A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
45 pág.
Resumo Fisioterapia Veterinária

Pré-visualização | Página 3 de 5

Avaliação Sensorial > Dor superficial e Dor profunda
Para avaliação de dor superficial, devem-se pinçar as membranas interdigitais dos membros pélvicos e torácicos. Se a dor superficial estiver diminuída, realiza-se avaliação da dor profunda em que, com uma pinça hemostática, aplica-se uma pressão nas falanges distais. A palpação da coluna lombar e torácica consiste de aplicações crescentes de pressão (discreta, moderada, intensa) lateralmente aos processos espinhosos em uma seqüência crânio-caudal ou caudo-cranial. O animal deve permanecer em estação para realização desta etapa.
Avaliação dos nervos cranianos
A substância branca ocupa a área periférica da medula espinhal e é a primeira afetada em casos de lesão medular. Nessa região encontra-se o trato ascendente ou sensorial, que carreia as informações sensistivas do Sistema Nervoso Periférico (SNP) e conduz ao Sistema Nervoso Central (SNC)
Testes
Instabilidade medial do ombro: Em decúbito lateral irá segurar a escápula e estabilizar, realizar abdução do membro torácico. Se o ângulo for maior que que 30º tem instabilidade medial do ombro.
Palpação do tendão bicipital: Em decúbito lateral irá realizar hiperextensão caudal do membro torácico e irá palpar a porção medial do úmero. Se o animal apresentar dor, tem tenosossinovite do bicipital.
Teste de Ortolani: Em decúbito lateral coloca um dedo no trocânter maior e com a outra mão faz flexão do joelho, realizando uma pressão sentido dorsal. Depois irá realizar abdução. Se fizer um “crec”, ou sentir uma crepitação, será teste Ortolani (+).
Teste de gaveta: Em decúbito lateral coloca um dedo na patela, outro na fabela. Com a outra mão coloca um dedo na crista da tíbia e o outro na cabeça da fíbula, irá tentar deslocar crânio caudal à tíbia. Se der positivo tem ruptura de ligamento.
Compressão Tibial: Irá coloca a mão sobre o fêmur como se estivesse abraçando, com o dedo na crista da tíbia sob a articulação. Irá fazer flexão de tarso. Se houver ruptura, o dedo irá sentido cranial, ou seja, irá sentir ele ir pra cima.
Luxação de Patela: Busca a patela e irá fazer rotação medial com o pé pra dentro, tentando jogar a patela pra dentro. Faz rotação lateral, com o pé pra for a e tenta jogar a patela pra for a. Se sentir mecher a patela mecher, tem luxação de patela.
Cinesioterapia e massagem
Cinesioterapia significa tratamento pelo movimento. Este pode ser dividido em ativo, onde é realizado pelo paciente; passivo, que é realizado pelo terapeuta ou ativo assistido, sendo realizado pelo paciente com o auxílio do terapeuta. Ambas as modalidades podem ser executadas na forma de alongamento, fortalecimento, com ou sem sobrecarga (MIKAIL, 2009).
Objetivos
Melhora da amplitude de movimento
Redução da inflamação e lesão tecidual
Prevenção da atrofia por desuso
Prevenção da contratura muscular e da fibrosa
Amplitude de movimento passiva e alongamento Início: pós operatório imediato e após resolução da inflamação.
· Prevenção de contraturas 
· Evita aderências 
· Melhora do fluxo sanguíneo e linfático 
· Melhora da produção e difusão do líquido sinovial
· Restauração da amplitude de movimento 
· Manutenção do tônus muscular
Amplitude de movimento passivo: 2 a 6 vezes ao dia (15 a 20 repetições), decúbito lateral, paciente relaxado e confortável, suporte proximal e distal. Movimentação suave e lenta, realizar massagem, termoterapia (quente e frio).
· Não promove contração muscular 
· Não substitui a movimentação ativa 
· Feita em animais que não tem capacidade de realizar a movimentação ativa 
· Quando há uma pressão adicional ao final = ALONGAMENTO
Alongamento : Após cirurgia a musculatura sofre encurtamento, deve realizar o alongamento, podendo ser estático ou mecânico. Deve forçar o movimento dos membros até uma posição desconfortável, fora da amplitude de movimento normal. Irá promover o aquecimento prévio, ativar os fusos musculares e irá levar a contração muscular ao invés de relaxamento. O alongamento deve ser feito devagar.
· Flexibilidade articular 
· Extensibilidade dos tecidos periarticulares, músculos e tendões 
Alongamento estático 
· Permite extensão máxima da musculatura
· Realizada em 15 a 30 segundos
· Uma mão na porção proximal e outra na porção distal
· 2 a 4 sessões por dia 
· Baixa intensidade
· Menor risco de trauma iatrogênico
Alongamento mecânico prolongado 
· Alongamento de baixa intensidade 
· Estresse prolongado (> 30 segundos) 
· Pode ser utilizado aparatos externos
Amplitude de movimento ativa assistida
 Animais com certo grau de movimentação 
 Ajuda do terapeuta
 Indicações:
 Fraqueza, 
 Lesões em NMI 
Utilização de suporte, água ou faixas 
Fortalecimento e educação neuromuscular 
 Propriocepção e locomoção
Exercícios Ativos Assistidos 
 O movimento de amplitude ativo assistido ocorre quando o terapeuta guia a articulação conjunta e há algum grau de atividade muscular do paciente auxiliando o movimento comum. Os músculos precisam de auxílio pra realizar o movimento. 
· Terapia na bola 
· Disponíveis em tamanhos e cores diferentes. 
· Altura da escápula do animal para troca-se o suporte de peso entre as patas 
· Exercícios de equilíbrio e propriocepção 
· Reaprendendo a utilizar o membro 
· Pranchas de equilíbrio 
· Pranchas de madeira posicionadas sob os pés dos animais
· Movimentos variados
· Melhora do equilíbrio e propriocepção 
· Suporte do terapeuta para equilibrar o peso
Exercícios Ativos
 Há contração ativa da musculatura. 
 Melhora força muscular, coordenação e a função do membro
· Esteira seca 
· Encoraja o apoio do membro 
· Treina propriocepção, coordenação e equilíbrio 
· Esteiras que permitem a inclinação. 
· Dança 
· Animais que apresentem o mínimo de claudicação 
· Segurar o animal pelos membros torácicos 
· Movimentação para frente e para trás 
· Extensão do joelho, tarso e articulação coxofemoral 
· Estimula propriocepção, coordenação e equilíbrio
· Carrinho de mão 
· Similar a dança, sustenta-se os membros pélvicos 
· Pode ser realizado com a bola
· Sentar e Levantar 
· Fortalece os músculos do quadril 
· Fortalece os músculos extensores do joelho 
· Quadríceps, bíceps femoral, semimembranoso, semitendinoso e gastrocnêmio. 
· Aquecimento prévio 
· Observar para que não se sente apoiado em apenas um membro 
· Pode-se utilizar a parede como apoio do lado afetado.
· Obstáculos 
· Estímulo de todo o movimento 
· Melhora amplitude de movimento 
· Cavaletes, cones 
· Propriocepção, equilíbrio, coordenação e amplitude de movimento. 
· Melhora da exatidão ao caminhar 
· Fraqueza muscular, déficit da propriocepção inconsciente
· Aclive e Declive 
· Fortalecimento da musculatura pélvica 
· Quadríceps e bíceps femoral 
· Semitendinoso e semimembranoso 
· Extensores da articulação coxofemoral 
· Sempre em guia curta para controle do passo 
· Iniciar com a subida quando o grau de claudicação for mínimo  Reavaliação para maior frequência de exercícios
· Pista de propriocepção 
· Diversidade de superfícies : grama, carpete, areia, pedra Utilização de artefatos suspensórios 
· Aumento da intensidade gradual 
· Frequência de 10 a 15 minutos, 3 a 4 vezes ao dia
· Carrinho 
· Melhora a deambulação de cães que não conseguem suportar o próprio peso. 
· Suporte dos membros torácicos, pélvicos aumentando a percepção sensorial e força muscular. 
· Paralisia, paresia ou fraqueza muscular 
· Utilizado temporariamente ou permanentemente.
 
Massagem 
É uma terapia de baixo custo e alta facilidade. Tem diversos benefícios como: 
a) Relaxamento muscular – melhorando postura e marcha 
b) Liberação de hormônios relaxando todo o organismo 
c) Analgesia 
d) Melhora de circulação 
e) Aumento de temperatura local, levando a vasodilatação e melhora de distribuição de nutrientes 
f) Evita fibrose e aderências – diminui edema. 
g) Pós operatório (fibrose, aderência, edema) e manutenção de massa muscular e mobilidade.Ela pode ser indicada para pacientes com trauma ou pós-operatório pela sua ação analgésica e anti aderência e fibrose,