RESUMO DE EMPRESARIAL II
2 pág.

RESUMO DE EMPRESARIAL II


DisciplinaDireito Empresarial I26.233 materiais110.858 seguidores
Pré-visualização1 página
RESUMO DE EMPRESARIAL II
1- TITULO DE CRÉDITO
Conceito \u2013 É um documento necessário para o exercício do direito literal e autônomo, nele mencionado. QUAL A NATUREZA JURIDICA DO TITULO DE CRÉDITO? É um documento de apresentação.
PRINCIPIOS 
Principio da Cartularidade - exige a existência material do titulo ou, como versa vivante, o documento necessário. Assim, sendo, para que o credor possa exigir o crédito deverá apresentar a cártula original do documento - título de crédito.
Garante, portanto, este princípio, que o possuidor do título é o titular do direito de crédito.
A duplicata se afasta deste princípio, uma vez que expressa a possibilidade do protesto do título por indicação quando o devedor retém o título.
- Princípio da Literalidade: o título vale pelo que nele está mencionado, em seus termos e limites. Para o credor e devedor só valerá o que estiver expresso no título. Deve, por conseguinte, constar a assinatura do avalista para que seja válido o aval, por exemplo.
A duplicata, por mais uma vez, figura como exceção, já que conforme estabelece o artigo 9°, §1°, da Lei n° 5.474/68: "a prova do pagamento é o recibo, passado pelo legítimo portador ou por seu representante com poderes especiais, no verso do próprio título ou em documento, em separado, com referência expressa à duplicata".
- Princípio da Autonomia: desvincula-se toda e qualquer relação havida entre os anteriores possuidores do título com os atuais e, assim sendo, o que circula é o título de crédito e não o direito abstrato contido nele.
CARACTERISTICAS
1 \u2013 NEGOCIABILIDADE \u2013 cheque/ duplicata/ nota promissória
2 CIRCULABILIDADE \u2013 pode circular
3 EXECUTORIEDADE \u2013 titulo executivo extrajudicial \u2013 art. 784, I do CPC
CLASSIFICAÇÃO DO TITULO DE CRÉDITO
Quanto ao modelo \u2013 Podem ser vínculos ou livre
· Vínculos: devem atender a um padrão especifico definido por lei, para a criação do título. Ex: CHEQUE
· Livres: São os títulos que não exigem um padrão obrigatório de emissão, basta que conste os requisitos mínimos exigidos por lei: letra de cambio e nota promissória.
Quando a estrutura \u2013 podem ser ordem de pagamento ou promessa de pagamento
· Ordem de pagamento: por esta estrutura o saque cambial da origem a três situações distintas: sacador ou emitente, que dá a ordem para que outra pessoa pague; sacado, que recebe a ordem e deve cumpri-la; e o beneficiário, que recebe o valor descrito no título: Ex. letra de câmbio, cheque.
· Promessa de pagamento: envolve apenas duas situações jurídicas: promitente, que deve, e beneficiário, o credor que receberá a divida do promitente. Ex: nota promissória.
Quanto a natureza \u2013 podem ser títulos causais ou abstratos
· Títulos causais: são aqueles que guardam vinculo com a causa que lhes deu origem, constando expressamente no título a obrigação pelo qual o título a obrigação pelo qual título foi assumido, sendo assim, só poderão ser emitidos se ocorrer o fato que a lei elegeu como uma possível causa para o mesmo. Podem circular por endosso. Ex: duplicatas
· Títulos abstratos: são aqueles que não mencionam a relação que lhes deu origem, podendo ser criados por qualquer motivo. Ex: letra de cambio, cheque.
LETRA DE CAMBIO
CONCEITO \u2013 A letra de cambio é uma ordem de pagamento que o sacador dirige ao sacado para que este pague a importância consignada a um terceiro denominado tomador.
REQUISITOS DA LETRA DE CAMBIO
A palavra letra de cambio;
A quantia que deve ser paga;
O nome do sacado (quem deve pagar);
O nome do credor;
A data quando a letra foi sacada;
A assinatura do sacador
ACEITE