Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Histologia

Pré-visualização | Página 1 de 3

Histologia
CONCEITO:
 É a ciência que estuda os tecidos do corpo, e a maneira como estes se organizam para constituição dos órgãos. Tecidos são compreendidos como conjuntos de células semelhantes, diferenciadas e complementares, que associam e realizam função específica, como formar os órgãos, estes que possuem dois ou mais tipos de tecidos. 
TIPOS DE TECIDOS: 
- Epitelial 
- Conjuntivo
- Muscular TECIDO CONJUNTIVO TECIDO EPITELIAL
- Nervoso 
TECIDO MUSCULAR TECIDO NERVOSO
CONSTITUIÇÃO DOS TECIDOS: 
Geral ------- 
- Células;
-Matriz extracelular(MEC), que contém moléculas organizadas, que formam estruturas complexas, como exemplo, as multiadesivas, as membranas basais, etc; 
Específica ------
 Epitelial
	Células: poliédricas; justapostas, pavimentosas, cúbicas e colunares. 
	Matrix extracelular: pequena quantidade.
	Funções: revestir a superfície, proteger, absorver e secretar.
	Localização: dentro e fora do corpo, e glândulas.
	Característica diferencial: não tem vasos sanguíneos, se multiplica facilmente, células coesamente unidas.
Conjuntivo
	Células: vários tipos.
	Matrix extracelular: abundante.
	Funções: preencher, proteger, sustentar, transportar e defender.
	Localização: todo o corpo.
	Característica diferencial: tem bom suprimento sanguíneo; células esparsas e com matriz entre si. 
Muscular
	Células: alongadas e contráteis.
	Matrix extracelular: quantidade moderada.
	Funções: movimentar.
	Localização: fixo em ossos, paredes de órgãos, e coração.
	Característica diferencial: contrátil.
Nervoso
	Células: longas e prolongadas.
	Matrix extracelular: pequena quantidade.
	Funções: transmitir impulsos nervosos.
	Localização: no encéfalo, medula espinal e nervos.
	Característica diferencial: células conectadas entre si, e em outras partes do corpo.
Tecido epitelial
CARACTERÍSTICAS: 
- Contém células poliédricas e justapostas (junções celulares);
- Pouca substância(matriz) extracelular;
- Células apoiadas em uma membrana basal celular;
 - Alta capacidade de renovação e regeneração (mitose);
 - Inervado;
 - Avascular;
 - Nutrição e oxigenação por difusão pela lâmina basal. 
 - Contém células unidas firmemente umas às outras formando camadas contínuas e organizadas mantidas através de complexos funcionais.
 
ORIGENS: 
- Ectoderme, mesoderme e endoderme. 
 
 FUNÇÕES: 
 - Revestimento interno e externo;
 - Absorção de moléculas;
 - Excreção;
 - Secreção;
 - Proteção; 
 - Sensorial;
 - Germinativa.
REVESTIMENTO:
- Absorve moléculas;
- Secreta principalmente tecido epitelial glandular; 
- Sensorial (neuroepitélios) – olfatório. 
 FORMA DAS CÉLULAS: 
 O núcleo define a forma da célula, e se divide em:
 - Núcleo arredondado: célula cúbica;
 - Núcleo elíptico ou ovoide: célula cilíndrica, prismática ou colunar. 
- Núcleo achatado: célula pavimentosa. 
POLARIDADE EPITELIAL: 
Algumas células epiteliais se encontram em cima do tecido conjuntivo, formando uma lâmina própria nos epitélios que revestem cavidades ocas dos órgãos. Se divide em:
- Polo basal – porção da célula epitelial voltada para a lâmina basal;
- Polo apical com superfície livre -superfície de células vizinhas que se confrontam e que estão unidas por junções celulares;
- Paredes laterais- são superfícies de células vizinhas que se confrontam e que estão unidas por junções celulares. 
 TECIDO EPITELIAL:
 Se apoia numa camada de tecido conjuntivo, onde a membrana basal faz o ligamento deles. O tecido conjuntivo contém vasos sanguíneos que nutrem o epitélio por difusão. 
MEMBRANA BASAL: 
Contém uma lâmina basal, e uma lâmina reticular, e possui adesão e comunicação entre o epitélio e o tecido conjuntivo, forma uma barreira de filtração seletiva e permeável, além de influenciar e controlar a diferenciação e proliferação de células epiteliais. 
- Lâmina basal: é uma camada glicoproteínas, e proteoglicanos, é secretada pela célula epitelial, e é visível somente em um microscópio eletrônico. 
- Lâmina reticular: formada por fibras reticulares, colágeno, fibrilina e fibronectinas, e são secretadas por células do tecido conjuntivo. 
 
