Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
131 pág.
Manual Contabilidade de Gestão II

Pré-visualização | Página 10 de 26

actividades aos produtos; 
4. Determinação do custo de produção global, através da soma 
dos custos directos e os custos das actividades, e unitário, que 
se obtém dividindo o custo global pelas quantidades 
produzidas. 
𝐶𝑢𝑠𝑡𝑜 𝑇𝑜𝑡𝑎𝑙 
Custo Unitário = 
𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑑𝑒 𝐶𝑜𝑠𝑡 𝐷𝑟𝑖𝑣𝑒𝑟 
ISCED 
CURSO: CONTABILIDADE E AUDITORIA; 30 Ano Disciplina/Módulo: Contabilidade de Gestão II 
 
 37 
 
 
Custo à Afectar ao Produto = Custo Unitário X Cost Driver 
 
A implementação de um sistema de custeio ABC começa com a identificação 
das actividades organizacionais que originam os gastos indirectos (cost 
pools). O responsável da contabilidade analítica deve identificar as 
actividades que originam os gastos indirectos. 
Logo que as actividades são identificadas e estimados os seus gastos, há que 
atribuir os gastos de recursos consumidos às diversas actividades. 
Muitos dos recursos são directamente atribuíveis à cada actividade 
específica, mas outros são de natureza indirecta e partilhados 
conjuntamente por várias actividades. A atribuição dos recursos às 
actividades deve ser numa base de relação causa-efeito, não devendo-se 
fazer atribuições arbitrárias. Nessa atribuição deve ser utilizado um cost 
driver que conduz os gastos indirectos de uma actividade. 
Por último, devem ser atribuídos os gastos aos objectos previamente 
definidos. Os coeficientes de imputação devem ser utilizados para afectar os 
gastos das actividades aos produtos com base no consumo destes. A 
imputação dos gastos pelos diferentes produtos é efectuada com base no 
coeficiente de imputação dos gastos das actividades. 
2.2.3. Tipos de Actividade na Abordagem ABC 
 
1. Actividades Associadas ao Volume de Outputs 
Corresponde àquelas actividades cujos recursos são consumidos e 
usados sempre que uma unidade adicional de output é 
produzida/vendida. A quantidade de recursos consumida nesse tipo de 
actividade é proporcional ao volume de produção e vendas. 
2. Actividades Associadas ao Número de Lotes 
ISCED 
CURSO: CONTABILIDADE E AUDITORIA; 30 Ano Disciplina/Módulo: Contabilidade de Gestão II 
 
 38 
 
Os recursos necessários neste tipo de actividade são independentes do 
número de unidades fabricadas no lote de produção. Ex: os custos das 
actividades de preparar as máquinas para uma nova ordem de produção, 
comprar matérias-primas aos fornecedores e processar as ordens de 
clientes, são independentes, respectivamente, do número de produtos 
fabricados após a preparação das máquinas, do número de itens que 
compõem a ordem de compra a um fornecedor e do número de 
produtos encomendados por um cliente. 
3. Actividades Associadas às Linhas de Produtos 
São as que são intrínsecas a determinados produtos e serviços 
específicos. Ex: a actividade de concepção de produtos é uma actividade 
cujos custos estão directamente associados com o número de linhas de 
produto concebidas. Os custos inerentes à actividade de manter 
actualizada as especificações dos produtos dependem das linhas de 
produtos existentes e não de volume de produção/venda. 
4. Actividades Sustentadoras do Negócio 
São as actividades cujos custos não dependem do volume de outputs, do 
número de lotes fabricados ou de número de linhas de produção. Engloba 
as actividades intrínsecas à realização do negócio, cujos custos só podem ser 
alocados aos objectos de custeio de uma forma totalmente arbitrária (não 
devendo ser repartidos). 
 
