A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
AULA 5 INSTRUMENTOS FINANCEIROS

Pré-visualização | Página 1 de 2

Contabilidade Internacional
Aula 5: Instrumentos �nanceiros
Apresentação
Nesta aula, você conhecerá os principais conceitos e a natureza dos instrumentos �nanceiros.
Compreenderá o tratamento contábil dado aos instrumentos �nanceiros e patrimoniais, assim como o reconhecimento, a
mensuração e a divulgação em nota explicativas dos ativos e passivos identi�cados em consonância com a norma
contábil aplicada aos instrumentos �nanceiros.
Objetivos
Identi�car ativos e passivos �nanceiros de acordo com as normas;
Reconhecer instrumentos �nanceiros, patrimoniais e derivativos.
Tratamento contábil - identi�cação
Os seguintes documentos apresentam os aspectos fundamentais dos instrumentos �nanceiros introduzidos a partir da Lei
nº 11.638/2007 e normatizados quanto à mensuração, reconhecimento e divulgação por meio dos pronunciamentos contábeis:
1

CPC 38 (reconhecimento e mensuração) revogado a partir
de 01/01/2018 pelo CPC 48 (instrumentos e �nanceiros);

CPC 39 (apresentação);

CPC 40 (evidenciação) apresenta os signi�cados e as
classi�cações dos instrumentos �nanceiros, visto que o
assunto é complexo e extenso.
http://estacio.webaula.com.br/cursos/gon249/aula5.html
Veja a seguir a de�nição de alguns conceitos:
1
Ativo
Recurso controlado pela empresa, que corresponde aos
bens e direitos capazes de gerar �uxos de caixa futuros para
a entidade.
2
Passivo
Obrigação presente assumida pela empresa, representando
os desembolsos de caixas que promoverão futuros
benefícios econômicos para empresa, ou seja, geração de
caixa para a entidade.
3
Passivo �nanceiro
Qualquer passivo que seja uma obrigação contratual de
entregar caixa ou equivalentes de caixas a uma entidade ou
de trocar ativos ou passivos �nanceiros com outra entidade
em situações desfavoráveis.
4
Instrumento patrimonial
Participação societária no capital social de outras
empresas. Exemplos: ações ou quotas de participação
societárias no capital social de outras empresas.
Tanto os ativos �nanceiros quanto os passivos �nanceiros estabelecem
direitos e obrigações. Em ambos os casos, estamos nos referindo em
instrumentos �nanceiros.
Os instrumentos �nanceiros derivativos possuem algumas características especí�cas como investimento inicial pequeno e o
fato de serem baseados em um contrato de ativos ou passivos subjacentes, que serão liquidados em uma data futura.
Necessariamente, eles precisam possuir essas três características simultaneamente para serem classi�cados como
instrumentos �nanceiros derivativos.
Como você já pode constatar, a expressão instrumentos �nanceiros derivativos quer dizer que derivam de algo ou alguma
coisa. Portanto, instrumentos �nanceiros derivativos derivam de outros ativos.
“Instrumentos �nanceiros derivativos criam direitos e
obrigações que têm o efeito de transferir entre as partes
participantes do instrumento um ou mais dos riscos
�nanceiros que pertençam ao instrumento �nanceiro
subjacente.”
(CPC 39, item AG16, grifo nosso)
Um instrumento �nanceiro subjacente, em regra geral, é um ativo ou passivo, que serve de alvo central para a formação de um
contrato entre partes interessadas.
Passivo e patrimônio líquido
A empresa emissora do instrumento �nanceiro, no momento do reconhecimento inicial, deverá classi�car o ativo ou passivo
�nanceiro de acordo com a essência da transação, assim como os conceitos de�nidos na norma como ativo e passivo
�nanceiro ou instrumento patrimonial.
Os passivos e o patrimônio líquido das entidades representam as origens dos recursos.
Os passivos, por sua vez, são
originados de operações e
transações com terceiros.
O patrimônio líquido representa
os aportes de capital realizados
pelos sócios no momento e
posterior à constituição da
empresa, como também os
lucros e prejuízos oriundos da
operação da companhia.
A obrigação contratual, mesmo aquela que tenha origem em um ativo ou passivo subjacente, que tenha como resultado a
