alvará de pesquisa mineral, é proces-
sada no Juízo Estadual da situação do imóvel
Súmula 376-STJ: Compete à turma recursal processar e julgar
o mandado de segurança contra ato de juizado especial.
Seção III
Da Incompetência
Art. 64. A incompetência, absoluta ou relativa, será alegada
como questão preliminar de contestação.
§ 1o A incompetência absoluta pode ser alegada em qualquer
tempo e grau de jurisdição e deve ser declarada de ofício.
§ 2o Após manifestação da parte contrária, o juiz decidirá imedia-
tamente a alegação de incompetência.
10
§ 3o Caso a alegação de incompetência seja acolhida, os autos se-
rão remetidos ao juízo competente.
§ 4o Salvo decisão judicial em sentido contrário, conservar-se-ão
os efeitos de decisão proferida pelo juízo incompetente até
que outra seja proferida, se for o caso, pelo juízo competente.
TRANSLATIO IUDICI
FPPC238. (art. 64, caput e §4º) O aproveitamento dos efeitos
de decisão proferida por juízo incompetente aplica-se tanto à
competência absoluta quanto à relativa. TRANSLATIO IUDICI
FPPC488. (art. 64, §§3º e 4º; art. 968, §5º; art. 4º; Lei 12.016/2009)
No mandado de segurança, havendo equivocada indicação
da autoridade coatora, o impetrante deve ser intimado para
emendar a petição inicial e, caso haja alteração de competên-
cia, o juiz remeterá os autos ao juízo competente
Art. 65. Prorrogar-se-á a competência relativa se o réu não
alegar a incompetência em preliminar de contestação.
Parágrafo único. A incompetência relativa pode ser alegada
pelo Ministério Público nas causas em que atuar.
Art. 66. Há conflito de competência quando:
I - 2 ou mais juízes se declaram competentes;
II - 2 ou mais juízes se consideram incompetentes, atribuindo um
ao outro a competência;
III - entre 2 ou mais juízes surge controvérsia acerca da reunião
ou separação de processos.
Parágrafo único. O juiz que não acolher a competência declinada
deverá suscitar o conflito, salvo se a atribuir a outro juízo.
CAPÍTULO II
DA COOPERAÇÃO NACIONAL
Art. 67. Aos órgãos do Poder Judiciário, estadual ou federal, es-
pecializado ou comum, em todas as instâncias e graus de jurisdi-
ção, inclusive aos tribunais superiores, incumbe o dever de recíp-
roca cooperação, por meio de seus magistrados e servidores.
Art. 68. Os juízos poderão formular entre si pedido de coopera-
ção para prática de qualquer ato processual.
Art. 69. O pedido de cooperação jurisdicional deve ser pronta-
mente atendido, prescinde de forma específica e pode ser exe-
cutado como:
I - auxílio direto;
II - reunião ou apensamento de processos;
III - prestação de informações;
IV - atos concertados entre os juízes cooperantes.
§ 1o As cartas de ordem, precatória e arbitral seguirão o regime
previsto neste Código.
§ 2o Os atos concertados entre os juízes cooperantes poderão
consistir, além de outros, no estabelecimento de procedimento
para:
I - a prática de citação, intimação ou notificação de ato;
II - a obtenção e apresentação de provas e a coleta de depoimen-
tos;
III - a efetivação de tutela provisória;
IV - a efetivação de medidas e providências para recuperação e
preservação de empresas;
V - a facilitação de habilitação de créditos na falência e na recu-
peração judicial;
VI - a centralização de processos repetitivos;
VII - a execução de decisão jurisdicional.
§ 3o O pedido de cooperação judiciária pode ser realizado entre
órgãos jurisdicionais de diferentes ramos do Poder Judiciário.
FPPC4. (art. 69, § 1º) A carta arbitral tramitará e será proces-
sada no Poder Judiciário de acordo com o regime previsto no
Código de Processo Civil, respeitada a legislação aplicável.
FPPC5. (art. 69, § 3º) O pedido de cooperação jurisdicional po-
derá ser realizado também entre o árbitro e o Poder Judiciá-
rio.
LIVRO III
DOS SUJEITOS DO PROCESSO
TÍTULO I
DAS PARTES E DOS PROCURADORES
CAPÍTULO I
DA CAPACIDADE PROCESSUAL
Art. 70. Toda pessoa que se encontre NO EXERCÍCIO DE SEUS
DIREITOS tem capacidade para estar em juízo . 
Art. 71. O incapaz será representado ou assistido por seus pais,
por tutor ou por curador, na forma da lei.
Art. 72. O juiz nomeará CURADOR ESPECIAL ao:
I - incapaz, se não tiver representante legal ou se os interesses
deste colidirem com os daquele, ENQUANTO DURAR A INCA-
PACIDADE;
II - réu preso revel, bem como ao réu revel citado por edital ou
com hora certa, ENQUANTO NÃO FOR CONSTITUÍDO ADVO-
GADO.
Parágrafo único. A curatela especial será exercida pela Defenso-
ria Pública, nos termos da lei.
CURADORIA
ESPECIAL
Incapaz sem representante
legal ENQUANTO 
DURAR A 
INCAPACIDADE
Incapaz quando há colidên-
cia de interesses com seu
representante legal
Réu preso revel ENQUANTO NÃO
FOR 
CONSTITUÍDO 
ADVOGADO.
Réu revel citado por edital
Réu revel citado com hora
certa
Exercida pela Defensoria Pública – art. 4°, XVI, LC 80/94 e
art. 72, parágrafo único do NCPC.
Art. 73. O cônjuge necessitará do consentimento do outro
para propor ação que verse sobre direito real imobiliário, SALVO
quando casados sob o regime de SEPARAÇÃO ABSOLUTA de
bens.
§ 1o Ambos os cônjuges serão necessariamente citados para a
ação:
I - que verse sobre direito real imobiliário, salvo quando casa-
dos sob o regime de separação absoluta de bens;
II - resultante