2.2.4. Vantagens e Principais Dificuldades de Implementação do ABC 
 
Segundo Innes Mitchell, as principais vantagens da adopção do ABC são as 
seguintes: 
• Maior correcção dos custos apurados por objecto de custeio; 
ISCED 
CURSO: CONTABILIDADE E AUDITORIA; 30 Ano Disciplina/Módulo: Contabilidade de Gestão II 
 
 39 
 
• Aumento da compreensão das causas dos custos e da 
necessidade de os racionalizar; 
• Melhor controlo dos custos de gestão de recursos; 
• Aumento da comunicação entre as várias áreas da 
organização. 
A adopção do ABC não deve ser entendida como um fim em si mesmo. Os 
seus benefícios dependem da forma como o sistema é implementado e 
aceite na organização pelos Gestores e demais utilizadores. 
Embora haja grandes vantagens existem, na prática, várias dificuldades 
associadas à sua implementação que podem prejudicar o sistema, 
nomeadamente, segundo Innes Mitchell: 
• Dificuldade em encontrar informação na organização disponível para 
quantificar os cost drivers que se consideram mais adequados para 
operacionalizar o sistema; 
• As actividades nem sempre são facilmente identificáveis. O facto de 
 essas ser transversais à 
organização de se estenderem para lá das fronteiras dos departamentos muitas 
vezes dificulta a sua identificação; 
• Envolve grande dispêndio de recursos humanos e financeiros; 
• Obriga a revisões periódicas das actividades e dos cost drivers, como 
forma de garantir a qualidade da informação gerada. 
 
 
 
Sumário 
Nesta unidade tratamos dos elementos que devem ser considerados para a 
repartição dos custos indirectos pelo método ABC, bem como das vantagens 
e dificuldades de implementação do modelo. A determinação do custo de 
produção pelo método ABC deve observar criteriosamente cada etapa da 
ISCED 
CURSO: CONTABILIDADE E AUDITORIA; 30 Ano Disciplina/Módulo: Contabilidade de Gestão II 
 
 40 
 
evolução do processo produtivo, ou seja, deve-se identificar cada uma das 
actividades realizadas (os recursos aplicados) e o respectivo indutor de custo 
para a valorização das actividades realizadas. 
 
 
Exercícios de Auto Avaliação 
1. O que entende por indutor de custo? 
2. Quais são as etapas a serem observadas na implementação do 
método ABC? 
3. O método ABC apresenta inúmeras vantagens no que tange a 
repartição dos custos indirectos. Contudo, também apresenta 
algumas limitações. Aponte as limitações do método ABC. 
4. A Indústria do Centro, S.A, dedicada ao fabrico de colchões, cujas 
referências estão indicadas na tabela abaixo, utiliza o Método ABC 
para a determinação do custo dos seus produtos. Relativamente ao 
mês de Março último, obteve-se a seguinte informação: 
Produtos Mau Medíocre Bom Muito Bom 
Ordens de Fabrico 3 4 7 10 
 * 
Unidades Produzidas 500 500 5.000 5.000 
Horas de MOD 2 4 2 4 
Horas-Máquina 2 4 2 4 
Consumo Unitário de Matéria 30,00 75,00 30,00 75,00 
Quantidade de Matérias 8 5 8 6 
ISCED 
CURSO: CONTABILIDADE E AUDITORIA; 30 Ano Disciplina/Módulo: Contabilidade de Gestão II 
 
 41 
 
*A parte abrangida pela chaveta representa o consumo por unidade 
Cada hora de Mão-de-Obra directa custou 12,00 e os gastos gerais relativos às 
actividades encontram-se assim representados: 
Descrição das 
Actividades 
Custo Total p/ 
Actividade 
Cost Driver 
M1 153.000,00 N° de unidades utilizadas 
M2 72.000,00 Série de Fabrico 
M3 153.600,00 Série de Fabrico 
M4 165.000,00 Hora de MOD 
Total 543.600,00 
 
a) Determinar o custo unitário das actividades; 
b) Determinar o Custo de Produção de cada produto. 
 
5. A produtora de Café & Chá é uma empresa dedicada à produção e 
comercialização de diferentes variedades de chás e café. No início da 
década de 1990 sofreu uma reestruturação profunda, tendo sido 
decidido criar várias áreas de negócio atendendo, simultaneamente, à 
natureza dos produtos vendidos aos diversos tipos de clientes e
Página1...67891011121314...26