A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
RESUMO rtf

Pré-visualização | Página 1 de 6

RESUMO - RECURSOS TERAPÊUTICOS FÍSICOS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
INTRODUÇÃO 
RECURSOS TERAPÊUTICOS FÍSICOS 
Os Recursos Terapêuticos Físicos (RTF) são uma das modalidades 
terapêuticas, que utilizam energia para favorecer o reparo 
tecidual, a fim de potencializar a recuperação do paciente. Essas 
energias podem ser: térmica, mecânica, elétrica, 
eletromagnética e magnética. 
 Processo de reabilitação - objetivos em geral. 
1. Controlar a dor, redução de edema e proteção dos tecidos 
lesionados; 
2. Favorecer a cicatrização do tecido e recuperar a amplitude de 
movimento (ADM) ; 
3. Restaurar a ativação muscular e o controle neuromuscular; 
4. Recuperar força e potência muscular; 
5. Treinamento funcional. 
Os recursos terapêuticos físicos têm maior aplicação 
principalmente na primeira fase 
(controlar a dor, redução de edema e proteger os tecidos 
lesionados) 
INDICAÇÕES P/ TRATAMENTO RTF 
Controlar sinais e sintomas inflamatórios 
Estimular cicatrização tecidual através de produção e fibroblastos 
e osteoblastos 
Controle da dor 
Normalização do tônus e capacidade de contração muscular 
Minimizar restrições de movimento 
 
REPAROS TECIDUAIS 
Objetivo do processo: Restaurar o estado o mais semelhante ao normal do tecido. 
Mecanismos Possíveis: Regeneração e Cicatrização. 
Regeneração: Tecido neoformado semelhante ao existente no local da agressão. 
Cicatrização: Substituição das células necróticas por tecido conjuntivo fibroso. 
Processos de reparo: 
Regeneração: Destruição de pequenos números de células parenquimatosas (conj. De 
células responsáveis pela função típica de órgão ou tecido especifíco + Estroma integro ( 
tecidos de sustentação, vascularização e inerva) 
Cicatrização: Grande destruição de células parenquimatosas e de estroma. 
Tipos de cicatrização: Processos de cicatrização 
1 – Por primeira intenção ( união primária) – margens próximas 
2 – Por segunda intenção ( união secundária) – margens distantes, mais demorada 
Histopatologia do Reparo Tecidual 
Fase inicial: – 24 a 48 horas: Tecidos de granulação; coágulos de plaqueta+ fibrina+ 
neutrófilos. 
Fase intermediária: 5 a 7 dias – Macrófagos+ neoformação vascular+ fibroblastos 
Fase final: 3 semanas – amadurecimento e modelagem faz fibras colágenas. 
FATORES LOCAIS QUE PODEM RETARDAR O PROCESSO DE REPARO: 
Presença de corpo estranho, região de grande mobilidade. 
Circulação sanguínea deficiente. 
Contaminação por Microorganismo. 
Presença de hemorragia. 
Esmagamento. 
FATORES SISTEMICOS QUE PODEM ALTERAR O PROCESSO DE REPARO: 
Idade. 
Nutrição. 
Doenças atômicas. 
Produção excessiva de colágeno. 
 
 
Planos de Estudos: 
 Introdução 
 Reparação Tecidual 
 Termoterapia 
 Crioterapia 
 Diatermias 
 Ultra som 
 Micro Ondas/ Ondas 
Curtas 
 Laser 
 Dosagem 830 
 Dosagem 904 
 
 TERMOTERAPIA 
É a forma de fazer terapia usando recursos que geram mudanças de temperatura. 
(Aplicação de calor terapêutico ao corpo) 
A vida na terra está limitada a uma estreita faixa de Temperatura - 10 graus / 50 graus 
Os métodos de aquecimento são classificados como superficiais ou profundos. 
Biofísica das trocas de calor corporal: 
Termogênese: Mecanismos orgânicos que produzem calor. 
Termólise: Mecanismos orgânicos de dissipação de calor. 
Os efeitos do calor sobre a taxa metabólica, a inflamação e a dinâmica do sangue e do fluidos 
são em geral, opostos aos do frio. 
Tipos de resposta ao calor: 
Involuntária (fisiológica) Controle Metabólico, Controle Vasomotor, Hídrico (sudorese) 
Voluntário (comportamental) Roupa, Exercício, Ambiente 
Troca de Temperatura (métodos de indução de calor É a transferência de energia térmica de um 
ponto ao outro através de: 
Evaporação: ? (ex:Spray Congelante ) 
Conversão: é a transformação de energia mecânica ou eletromagnética em energia térmica, 
pela passagem nos tecidos do corpo. (ex;Ultra som, diatermias) 
Condução – a energia térmica é transferida de uma região mais quente para outra mais fria, 
através do contato direto de suas superfícies de contato. (ex: compressas) 
Convecção – a energia térmica é transferida através da circulação de líquidos e gases entre o 
corpo que está liberando a energia térmica e o que está recebendo. ( ex: hidromassagem) 
Irradiação – é a transferência de energia térmica de um corpo para o outro através da radiação 
eletromagnética. (Ex: lâmpada) 
Classificação dos agentes de calor 
Calor superficial ou Hipertermoterapia Superficial: É o tratamento através da ação do agente 
terapêutico de forma localizada, e alcançando pouca profundidade (poucos milímetros) no 
segmento corporal, resultando em alteração térmica superficial.(Ex: lâmpadas infravermelhas, 
compressas quentes úmidas, forno de bier, Banhos de parafina/ turbilhão e/ou aquecido 
imersão) 
Calor profundo – diatermia de micro-ondas / diatermia de ondas curtas / ultra som 
Agentes de aquecimento superficial 
Devem ser capazes de aumentar a temperatura da pele dentro de um limite entre 40°C a 45°C 
A transferência de calor para os tecidos subjacentes ocorre através da condução 
Limitam-se a profundidas inferiores a 2 cm 
 
 
 
 
Alterações do tecido por mudanças de T°: 
Alterações físicas e químicas dependentes da temperatura, como a taxa metabólica, a viscosidade 
e a extensibilidade do tecido colagenoso. 
Alterações relacionadas com a regulação fisiológica desenvolvidas para proteger o corpo de lesão, 
como ocorre nos sistemas vascular e nervoso. 
 Efeitos locais da aplicação de calor 
Vasodilatação - aumento da taxa metabólica – aumento da liberação de leucócitos – aumento da 
permeabilidade capilar – aumento da drenagem linfática e venosa – formação de edema – 
remoção de resíduos metabólicos 
Alteraçoes nos vasos sanguíneos 
A hiperemia cutânea extraordinária decorrente do calor leva a ideia de que ocorrem efeitos 
similares em outros, mas esse não é o caso. 
A vasodilatação é maior nos vasos superficiais do que nos vasos profundos. 
O fluxo capilar elevado resulta em aumento de suprimento de oxigênio, nutrientes e anticorpos 
para área afetada. 
Alterações nos vasos sanguíneos 
O edema aumenta, mas a capacidade de remove-lo e maior. 
O aumento da permeabilidade capilar ajuda a reabsorção do edema e a dissolução dos 
hematomas 
Estes resíduos podem ser drenados pelos sistemas venoso e linfático. Se o retorno venoso e 
linfático não for estimulado, ocorrera mais edema. 
 Efeitos locais da aplicação de calor 
Aumento da elasticidade – analgesia e sedação dos nervos – redução do tônus muscular – redução 
do espasmo muscular – aumento da velocidade de condução nervosa. 
Alterações do tecido colagenoso 
Tem se mostrado que o colágeno derrete a temperaturas acima de 50° C ( Mason e Rigby, 1963) 
Com temperaturas terapêuticas (40° a 45°C) a extensibilidade do tecido colagenoso aumenta. Isso 
ocorre apenas se o tecido for simultaneamente alongado e requer temperaturas próximas do 
limite terapêutico. 
Analgesia e sedação dos nervos 
Os nervos aferentes estimulados pelo calor podem ter um efeito analgesico agindo no mecanismo 
de controle da comporta. Ocorre hiperalgesia na área aquecida durante uns poucos minutos após 
a aplicação do calor. 
Indicações gerais do calor 
Quadros inflamatórios subagudos e crônicos – Redução da dor crônica ou subaguda – Espasmo 
muscular crônico ou subagudo – redução de ADM – resolução e hematomas – contrações 
articulares. 
Contra-indicações gerais ao calor 
Traumatismo agudos – circulação insuficiente – regulação térmica insuficiente – áreas anestésicas 
- Neoplasias 
 
 
 
 
CRIOTERAPIA 
Terapia com uso do frio ( ou seja qualquer substancia com remoção ou 
redução do calor) 
Qual é a indicação?A crioterapia possui indicação no tratamento do trauma 
agudo e da lesão subaguda para diminuir o desconforto após ex. e reabilitação. 
Sensações durante a imersão em água gelada 
Frio - Dor profunda, incômoda, - Dor estabiliza ou diminui, - Sensação de 
"pontadas

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.