A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
106 pág.
Criação Doméstica de Galinhas, Patos, Marrecos, Perus e Avestruzes

Pré-visualização | Página 1 de 19

GERONET SERVICES 
Cursos – Apostilas – Manuais – Tutoriais 
www.geronetservices.com – www.oportunity.ubbi.com.br 
e-mail: geronetservices@gmail.com 
1
 
 
 
 
Apostila de 
Criação doméstica 
de galinhas, 
patos, marrecos, 
perus e 
avestruzes. 
 
Nelson Geromel 
 
 
 
 
 
GERONET SERVICES 
Cursos – Apostilas – Manuais – Tutoriais 
www.geronetservices.com – www.oportunity.ubbi.com.br 
e-mail: geronetservices@gmail.com 
2
SUMÁRIO 
INTRODUÇÃO 3 
SELEÇÃO DO PLANTEL 4 
INTRODUÇÃO DE AVES MELHORADAS 5 
MANEJO DE PINTINHOS 5 
MANEJO DA RECRIA 6 
MANEJO DE AVES ADULTAS 6 
ALIMENTAÇÃO 8 
ARRAÇOAMENTO DO PINTINHOS 9 
ÁGUA 10 
SANIDADE 10 
PROFILAXIA 11 
RECOMENDAÇÕES COMPLEMENTARES 11 
INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS 12 
ABRIGO DE REPRODUÇÃO 13 
CASA DE RAÇAO 13 
AVIÁRIO 14 
PATOS 15 
Raças 17 
Incubação 20 
Ninhos 21 
Patinhos 22 
Reprodutores 23 
Instalações 24 
Terreno 24 
Comedouros 27 
Bebedouros 28 
Lago de chuva 31 
Alimentação 32 
Engorda 33 
Saúde 34 
Higienização 35 
MARRECOS 37 
Raças 41 
Marrequinhos 46 
Instalações 47 
Abrigo/dormitório para marrecos. 51 
Ganho de peso do marreco-de-pequim 53 
PERUS 54 
Raças 57 
Incubação 59 
Peruzinhos 64 
Cuidados 64 
Ninhos 65 
Abrigo 67 
Pasto 68 
Comedouros 70 
Bebedouros 72 
Alimentação 74 
Engorda 76 
Saúde 76 
Renovação do plantel 79 
Higienização 80 
GERONET SERVICES 
Cursos – Apostilas – Manuais – Tutoriais 
www.geronetservices.com – www.oportunity.ubbi.com.br 
e-mail: geronetservices@gmail.com 
3
Adubo orgânico 82 
 83 
Criação de Avestruzes. 83 
 86 
Características dos avestruzes: 86 
Ambiente e comportamento: 87 
Produção: 87 
Manejo: 88 
Consumo de ração nos primeiros três meses: 89 
Patologias mais comuns: 90 
Fase de recria – de 4 a 12 meses (Abate) , 4 a 18 meses (matriz) 91 
Fase de Reprodução – de 2 anos em diante: 93 
Alimentação: 95 
Postura: 96 
Incubação: 97 
Eclosão: 97 
Transporte: 98 
Perspectiva e Projeção do Mercado de Avestruzes. 98 
CRIATÓRIO 100 
Planta do Criatório: 102 
RESUMO 103 
 
 
 
 
INTRODUÇÃO 
 
Quem possui uma propriedade rural, como fazenda, sítio ou 
chácara, pode aproveitar espaços para criação de várias espécies de 
aves, valorizando o meio ambiente com: 
a. o aspecto agradável que elas proporcionam. Habitualmente, as 
pessoas criam apenas galinhas poedeiras, para consumo próprio, mas é 
muito fácil criar também aves como patos, marrecos, perus e 
avestruzes. Os palmípedes, isto é, patos e marrecos, precisam de um 
lago, porque apreciam banhos diários. Se porventura a propriedade não 
possuir nascentes próprias, 
b. o problema poderá ser resolvido com a construção de um lago 
artificial, aproveitando as águas das chuvas. Quando o ambiente é 
favorável, os patos e marrecos costumam viver em plena harmonia. A 
criação de perus é relativamente simples, e pode ser feita em qualquer 
região do país. A criação de avestruzes pode ser transformar num 
excelente negócio. 
 
GERONET SERVICES 
Cursos – Apostilas – Manuais – Tutoriais 
www.geronetservices.com – www.oportunity.ubbi.com.br 
e-mail: geronetservices@gmail.com 
4
As poucas doenças que afetam esses animais podem ser evitadas 
se o criador mantiver boas condições de higiene e fornecer alimentos 
adequados. As instalações, de modo geral, são modestas, estando ao 
alcance de todo criador. 
O importante na criação de todas essas aves é introduzir sangue 
novo, principalmente nos reprodutores, para evitar consangüinidade. 
A avicultura brasileira iniciou com Cabral, que trouxe para o Brasil os 
primeiros exemplares de aves de raça pura. Estas aves eram criadas 
soltas a campo e daí originou o nome popular de Galinha Caipira, nome 
originário do Tupi guarani. Devido ao sistema de produção utilizada até 
hoje, estas aves sofreram um processo de degeneração, com 
conseqüente perda de produção e produtividade, porém ainda existe em 
mais de 80% das propriedades mineiras, contribuindo para melhorar a 
alimentação das famílias e muitas vezes servindo como parte de renda 
auxiliando substancialmente a economia familiar. Merece, em função 
disto, um trabalho na área de extensão rural visando melhorar 
principalmente a produtividade destas criações ditas caipiras, para 
aumentar a disponibilidade de carne e ovos para consumo próprio ou 
para incremento de renda. 
 