entrega de caixa ou equivalentes de caixa, não será considerada um instrumento patrimonial. Lembrando que os caixas e
equivalentes de caixas das empresas representam os recursos �nanceiros que possuem características de disponibilidade de
conversão imediata em dinheiro para as companhias.
A empresa deve observar os princípios atribuídos aos instrumentos �nanceiros como passivos e patrimônio líquido no caso de
compensação entre esses valores no momento da divulgação do balanço.
Atenção! Aqui existe uma videoaula, acesso pelo conteúdo online
Instrumentos �nanceiros compostos
Incluem um instrumento �nanceiro passivo e um instrumento patrimonial. A empresa deverá reconhecer em separado os
instrumentos �nanceiros passivos dos instrumentos patrimoniais. Além disso, deve apresenta-los nas demonstrações
contábeis e notas explicativas em separado.
Categorias de instrumentos �nanceiros
Podem ser vistos sob a perspectiva de quatro categorias:
 a) Ativo ou passivo �nanceiro avaliado a valor justo por meio do resultado;
 b) Ativo �nanceiro mantido para venda;
 c) Ativo �nanceiro disponível para venda;
 d) Empréstimos e recebíveis.
O ativo �nanceiro adquirido para venda deve estar classi�cado no
ativo circulante e ser mensurado a valor justo.
Veja, a seguir, formas de avaliação e classi�cação dos instrumentos �nanceiros.
Clique nos botões para ver as informações.
O custo amortizado de ativo ou passivo é o valor pelo qual o ativo ou o passivo �nanceiro é avaliado e mensurado
incialmente, ou seja, pelo valor de aquisição deduzido as amortizações do valor principal e, aproximadamente, os juros
calculados com base na taxa efetiva de juros, menos qualquer valor de perda de recuperabilidade de ativo.
Custo amortizado 
Preço pelo qual um ativo pode ser trocado ou um passivo liquidado, entre partes independentes e conhecedoras do
mercado, em uma transação não forçada, em que, na maioria das vezes, o preço pode corresponder ao valor de mercado.
Em ambos os casos, as receitas e as despesas �nanceiras são reconhecidas no resultado do exercício.
Valor justo 
Classificação dos instrumentos financeiros ativos
Item Conceito Forma de avaliação Contrapartida
Encargos Valor justo
Ativo financeiro mantido até o
vencimento (negociação não
pretendida).
Aqueles para os quais a entidade
demonstra a intenção e condições
de manter.
Custo amortizado Resultado -
Ativo financeiro mensurado ao
valor
justo por meio do resultado
(negociação imediata).
Ativos financeiros destinados a
serem
negociados, assim avaliáveis a seu
valor justo.
Valor justo (além do
custo amortizado).
Resultado Resultado
Ativos financeiros disponíveis
para
venda (negociação futura).
Constituídos pelos títulos a serem
negociados no futuro, assim
avaliáveis a seu valor justo.
Valor justo (além do
custo amortizado).
Resultado PL - Ajuste de
avaliação
patrimonial.
Empréstimos e 
recebíveis
Clientes etc. Custo amortizado. Resultado -
Fonte: Adaptado de: ERNST & YOUNG. Manual de normas internacionais de contabilidade: IFRS versus normas brasileiras. 2. ed. atual. São Paulo: Atlas, 2010.
Os ativos mantidos para negociação devem ser contabilizados no grupo de ativo circulante da companhia e, para essa
reclassi�cação, a administração deve estar certa da sua disponibilização para negociação dentro de um exercício social. Caso
contrário, não se enquadra na de�nição de ativos mantidos para venda.
A empresa deve fazer o melhor julgamento e classi�car os instrumentos �nanceiros conforme a sua intenção e sob sua total
responsabilidade. A implementação da abordagem de modelo de negócio e critérios utilizados devem assegurar a melhor
classi�cação e julgamentos na classi�cação dos instrumentos �nanceiros.
Atenção
Os instrumentos �nanceiros estão sujeitos à redução do valor recuperável de ativos e, no caso de comprovação do ativo não
mais gerar benefícios econômicos futuros, pelo menos na data de encerramento de balanço, a entidade deverá aplicar o teste
de impairment do ativo ao constatar a redução de valor. São indícios para aplicação perda de recuperabilidade: