A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Patogia do Sistema Nervoso

Pré-visualização | Página 1 de 1

PATOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO 
 
-Fisiologia 
• O sistema nervoso é dividido em substância branca e substância cinzenta 
➢ Substância Branca: Axônios 
➢ Substância Cinzenta: Corpos dos neurônios 
 
• Meninges(de fora para dentro) 
➢ Dura-Máter 
➢ Aracnóide 
o Espaço Subaracnóide: Passagem do líquor 
➢ Pia-Máter 
 
-Alterações Congênitas 
• Microencefalia 
➢ Cérebro pequeno; menor tamanho da cabeça 
➢ Sem etiologia específica em animais – idiopática 
➢ Cães são acometidos; felinos e suínos são pouco acometidos 
➢ Os animais possuem uma quantidade de tecido nervoso menor, porém é compatível com a vida 
e o animal tende a ter problemas locomotores e de crescimento 
➢ Não é comum 
 
• Agiria(Lisencefalia) 
➢ Ausência dos giros cerebrais(o cérebro fica “liso”) 
➢ Raça Lhasa Apso é mais predisposta 
➢ É um defeito embrionário na migração de neurônios para o lugar certo(falhas nas vias de 
sinalização) 
➢ Os distúrbios de déficit parecidos com a Microencefalia – problemas locomotores e no 
crescimento 
 
• Disrafias 
➢ Pode ser por um problema em tubo neural(da origem ao cérebro, medula) 
o Distúrbio de fechamento do tubo neural 
o Distúrbio gênico: Alterações na via do ácido fólico(importante para a replicação 
celular). 
▪ Em fêmeas gestantes, a diminuição do ácido fólico pode gerar má 
formações. Uma dessas más formações é a Anencefalia, onde só a formação 
da ponte(encéfalo não existe). Humanos são + acometidos. 
▪ Em animais é mais comum um excesso de vitamina A e 
ciclofosfamida(quimioterápico), podendo gerar a Anencefalia 
➢ Pode ser por problema na medula propriamente dita 
o Spina Bífida: Defeito no canal vertebral(defeito na formação da medula espinal) 
ocasionando uma exposição(herniação) da medula, ficando exposta. 
▪ Herniação da medula com a meninge = meningomielocele 
▪ Herniação da meninge = meningocele 
 
 
 
 
 
 
 
• Hidrocefalia 
➢ É o aumento anormal do líquor no compartimento ventricular craniano 
➢ É comum nos animais – cães principalmente(braquicefálicos, pequeno porte) 
➢ Entre o terceiro ventrículo e o quarto ventrículo possui uma região chamada de aqueduto 
mesencefálico ou aqueduto de silvio(é onde tem mais problema) 
➢ Tipos 
o Congênita: Principal tipo. Animal já nasce com o problema. O problema se dá no 
aqueduto de silvio, com estenose. Terceiro ventrículo e ventrículos laterais são 
afetados. Causas: substâncias teratogênicas(plantas tóxicas, fármacos) ou um 
distúrbio genético. Por consequência o animal terá uma cabeça grande e sem junção 
óssea(a calota craniana não se fecha) = fontanela aberta. 
 
o Adquirida: É menos comum. Causas: traumas, tumor, edema intenso, inflamações. 
Animais + velhos são + acometidos. É secundária a outro problema. 
 
➢ Formas 
o Não Comunicante ou Obstrutiva: Não permite comunicação dos ventrículos. Aqueduto 
está fechado. 
o Comunicante ou Não Obstrutiva: Problema em espaço subaracnóide onde não ocorre 
absorção do líquor e consequentemente seu acúmulo. 
 
➢ Consequências: Nem toda hidrocefalia tem aumento de tamanho da cabeça(são aquelas com 
evolução lenta e a calota fecha); ocorre compressão da massa encefálica; dilatação ventricular; 
quanto maior a compressão maior o achatamento dos giros cerebrais; convulsões; pode ou não 
apresentar alteração neurológica. 
 