GLICOCÁLIX: 
É uma cobertura formada por carboidratos ligados as proteínas e lipídios da membrana plasmáticas, formando as glicoproteínas e glicolipídios que auxiliam o reconhecimento celular, a adesão celular, o reconhecimento de organismos e partículas invasoras, a determinação de grupos sanguíneos, a inibição por contato, a proteção da superfície celular às lesões mecânicas e químicas do ambiente externo, a diferenciação celular, e a retenção de enzimas e nutrientes favoráveis à célula ou tecido. 
ESPECIALIZAÇÃO DA SUPERFÍCIE BASOLATERAL DAS CÉLULAS EPITELIAIS: 
Interdigitações: Dobras das membranas que se encaixam nas dobras das membranas de células adjacentes, utilizadas para aumentar a adesão entre as células.
Caderinas: Adesão entre as células é em parte devida à ação coesiva dos membros de uma família de glicoproteínas transmembrana, estas chamadas de caderinas. 
MECANISMOS DE UNIÃO CELULAR:
1.Junções impermeáveis – Zônula de oclusão.
2.Junções de adesão – Zônula de adesão, desmossomos e Hemidesmossomos.
3.Junções de comunicação – junções comunicantes ou junções gap.
O cálcio e o glicocálix são os primeiros a participar da coesão celular, permitindo que essas fiquem alinhadas
entre si. As células benignas mantêm-se aderidas, e as malignas perdem sua qualidade coesiva, se migrando do epitélio para o conjuntivo, ou todo o corpo. 
Função - adesão, vedação de modo a impedir que fluxos materiais pelo espaço intercelular, e a comunicação, como os canais para comunicação entre células adjacentes.
1. Junções intercelulares – junções de oclusão: 
Zônula de oclusão – junções estreitas: costumam ser as junções mais apicais, mais próximas da superfície apical da célula. “Zônula” indica que a junção forma uma faixa, que circunda a célula completamente, e “ocusão” se refere à adesão das membranas que ocorre nessas junções, vedando o espaço intercelular. No microscópio pode-se ver a fusão dos folhetos externos de membranas adjacentes, feita entre locais salientes dos folhetos externos da membrana de células adjacentes. 
2. Junções intercelulares – junções de adesão:
2.1. Zônula de adesão: são as junções encontradas na sequência do ápice para a base da célula. Circunda toda a célula e contribui para a aderência entre as células adjacentes. Uma característica importante é a inserção de numerosos filamentos de actina em placas de material elétron-denso contidas no citoplasma subjacente à membrana da junção. Esses filamentos participam da trama terminal. Uma rede de filamentos de actina, filamentos intermediários e espectrina existente no citoplasma apical de muitas células epiteliais.
2.2 Desmossomo ou mácula de adesão: são encontrados entre as membranas de células musculares cardíacas. É uma estrutura complexa, em forma de disco, contida na superfície de uma célula, que é sobreposta a uma estrutura idêntica observada na superfície da célula adjacente. As membranas dessa região são planas, paralelas e separadas por uma distância maior que o habitual. No citoplasma da sua membrana, há uma placa circular chamada de placa de ancoragem, que contém caderinas. Que essas, em células epiteliais, os filamentos intermediários de queratina do citoplasma, se instalam na mesma, ou formam alças que retornam ao citoplasma. 
2.3 Hemidesmossomos: se encontram entre alguns tipos de células epiteliais e sua lâmina basal. Possuem a estrutura de metade de um desmossomo, e prendem a célula epitelial à lâmina basal, as placas de ancoragem possuem integrinas (proteínas que podem agir como receptores para macromoléculas da matriz extracelular).
3. Junções intercelulares – junções comunicantes: 
Junções comunicantes ou junções GAP: existem em qualquer local das membranas laterais das células epiteliais, e encontradas em outros tecidos, exceto nos músculos esqueléticos. Possuem uma
Página123