A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
RESUMO rtf

Pré-visualização | Página 5 de 6

|Cavitação instável 
Dosagem 
• Considerar:||Área ser tratada|Profundidade da lesão|Natureza da lesão 
Tempo de aplicação 
• Não exceder 12/15 minutos de aplicação|Tempo máximo de uso do cristal. 
|Deve esfriar por no mínimo 5 minutos antes da próxima utilização do aparelho| 
Cuidado com a intensidade (dose de saída do cabeçote) 
Pré Aquecimento ou Resfriamento 
•Resfriamento: 
 temperatura superficial – menor absorção – maior profundidade de penetração. 
•Aquecimento: 
 temperatura superficial – maior absorção menor profundidade de penetração. 
Parâmetros de dosagem: Freqüência|Modo - pulsado ou 
contínuo|Intensidade|Tempo de aplicação 
Frequencia:1MHz – maior profundidade de penetração (2 a 5 cm de 
profundidade|3MHz - menor profundidade de penetração (1 a 2 cm de profundidade) 
Sonoforese / Fonoforese 
É a administração percutânea de substâncias ou princípios ativos facilitada pelos 
efeitos mecânicos que aumentam a permeabilidade das membranas e pela pressão do 
feixe US.|FAZER ESFOLIAÇÃO PRÉVIA! 
Penetração da droga: Depende: 
• Vascularidade do tecido| Facilidade com que as moléculas da droga penetra 
nos vasos sanguíneos|Quantidade da droga penetrada: proporcional à 
intensidade e o tempo de aplicação. 
Princípio da Aplicação 
• Droga deve ser combinada com gel ou creme apropriado, sendo o gel mais 
eficiente|Intensidade alta 1 a 1,5 W/cm2|Freqüência é determinada pelo 
tecido alvo| Tempo de aplicação - área tratada (1min. para cada 10 cm2 ) 
• Modo contínuo geralmente / Foi observado eficiencia no modo pulsado 
também 
Contra-indicações| Mesmas para aplicação do US|Alergia à droga 
 
 
 
 LASER 
“Amplificação da Luz por Emissão Estimulada da Radiação”. 
Obs.: Equipamentos de reabilitação utilizam laser vermelho (660) e laser invisível 
(800/900nm*) *nm: nanômetros 
DIFERENTES APLICAÇÕES DA RADIAÇÃO LASER 
• Industriais: corte e soldagem de peças. 
• Comerciais: telecomunicações, informática, leitores de códigos de barras, leitura e 
gravação de CDs, impressoras, etc. 
• Área da Saúde: aplicações cirúrgicas e terapêuticas. 
CLASSIFICAÇÃO DO LASER SEGUNDO O MATERIAL ATIVO 
• Sólido (cristal): Rubi • Líquido: Coumarin C30• Gás: Hélio-Neônio• Diodos: AsGa 
PRODUÇÃO DO LASER 
• Estimulação elétrica de materiais ativos, tais como gases e metais, levando à 
liberação de energia sob a forma de luz. 
Probe = caneta aplicadora 
Princípios da geração do laser|Átomos: 
 Nêutrons| Prótons| Elétrons 
Neutrons + prótons = núcleo do átomo (carga positiva) 
Elétrons = giram em órbita ao redor do núcleo (carga negativa) 
Os elétrons não absorvem nem irradiam energia desde que sejam mantidos nas suas 
órbitas (estado fundamental)| Estimulação elétrica : Fótons 
Fótons: Partículas de luz que são emitidas pelos elétrons excitados pela estimulação 
elétrica. 
Elétron ganha ou perde uma quantidade de energia  
Muda de órbita 
Um fóton colide com o elétron de um átomo, ele faz o elétron mudar de nível. 
São tantos fótons estimulados que a câmara não pode conter a energia. 
Quando se atinge um nível específico de energia, fótons de um comprimento de onda 
particular são ejetados pelo espelho semipermeável. 
Assim, é produzida uma luz amplificada por meio de estimulação de emissões (laser). 
Coerência espacial: todas as ondas seguem uma mesma direção. Sem desvio. 
Coerência temporal: várias ondas seguindo no mesmo ritmo. Na mesma frequência. 
A luz segue na mesma direção e no mesmo ritmo. Não se espalha. 
Luz direcional produzida por um laser em comparação à luz divergente 
produzida por outras fontes. 
Características do Laser:MONOCROMATICIDADE: Por apresentar comprimento de 
onda específico único e portanto frequência definida, os raios apresentam uma única 
cor. 
COERÊNCIA: Mesmo comprimento de onda e mesma fase. Os ciclos ocorrem ao 
mesmo tempo (coerência temporal). 
Também ocorrem na mesma direção (coerência espacial). 
COLIMAÇÃO: Feixe paralelo, não divergindo. Segue reto, sem espalhamento 
 
 
 