SELEÇÃO DO PLANTEL 
Com este trabalho pretendemos provocar uma seleção do plantel 
existente visando seu melhoramento, descartando as aves que não se 
enquadram nos itens abaixo. 
Escolha das Galinhas: 
• Selecionar as galinhas que demonstram ser saudáveis, sem 
defeitos físicos e dóceis; 
• Boa conformação corporal; 
• Cristas e barbelas bem desenvolvidas; 
• Por ovos com freqüência e de bom tamanho com formato regular; 
• Menor tendência ao choco e manter-se em postura quando a 
maioria das galinhas estiverem em muda. 
Escolha do Galo: 
• Devem ser vigorosos, sadios, não apresentar defeitos físicos ou de 
aprumos; 
GERONET SERVICES 
Cursos – Apostilas – Manuais – Tutoriais 
www.geronetservices.com – www.oportunity.ubbi.com.br 
e-mail: geronetservices@gmail.com 
5
• Musculosos e pesados; 
• Sexualmente ativos; 
• Manter a proporção de um galo para dez galinhas; 
• Ser mantido no plantel no máximo 30 meses; 
 
INTRODUÇÃO DE AVES MELHORADAS 
É possível provocar o melhoramento genético do plantel, sem precisar 
mudar o sistema produção e com pouco investimento. 
Para tanto recomendamos a introdução de aves já melhoradas 
geneticamente que serão cruzadas com aves do plantel previamente 
selecionadas. 
As aves que recomendamos deverão apresentar características de dupla 
aptidão - carne e ovos. 
• Raças Puras - Rhode Island Red, Plimauth Rock Bared, New 
Hampshire; 
• Aves híbridas de ovos vermelhos; 
• Isa Browm; 
• Hy-line Browm; 
• Shaver Browm; 
• Label Rouge; 
• Aves Canadense - Paraíso Pedrez. 
 
MANEJO DE PINTINHOS 
A grande mortalidade dos pintinhos é verificada nas criações que não 
usam nenhuma tecnologia; 
Os pintinhos requerem maiores cuidados principalmente nos primeiros 
20 dias, pois eles não tem capacidade de regular sua temperatura 
corporal. por este motivo eles devem ser aquecidos pelas mães ou 
aquecimento artificial. 
Após o nascimento deverão ser retiradas do ninho as cascas de ovos 
gerados e o material que foi utilizado no ninho como forro e trocando-o 
por material limpo e seco, deixando que a galinha abrigue sua ninhada. 
GERONET SERVICES 
Cursos – Apostilas – Manuais – Tutoriais 
www.geronetservices.com – www.oportunity.ubbi.com.br 
e-mail: geronetservices@gmail.com 
6
Nas primeiras 24 horas após o nascimento não precisa dar alimentação 
pára os pintinhos, quando o produtor colocar para chocar várias galinhas 
e a eclosão não for uniforme pode-se juntar as ninhadas de forma que 
cada galinha não tome conta de mais 15 pintinhos. 
Quando a propriedade for dotada de energia elétrica os pintinhos 
poderão ser colocados em pinteiros providos de comedouros, 
bebedouros e aquecimento através de uma lâmpada elétrica, que será 
usada 10 dias no verão e 15 dias no inverno. 
A temperatura no interior do pinteiro deve ser regulada levantando ou 
abaixando a lâmpada ou compânula a gás, de acordo com o 
comportamento das aves. Quando os pintinhos se amontoarem debaixo 
da fonte de aquecimento é sinal que estão com frio ou quando se 
afastarem muito da fonte indica que está muito quente. 
Quando a opção for adquirir pintinhos melhorados de incubatórios 
sugerimos utilizar c[circulo de proteção, cama, comedouro e bebedouro 
e fonte de calor. 
 
MANEJO DA RECRIA 
• Após 30 dias o empenamento estará completo e as aves poderão 
ser soltas lentamente onde irão adquirir o hábito de ciscar e 
procurar alimento, e receberão o mesmo manejo das aves adultas. 
• Nesta fase inicia-se a seleção das melhores aves para a 
reprodução, as demais serão engordadas e vendidas para o abate 
(machos e fêmeas). 
• Os machos neste período são facilmente reconhecidos, estes são 
mais fortes (20%±) que as fêmeas e também tem a crista