-Distúrbios Hemodinâmicos 
Ocorre aumento da pressão intracraniana e edema = inchaço 
• Edema Vasogênico 
➢ Surge por defeito na barreira hematoencefálica e a proteção do cérebro fica reduzida. Ocorre 
aumento da permeabilidade dos vasos da barreira(sai + líquido do vaso e se acumula no tecido 
nervoso) ocasionando um edema cerebral. Causas: traumas; cistos parasitários; hemorragias; 
neoplasias 
 
• Edema Citotóxico 
➢ É uma lesão na membrana plasmática do neurônio e endotélio. Causas: isquemia/hipóxia 
 
-Lesões Traumáticas 
• Concussões 
➢ Agressão que causa “pane”/ desorganização 
➢ Animal pode ou não ter consciência 
➢ Não há alterações no tecido nervoso – sem lesões 
➢ Pode ser consequências de cisalhamento(ação de duas forças opostas no mesmo ponto); 
esticamento; compressão 
 
• Contusão 
➢ Ocorre a perda da consciência e lesão no lugar da área afetada 
➢ 2 tipos 
o Lesão de Golpe: lesão logo abaixo do trauma 
o Lesão de Contragolpe: massa encefálica bate na calota na frente e atrás(lesão oposta 
ao trauma) 
 
• Laceração 
➢ Compromete a calota(afundamento) e o cérebro fica exposto 
➢ Perda imediata da consciência e pode levar ao coma, morte 
 
• Hemorragias 
➢ 4 tipos 
o Epidural: Entre a calota e a dura-máter 
▪ Causa: Traumatismo 
▪ Hematoma provoca uma compressão intracraniana 
 
o Subdural: Entre a dura-máter e a aracnóide 
▪ Causa: Rotacionamento brusco da cabeça e ruptura vascular 
▪ Hematoma provoca uma compressão intracraniana 
▪ Encapsulados(+frequente) ou não 
▪ Se forem produtivos = aumento do cortisol ou hormônios 
estrogênios(masculinização e síndrome de cushing) 
 
o Leptomeningeana: Está propriamente no tecido da meninge 
▪ Localizada ou difusa 
 
o Intraparenquimatosa: Está no tecido nervoso(substância branca ou cinzenta) 
▪ Aumenta a produção de catecolaminas 
 
-Lesões Traumáticas da Medula 
• Compressão/Síndrome de Wobbler 
➢ Equinos são + acometidos 
➢ Ocorre o deslocamento das vertebras por uma estenose do canal vertebral cervical 
➢ Animais em crescimento mais rápido; supersuplementação proteica e vitamínica são fatores que 
predispõe 
 
-Doenças Neurodegenerativas 
• Encefalopatias Espongiformes – Doença da Vaca Louca(B.S.E.) 
➢ Sintomas: Agressividade, alteração na marcha, incoordenação motora, perda de peso 
➢ Zoonose 
➢ Etiopatogenia 
o Agente: Príons – partículas infecciosas proteináceas 
o O corpo produz através dos neurônios – auxilia na transmissão 
o Infecção se da pela ingestão de alimento que contém esse príon(farinha de osso ou de 
carne por exemplo) 
o Leucócitos e axônios levam o príon ao SNC e o sistema imune não reconhece como 
estranho portanto, não tem inflamação. O príon anormal vai atuar no neurônio – 
muda seu metabolismo e o neurônio fica com vacúolos(lesão degenerativa dos 
neurônios) 
o É fatal 
 
 
 
 
 
-Doenças em Junção Neuromuscular 
• Botulismo 
➢ Toxina botulínica bacteriana que causa paralisia da musculatura(paralisia flácida) pela inibição 
da Ach na musculatura periférica(nervos periféricos) – utilizado para tratamentos estéticos 
➢ Animais de produção são predispostos 
➢ A bactéria é resistente ao ambiente 
➢ Carnes; carcaças; silagem contaminados 
➢ Quase sempre é fatal 
➢ Sem tratamento = definitivo = fatal 
➢ Sinais: Hipotonia de musculatura esquelética 
➢ Animais tratados podem ter megaesôfago secundário 
➢ Diagnostico: por sintomatologia, histórico, sinais clínicos. Necropsia, hematologia, bioquímico e 
líquor sem alterações 
 
• Tétano 
➢ Neurotoxina de origem bacteriana 
➢ Feridas são portas de entrada(partos; castrações) 
➢ 2 toxinas 
o Tetanolisina: Diminui oxigênio nos tecidos 
o Tetanospasmina: Vão aos nervos periféricos e bloqueiam o relaxamento muscular = 
contração continua - rigidez 
➢ Sinais Clínicos: hipertermia, sudorese e acidose metabólica; postura de cavalete, orelhas em 
tesoura, protrusão de terceira pálpebra, trismo mandibular (não abre a boca) e cauda em 
bandeira