 
660 – escaras, pé diabético, cicatrizes – indicado para tecidos superficiais, como a pele. É 
visível (ponto vermelho sobre a pele do paciente). 
830 – emissão média, média profundidade – indicada para estruturas intermediárias. 
904 – maior poder de penetração – indicado para estruturas mais profundas, como 
ligamentos, meniscos e outras cartilagens. 
Equipamentos (tipos de Probe): 
Canetas (660 – 904 – 830)|LED Vermelho| Cluster de LEDs (tipo chuveiro)|PAD com 200 
LEDs (placa para uso em áreas maiores) 
CLASSIFICAÇÃO 
 Laser de alta potência: Uso cirúrgico – destruição tecidual (CO2, Argônio) 
Para uso em Fisioterapia:Laser de média Potência: AsGa| Laser de Baixa potência: HeNe 
Luz Ultravioleta - A luz penetra poucos milímetros, o suficiente para atravessar a pele. 
A radiação Laser penetra de 2 a 4 cm no tecido mole. 
(comprimento e frequência) 
Quais são os lasers utilizados pela Fisioterapia: 
Lasers mais comuns: 
GaAs (904 nm) – arsenieto de gálio| aAIAs (830 nm) – arsenieeto de gálio e alumínio 
AIGaInP (660 nm) – alumínio, gálio, índio e fósforo| HeNe (632,8 nm) – hélio e neônio 
QUAL LASER UTILIZAR? Utilizamos preferencialmente: 
Lasers visíveis  tecidos vermelhos e mais superficiais; 
Lasers infravermelhos  tecidos brancos ou translúcidos e mais profundos. (ligamentos e 
cartilagens) 
Técnicas de utilização: • Pontual; • Varredura; 
TÉCNICA PONTUAL 
• Sempre que possível, devemos utilizar esta técnica; 
• Razões: 
– Maximização da densidade de potência/irradiância (Lei do quadrado inverso) 
– ↓ reflexão 
– ↓ atenuação do feixe, oferencendo maior quantidade de energia ao tecido 
(hemoglobinas) 
TÉCNICA PONTUAL – por contato  encosta na pele e faz uma leve pressão perpendicular 
em 90 graus para melhor direcionar o foco e evitar perda por espalhamento. Área seca. 
 
 
 
 
 
 
TÉCNICA PONTUAL – TIPO BORDA 
 
• Pacientes que apresentem feridas abertas; 
 
• Impossibilidade de contato da ponteira da probe com o 
tecido  infecção e desconforto (dor) 
 
TÉCNICA DE VARREDURA 
 
• Grandes áreas a serem tratadas; 
• Feridas abertas 
• Não há contato da probe com o tecido; 
• Preferencialmente não utilizar. 
• Pode ser feito o gradeamento manual... 
– Contato  utilizar filme plástico; 
– Sem contato manter distância entre 0,5 e 1 cm do tecido. 
 
 
 
Técnica do gradeamento 
 
O laser é aplicado no cruzamento das linhas 
 
 
Mecanismo de Ação 
• Até hoje não é totalmente compreendido. 
• Teoria Fotoquímica: é a mais aceita (Tina Karu) 
– Efeito Biomodulador (Fotobiomodulação): estimular ou inibir funções 
bioquímicas e fisiológicas. 
EFEITOS FISIOLÓGICOS PRIMÁRIOS 
EFEITOS BIOQUÍMICOS 
• Liberação de substâncias pré-
formadas: 
– Histamina; 
– Bradicinina; 
– Serotonina 
• Aumento na síntese de ATP 
mitocondrial. 
• Aumento nas taxas de síntese 
de RNA/DNA. 
• Alteração no conteúdo de 
prostaglandina . 
• Aumento da atividade de 
fibroblastos (formação do 
colágeno). 
• Estimula formação de 
linfócitos. 
 
EFEITOS BIOELÉTRICOS 
• Melhora a eficiência da bomba 
de Na+/K+ 
• Manutenção do potencial de 
ação da membrana. 
 
EFEITOS FISIOLÓGICOS SECUNDÁRIOS: 
ESTIMULA A MICROCIRCULAÇÃO 
Histamina inibe os 
esfíncteres capilares 
– aumento do fluxo 
sangüíneo local 
 
ESTÍMULO TRÓFICO CELULAR 
(TROFISMO CELULAR) 
 da síntese de ATP 
 do índice mitótico 
 velocidade e 
qualidade da cicatrização 
 
 
 
 
 
EFEITOS TERAPÊUTICOS| EFEITO ANALGÉSICO: 
– Modulação do processo inflamatório; 
– alterações na velocidade de condução -aumenta o 
período de latência nervoso (BAXTER 1991) 
– Estimula liberação de b-endorfina 
• Atua na fibras ab - aumento do limiar doloroso 
•  dos efeitos da bradicinina sobre os receptores de 
dor (prostaglandinas que potencializa a ação da 
bradicinina) 
• MODULAÇÃO DO PROCESSO INFLAMATÓRIO: 
–  a produção de prostaglandina (redução da resposta 
inflamatória) 
–  o fluxo sanguíneo (ativação de macrófagos, maior 
atividade fagocitária) 
– Acelera a regeneração dos vasos linfáticos 
• ANTIEDEMATOSO: 
–  do processo inflamatório;

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.